“O passado está no presente e o presente contém o futuro”

Já é costume a lembrança deste antigo ditado no início de cada ano, ao estabelecermos projeções audaciosas e desafiadoras para nossas vidas. As empresas fazem o mesmo: preparam-se para os próximos meses e estabelecem novos referenciais a serem alcançados

No entanto, assim como nós, muitas empresas definem seus objetivos anuais esquecendo-se de revisar consistentemente sua essência, suas rotinas, seus hábitos e processos, bem como as questões externas que a influenciam.

Deixam de estabelecer desafios relevantes de forma integrada e sincronizada, deixam de elaborar plano de ação que contenha metas e prazos realistas. Imaginam não ser necessária a clara disseminação sinérgica das definições a todos os envolvidos, furtam-se da reafirmação de sua missão e visão junto a seus colaboradores, abstém-se da destinação e controle, por todo o ano, dos investimentos nas ações projetadas, a fim de garantir ganhos reais e factíveis ao final.

rubia pompeo

Rubia Pompêo
Sócia-Diretora da WE-Assessoria, é Consultora Organizacional, Psicóloga Clínica e Psicodramatista. O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Acreditam não ser necessário acompanhar o cumprimento das metas sistematicamente, de forma a perceber a necessidade de correção ou modificação dos caminhos traçados, sempre que a turbulência do mercado assim o exija.

Algumas empresas têm optado por manter seu planejamento anual no âmbito da Diretoria, esquecendo-se que “a união faz a força” e que somente com foco, comprometimento, envolvimento e inter-relacionamento grupal, o aumento de competitividade e o sucesso serão alcançados.

Sem um real e profundo diagnóstico da situação atual, sem a definição dos rumos a serem tomados, sem o envolvimento de agentes internos e externos, sem a clareza dos fatores críticos de sucesso e sem a análise dos cenários nos quais a empresa está contida, dificilmente serão atingidos melhores e maiores resultados.

Planejar é poderosa ferramenta de gestão, instrumento dinâmico que permite a tomada de decisões estratégicas e o modelamento de ações futuras, propondo uma linha de atuação para que empresas e pessoas possam cumprir suas missões.
Fundamental para que, ao final de mais um ano, a frustração não venha assombrar nossas possibilidades de evolução.

banner GFAI

Para anunciar nesta coluna ligue (11) 3106-4171 e fale com Lilian Mancuso

Coordenação: Lilian Mancuso e Rebeca Toyama