Liderança Colaborativa

Muitos de nós fomos, por muito tempo, inspirados e fascinados por heróis

Talvez por um desejo inconsciente de sermos salvos, de não precisar realizar o trabalho duro e por uma atitude comodista de depender de outros para resolver as coisas.

Constantemente líderes e políticos se apresentam como heróis, aqueles que vão resolver tudo como num passe de mágica. Continuamos a esperar pelos heróis porque eles sempre têm as respostas, sabem o que fazer e não precisamos nos preocupar em criar soluções, pois elas já vêm prontas e executamos o que nos é dito. Assim nos ocupamos apenas em receber bons planos e instruções para simplesmente executá-las. Este tipo de crença dá origem a modelos de comando e controle, venerados nas organizações, nos governos e em todo o mundo, retirando do indivíduo seu potencial e autonomia em troca de estabilidade e segurança. A liderança heroica se baseia na ilusão de que alguém pode estar no controle e esse modelo funcionou muito bem por longo período de tempo. Entretanto, as causas dos problemas da atualidade são complexas e interligadas, o que significa que são inerentemente incontroláveis. Não há resposta pronta, tampouco simples. Indivíduos, organizações e a sociedade em geral estão sendo convidados a criar soluções arrojadas, inovadoras e diferentes das que vinham sendo criadas até então. Para sermos capazes de fazer com que sistemas complexos funcionem melhor, precisamos abandonar nossa dependência do líder herói e apoiar líderes que sabem que os problemas são complexos e que, portanto todas as partes do sistema devem ser envolvidas a participar e contribuir.

marina mendes

Marina M. Mendes
Consultora e Coach, Mestre em Serviço Social pela PUC-SP com foco em sustentabilidade, Pós-graduanda em Psicologia Transpessoal pela Alubrat.

Os líderes colaborativos têm uma postura diferente dos líderes heróis, eles são suficientemente sinceros para admitir que nem sempre sabem o que fazer, percebem que é pura tolice confiar apenas neles mesmos para obter as respostas e que podem confiar na criatividade e contar com o compromisso das outras pessoas para realizar o trabalho, que, portanto, respostas mais adequadas, potentes e eficientes podem surgir.

Os líderes colaborativos são aqueles que conseguem extrair dos demais o seu melhor, têm clareza de propósito e o compartilham com as outras pessoas, inspirando-as, motivando-as, delegando poder e autonomia em prol da busca das melhores soluções. Este é um dos grandes, senão o maior desafio colocado hoje para indivíduos e organizações. Reflita sobre isso e até nosso próximo encontro.

Este artigo foi inspirado nas metodologias do Art of Hosting (A arte da liderança colaborativa), comunidade internacional da qual a autora também é membro.

 

banner alubrat

Para anunciar nesta coluna ligue (11) 3106-4171 e fale com Lilian Mancuso