Com fiança

Nas relações humanas, a confiança (tanto para quem recebe quanto para quem confia) é um item de extrema importância

No ambiente empresarial uma pessoa conquista a confiança de outra por meio de sua responsabilidade, da construção de uma carreira de forma ética, do cumprimento de seus compromissos, entre outros fatores.

Até mesmo quando cometemos erros, mesmo não querendo fazê-los, podemos assumi-los com coragem e reparar os danos, o que poderá corroborar para a construção da confiança.

Quem confia faz um depósito em uma conta emocional, na qual há entradas e saídas de valores ao longo do tempo. Estes valores constituem um saldo, que pode ser credor ou devedor.
Porém, antes de fazer qualquer depósito, é melhor avaliar os motivos que levam a acreditar. Pense bem. É necessário alimentar a confiança com respeito, transparência e sinceridade, uma vez que não se pode comprá-la monetariamente.

higino pizze rodrigues

Higino Pizze Rodrigues
Diretor da Academia do Empresário, Coach formado pelo Instituto de Coaching Integrativo e Consultor de Empresas. Contador e Pós-graduado em Gestão Empresarial pela Fecap.

Observando o ambiente empresarial, verificamos o questionamento da confiança em atos que instituem a desconfiança como:

• Reconhecimento de firma nas assinaturas;

• Testemunhas que, em alguns casos, nem sabem muito bem o que estão assinando;

• Os colaboradores que são obrigados a passar o cartão para comprovar seus horários de entrada e saída.

Ainda nas empresas, verificamos que há profissionais que se sentem incomodados com a jornada de trabalho flexível, com o home office, com a tarefa de ensinar o trabalho aos novatos, com a multiplicação do conhecimento, em não fazer horas extras, em não deixar o expediente antes do chefe (chefe?), todas estas atitudes que exalam desconfiança.

Por outro lado, também é possível observar que quando existe um ambiente propício à confiança, o trabalho fica mais leve e bom para a inovação, para a criatividade, para um clima organizacional positivo que produz benefícios para os colaboradores e para a empresa.

Pois bem, confiar é, por exemplo, solicitar uma concessão possível ao seu parceiro comercial, seja ele cliente ou fornecedor, e ser atendido, e não esperar uma insatisfação e conceder apenas no momento em que é solicitado o cancelamento do contrato, para desta forma não perder o negócio.

Em outras palavras, analisando a palavra confiança podemos construir: “com fiar” ou “fiar com”, tecer juntos, dar fiança.
Por fim, é possível estabelecer a confiança no ambiente de trabalho por meio de um processo de educação, na medida em que consideramos que em nosso meio existe a presença do outro, que naturalmente merece respeito, assim construir a confiança traz um sentido às nossas vidas.

 

banner academia empresario

Para anunciar nesta coluna ligue (11) 3106-4171 e fale com Lilian Mancuso