Edson Fachin afasta Aécio do mandato e nega pedido de prisão

Senador Aécio Neves (PSDB-MG).

O ministro do STF, Edson Fachin, negou os pedidos de prisões preventivas do senador Aécio Neves (PSDB-MG) e do deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR)

A decisão foi monocrática e Fachin não pretende levá-la a plenário, a menos que a Procuradoria-Geral da República (PGR) entre com recurso. Fachin também determinou o afastamento dos dois parlamentares de seus cargos, mantendo as prerrogativas, como o foro privilegiado.
Aécio foi citado pelo empresário Joesley Batista, dono do grupo JBS, na delação premiada. Segundo o jornal O Globo, que afirma ter tido acesso ao depoimento, Joesley contou aos procuradores que Aécio lhe pediu R$ 2 milhões para pagar despesas com sua defesa na Operação Lava Jato. O empresário disse que, um primeiro pedido semelhante já lhe tinha sido apresentado pela irmã de Aécio, Andrea Neves – presa em caráter preventivo, na região metropolitana de Belo Horizonte.
Joesley revelou que parte da quantia pedida foi entregue a um primo de Aécio, Frederico Pacheco de Medeiros, ex-diretor da Cemig e um dos coordenadores da campanha do tucano à Presidência da República em 2014. O Globo afirma que a Polícia Federal filmou a entrega do dinheiro a Medeiros e rastreou o caminho percorrido pela mala com as notas até constatar que o primo do senador a entregou a Mendherson Souza Lima, secretário parlamentar do senador Zezé Perrela (PMDB-MG).
Em sua delação, os donos da JBS afirmam ainda que o deputado federal Rodrigo Rocha Loures recebeu R$ 500 mil para interceder em assuntos de interesse da JBS.O parlamentar paranaense foi indicado para resolver as pendências do grupo pelo próprio presidente da República, Michel Temer. Conforme a reportagem, ele foi filmado pela PF recebendo uma mala com o dinheiro. Em nota, a assessoria de Aécio Neves disse que o senador “está tranquilo quanto à correção de todos os seus atos. No que se refere à relação com o senhor Joesley Batista, ela era estritamente pessoal, sem qualquer envolvimento com o setor público. O senador aguarda ter acesso ao conjunto das informações para prestar todos os esclarecimentos necessários”.
O senador Zezé Perrella publicou uma mensagem em seu Twitter por volta das 22h50 de hoje em que diz que nunca conversou com Wesley Batista, não conhece ninguém do grupo Friboi (uma das marcas da JBS) e que nunca recebeu, “oficial ou extraoficial”, nenhuma doação da empresa. A assessoria do deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) informou que o deputado está em Nova York e tem retorno programado para hoje (19) (ABr).

Supremo determina afastamento do deputado Rocha Loures

Deputado Federal Rocha Loures.

O STF confirmou o pedido de afastamento do deputado Rocha Loures (PMDB-PR) do mandato. Na mesma medida cautelar, o STF também determinou o afastamento de Aécio Neves (PSDB-MG) do mandato de senador. Ainda segundo a assessoria do STF, foram negados pedidos para prisão dos dois parlamentares.
Rocha Loures foi citado pelo empresário Joesley Batista, que negocia delação premiada com a Procuradoria-Geral da República. O deputado supostamente teria favorecido o grupo J&F, que controla o frigorífico JBS e outras empresas, a pedido do presidente da República, Michel Temer. Loures foi assessor especial de Temer de outubro de 2016 até março deste ano. A Polícia Federal esteve no gabinete do deputado fazendo busca e apreensão de documentos.
José Luis Oliveira Lima, advogado de Rocha Loures, afirmou em nota que a defesa ainda não teve acesso aos procedimentos que tramitam no STF. “Tão logo se conheça o teor da investigação, todos os esclarecimentos devidos serão apresentados”, disse. Segundo Oliveira Lima, o deputado já se colocou à disposição das autoridades. O documento formal com a decisão do STF ainda não foi recebido pela Secretaria-Geral da Mesa.
Com o afastamento do mandato, Rocha Loures está impedido de exercer suas funções, como votar e participar de debates. Ele pode, no entanto, manter seu gabinete e estrutura de apoio. A Câmara não precisa tomar decisões no caso, que não significa a cassação do deputado, e por isso nem mesmo um suplente será convocado.
Em nota, Aécio afirmou estar “absolutamente tranquilo quanto à correção de todos os seus atos” e que sua relação com o empresário “era estritamente pessoal, sem qualquer envolvimento com o setor público”.
Também em nota, Temer declarou que “defende ampla e profunda investigação para apurar todas as denúncias veiculadas pela imprensa, com a responsabilização dos eventuais envolvidos em quaisquer ilícitos que venham a ser comprovados” (Ag.Câmara).

Líder do DEM afirma que Congresso deve ter maturidade

O líder do DEM, deputado Efraim Filho (PB), afirmou que o Congresso deverá ter maturidade para assumir suas responsabilidades deste momento e aprofundar nos fatos e investigar com celeridade. “O que se precisa é de respostas imediatas”, disse.
Efraim Filho também defendeu que a Congresso continue analisando as reformas enviadas pelo Executivo. “São duas agendas diferentes, a agenda das investigações e a agenda econômica do Brasil. E o Congresso terá de ter a maturidade e a serenidade para avaliar elas de formas diferentes. Caminhando com importância de forma paralela”, afirmou.
O líder do DEM falou que o partido indicaria membros para uma eventual comissão para analisar o possível de impeachment de Michel Temer se for configurado crime de responsabilidade. Os deputados do PSDB se reuniram nesta noite para discutir a situação, mas só haverá um pronunciamento oficial da liderança do partido na Câmara ontem (18), de acordo com a assessoria (Ag.Senado).

Ana Amélia recomenda cautela e prudência

A senadora Ana Amélia (PP-RS) apontou a renúncia do presidente da República, Michel Temer ou a cassação da chapa Dilma-Temer como possíveis saídas pra a crise iniciada após delação de empresários da JBS à Operação Lava Jato. Em seu pronunciamento ontem (18), Ana Amélia disse que o melhor seriam as eleições diretas, mas seguindo o que diz a Constituição.
Para ela, é preciso haver cautela e prudência para não darmos um “jeitinho brasileiro” também nessa situação. “Será que nós vamos continuar encontrando um jeitinho brasileiro para superar a crise? Nós precisamos fazer o nosso trabalho, tendo a Constituição como bíblia e a democracia e a liberdade como religião”, afirmou (Ag.Senado).

Para Reguffe, eleições diretas podem pacificar o país

O senador Reguffe (sem partido-DF) defendeu a aprovação da proposta de sua autoria, que prevê a realização de eleições diretas em caso de impedimento do presidente da República e do vice até o terceiro ano do mandato. A proposta, que está na Comissão de Constituição e Justiça, altera o artigo 81 da Constituição, que determina a realização de eleição indireta pelo Congresso Nacional em caso de afastamento do titular do cargo e de seu vice no segundo ano do período presidencial.
Para Reguffe, a realização de eleições diretas abre um caminho para a saída da crise e pacifica o país. A aprovação da proposta, em sua avaliação, seria uma resposta do Senado à sociedade diante do agravamento da crise política com a delação dos executivos da J&F, dono do Friboi. O senador sugeriu também a imediata renúncia do presidente Michel Temer (Ag.Senado).

PF prende primo de Aécio Neves e assessor de Zezé Perrella

PF cumpre mandado de busca e apreensão em Belo Horizonte.

A Polícia Federal prendeu ontem (18), Frederico Pacheco de Medeiros, primo do senador suspenso Aécio Neves (PSDB-MG), que foi afastado do mandato a pedido ministro relator da Operação Lava Jato no STF, Edson Fachin. O mandado de prisão de Medeiros foi emitido após o jornal O Globo noticiar que gravações em posse da Justiça revelam o parlamentar pedindo uma propina de R$2 milhões a Joesley Batista, dono do frigorífico JBS.
Aécio teria indicado seu primo para receber o montante. Segundo o jornal, as gravações fazem parte da delação premiada da JBS. A delação foi mantida em sigilo. Frederico foi encontrado em um condomínio na região metropolitana de Belo Horizonte. Mais cedo, também foi presa Andrea Neves, irmã de Aécio. Foi cumprido ainda um mandado de prisão contra Mendherson Souza Lima, assessor do senador Zezé Perrella (PMDB-MG).
Segundo o jornal O Globo, investigações mostraram que os recursos pedidos por Aécio Neves ao dono do frigorífico foram depositados na conta de uma empresa de Perrella. Todos os mandados são de prisão preventiva e foram assinados por Edson Fachin, ministro do STF, relator dos processos relacionados com a Operação Lava Jato. Também foi determinado o afastamento de Aécio Neves de suas funções parlamentares (ABr).

Falta de recursos prejudica defesa e controle aéreo

Comandante da Aeronáutica, tenente brigadeiro-do-ar Nivaldo Luiz Rossato (E), e o presidente da CRE, senador Fernando Collor.

Os cortes de verbas e restrições orçamentárias que atingem o controle de tráfego aéreo nos últimos anos já afetam a confiabilidade do sistema no Brasil. O alerta foi feito pelo comandante da Aeronáutica, tenente brigadeiro-do-ar Nivaldo Luiz Rossato, em audiência pública realizada na Comissão de Defesa Nacional do Senado. “A Força Aérea se ressente dessa falta de recursos. É relativamente grave. O país parou de investir enquanto o custeio não para de aumentar. Isso acaba degradando em parte o sistema, a confiabilidade é prejudicada”, alertou.
De acordo com o comandante, os recursos são contingenciados apesar de serem oriundos de tarifas com destinação específica para o setor, não provenientes do Tesouro Nacional. O comandante também reclamou pelo fato de o Ministério dos Transportes não estar mais repassando à Força Aérea a parte equivalente à manutenção da Comissão de Aeroportos da Região Amazônica (Comara). “A Comara está há dois anos à míngua. Ou voltam esses repasses ou vamos fechar a Comara, porque essa estrutura deteriora rapidamente sem manutenção”, lamentou.
Por isso, ele pede uma ação para o retorno desses recursos, que chegaram a representar R$ 300 milhões por ano. O setor, segundo o comandante, está consciente da atual conjuntura de restrições orçamentárias, mas acredita que a sociedade brasileira não pode abrir mão de investir pelo menos R$ 100 milhões por ano. “Talvez seja esse o interesse de grande parte do mundo, que deixemos a Amazônia para que seja transformada numa reserva internacional. Se queremos nossa presença lá, esta é uma responsabilidade da Força que tem que ser dividida com toda a sociedade brasileira”, afirmou.
O comandante também pediu atenção urgente para a necessidade de modernizar a frota de aviões-radares, que fazem a vigilância das fronteiras. A quantidade desses instrumentos também vem caindo devido à falta de investimentos, informou Rossato. Outro setor negligenciado cronicamente pelo país é o de pesquisas espaciais. O Brasil, informou Rossato, investe somente 0,06% do PIB nessa área, cerca de U$ 100 milhões. A Argentina, observou ele, tem investido cerca de U$ 1,2 bilhão por ano, 12 vezes mais que o Brasil.(Ag. Senado).

Exigência de placas educativas sobre trânsito em estradas

A Comissão de Viação e Transportes da Câmara aprovou o projeto que obriga o Denatran a colocar placas educativas nas rodovias federais, a cada 50 km. Pela proposta, do deputado Vinicius Gurgel (PR-AP), a exigência também valerá para os trechos rodoviários federais concedidos à iniciativa privada. O parecer da relatora, deputada Christiane de Souza Yared (PR-PR), foi favorável à aprovação da proposta, com emenda. Ela altera o dispositivo no qual a medida é inserida no Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97).
“Em um país continental, com rodovias que alcançam até 4.658 km, caso da BR-101, a colocação de placas educativas ao longo de sua extensão incita a atenção do motorista e reforça o aprendizado da boa conduta”, disse a relatora. A proposta será analisada em caráter conclusivo pela Comissão de Constituição e Justiça (Ag.Câmara).

Mais artigos...

  1. Política 18/05/2017
  2. Política 17/05/2017
  3. Política 16/05/2017
  4. Política 13 a 15/05/2017
  5. Política 12/05/2017
  6. Política 11/05/2017
  7. Política 10/05/2017
  8. Política 09/05/2017
  9. Política 06 a 08/05/2017
  10. Política 05/05/2017
  11. Política 04/05/2017
  12. Política 03/05/2017
  13. Política 29/04 a 02/05/2017
  14. Política 28/04/2017
  15. Política 27/04/2017
  16. Política 26/04/2017
  17. Política 25/04/2017
  18. Política 21 a 24/04/2017
  19. Política 20/04/2017
  20. Política 19/04/2017
  21. Política 18/04/2017
  22. Política 14 a 17/04/2017
  23. Política 13/04/2017
  24. Política 12/04/2017
  25. Política 11/042017
  26. Política 08 a 10/04/2017
  27. Política 07/04/2017
  28. Política 06/04/2017
  29. Política 05/04/2017
  30. Política 04/04/2017
  31. Política 01/04/2017
  32. Política 31/03/2017
  33. Política 30/03/2017
  34. Política 29/03/2017
  35. Política 28/03/2017
  36. Política 25 a 27/03/2017
  37. Política 24/03/2017
  38. Política 23/03/2017
  39. Política 22/03/2017
  40. Política 21/03/2017
  41. Política 18 a 20/03/2017
  42. Política 17/03/2017
  43. Política 16/03/2017
  44. Política 15/03/2017
  45. Política 14/03/2017
  46. Política 11 a 13/03/2017
  47. Política 10/03/2017
  48. Política 09/03/2017
  49. Política 08/03/2017
  50. Política 07/03/2017
  51. Política 04 a 06/03/2017
  52. Política 03/03/2017
  53. Política 02/03/2017
  54. Política 25/02 a 01/03/2017
  55. Política 24/02/2017
  56. Política 23/02/2017
  57. Política 22/02/2017
  58. Política 21/02/2017
  59. Política 18 a 20/02/2017
  60. Política 17/02/2017
  61. Política 16/02/2017
  62. Política 15/02/2017
  63. Política 14/02/2017
  64. Política 11 a 13/02/2017
  65. Política 10/02/2017
  66. Política 09/02/2017
  67. Política 08/02/2017
  68. Política 07/02/2017
  69. Política 04 a 06/02/2017
  70. Política 03/02/2017
  71. Política 02/02/2017
  72. Política 01/02/2017
  73. Política 31/01/2017
  74. Política 28 a 30/01/2017
  75. Política 27/01/2017
  76. Política 25 e 26/01/2017
  77. Política 24/01/2017
  78. Política 21 a 23/01/2017
  79. Política 20/01/2017
  80. Política 19/01/2017
  81. Política 18/01/2017
  82. Política 17/01/2017
  83. Política 14 a 16/01/2017
  84. Política 13/01/2017
  85. Política 12/01/2017
  86. Política 11/01/2017
  87. Política 10/01/2017
  88. Política 07 a 09/01/2017
  89. Política 06/01/2017
  90. Política 05/01/2017
  91. Política 04/01/2017
  92. Política 03/01/2017
  93. Política 30/12/2016 a 02/01/2017
  94. Política 29/12/2016
  95. Política 28/12/2016
  96. Política 27/12/2016
  97. Política 23/12/2016
  98. Política 22/12/2016
  99. Política 21/12/2016
  100. Política 20/12/2016