Mario Enzio

Duas caras

Seres que apresentam dualidades em suas intenções. São protagonistas de atitudes falsas e arrogantes.

 

Será que conseguimos ter alguma noção do número de pessoas hipócritas que podem estar ao nosso lado? São aqueles seres que pensam de uma maneira sobre um determinado assunto, mas em geral, agem de maneira diversa. Dizem pela frente: - Que lindo, que educado, que pessoa inteligente! Mas, por trás desdenham de quem estavam dialogando.

Por vezes, para puxar um assunto. Para ser alvo de atenção, o hipócrita de plantão dá sua opinião para ser reconhecido. Não sabe do que está falando, nem a quem irá ofender, mas aprecia o assunto. Dá sinais de que sabe muito, e não se opõe aos costumes, pois quer somente agradar a quem lhe ouve.

Penso nesses opostos. Divagando do que andam postando nas redes sociais, vejo que os duas caras, os tais hipócritas, não se revelam. Preferem agir atirando para todos os lados. Eles fazem o tipo radical ou o tipo salvador da pátria com ressalvas. Em geral, podem ficar selecionando as mensagens que lhe convém na hora de compartilhar. Agem conforme os ventos.

Se esses sopram para o lado do quanto pior melhor, pode ser favorável. Se os ventos mudam e sopram para o lado de que há uma solução nos cenários políticos ou econômicos, isso é algo que precisa ser checado. Há que se desconfiar, pois não se resolvem as coisas assim tão de repente.

O que convém a uma pessoa do tipo duas caras? É uma questão difícil de ser respondida, porque exigiria uma analise profunda nos sentimentos inconscientes de cada ser. O que nos parece quase impossível de se imaginar. Para ficarmos com uma resposta ampla, geral e irrestrita diríamos que o que convém a um sujeito dessa estirpe é o que está sendo bom, agradável, benéfico ou lucrativo naquele momento.

Eles podem distorcer as palavras para que seu enredo seja crível. E fazem com tranquilidade e sem qualquer atitude ética ou mínima compostura. Geralmente, a moral de um hipócrita é tão instável quanto às entradas de frentes frias num inverno intenso. Ou seja, variam conforme a pressão do ambiente. Sendo que seu humor pode oscilar em questão de segundos.

Quando são postos à prova confrontando suas posturas ou afirmações, são capazes de tudo para nos convencer do contrário. Querem mostrar que são sinceros, mas são incapazes de sustentar um argumento lógico. Falam que gostam da verdade, mas vivem na mentira, e tem receio de mostrar suas exatas intenções.

O desafio é saber enxergar esse tipo de pessoa na multidão, no seu cotidiano, no trabalho, nas pretensas relações de coleguismo, e nas repartições e administrações públicas de nossa República. Agradeço a todos os santos e divindades quando consigo reconhecer alguém com essas características nefastas. Por que posso me prevenir de suas investidas e até de seu convívio pernicioso.

(*) - Escritor, Mestre em Direitos Humanos e Doutorando em Direito e Ciências Sociais. Email: (O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.).