Turbulência

É um estado alterado, de perturbação da ordem, que pode ser até de comoção. Mas, também há pessoas que tem esse caráter de inquietação desde pequeno.

Podemos, se entrarmos por esse caminho, definirmos como déficit de atenção, hiperativos, e se não controlar esse jeito de ser, como pessoas problemáticas. Sabem como são as pessoas que nascem para serem desordeiras, que na sua mecânica de fluídos, a bílis contribui para ao chegar num ambiente já se fazer notar? Pois é, tumultuar é com elas. Claro que esse fluxo turbulento tem uma hora que escoa e o alvoroço se mantém em ordem.

Num navio, quando as ordens do capitão não eram respeitadas, um motim era conflagrado, a disputa por quem iria mandar daquele momento em diante. Afinal, enfrentar uma tormenta em alto mar, sem saber para onde se está indo, não é para qualquer marujo inexperiente, nem para quem quer se arriscar no desconhecido.

Melhor é ficar com as regalias que já se têm. Então, o melhor caminho é uma pequena revolta para mostrar poder.

A agitação é a ordem no recreio, ruidosa, desordenada, mas que as crianças parecem se entender. É como se inconscientemente tivessem certeza de que aquilo que estão fazendo é melhor naquele momento. Há uma comunicação que não se consegue compreender. Como, aquela movimentação no ar, em grandes altitudes, olha-se o céu limpo, mas o avião balança. Há uma corrente de ar que joga, empurra, há uma mudança brusca de temperatura, na velocidade ou na pressão do ar.

Quando a mudança é de uma hora para outra ou quando acontecem variações seguidas, não há como controlar um avião rapidamente, o mesmo ocorre quando um grupo de pessoas resolve fazer manifestações de surpresa numa rua da cidade, sem que tenham combinado anteriormente. Ou mesmo quando se vivencia um ataque terrorista, não há como se adaptar aquela pressão que se está sofrendo.

Assim como no avião, essas massas descontroladas mudam a sustentação de quem estava em equilíbrio. E, nessa esteira de turbulência que afeta toda a natureza das coisas, dependendo de suas intensidades, é melhor não entrar em áreas de instabilidade.

Quando sabemos o que vamos enfrentar, fica mais fácil administrar e resistir às influências e dificuldades. Como em observação de no nosso dia a dia, seja pela fumaça de uma chaminé, na sua relativa calmaria, ou o sofro de um vento forte, tudo varia com sua intensidade.

Podemos retratar que interesses se assemelham nesse sentimento, que podem ser um jeito de ser de alguém ou de um grupo que quer se relacionar com outros ou que quer apenas chamar a atenção. Se for só isso, damos conta. Se for para querer trazer de volta as tempestades e o movimento caótico e imprevisível do que é irregular, entendo que isso não se quer.

O movimento turbulento tem muitas escalas e uma das habilidades é misturar tudo sem que se saiba onde se irá chegar. Qualquer semelhança com o que estamos vivendo é mera coincidência.

(*) - Escritor, Mestre em Direitos Humanos e Doutorando em Direito e Ciências Sociais. Email: (O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.).