“A Arca de Noé”

“A Arca de Noé”, de Vinícius de Moraes e Toquinho, é um verdadeiro caso de amor da literatura, do teatro e da música popular brasileira

Cena do infantil “A Arca de Noé”.

Vinícius escreveu poemas de espírito infantil para seus filhos e um dia resolveu transformá-los em música com a parceria de Toquinho. Dali para o teatro foi um pulo e “A Arca de Noé” com alguns de seus poemas mais famosos como “O Pato”, “Corujinha”, “Pinguim” e “São Francisco” transformaram-se em verdadeiros hinos cantado por crianças do Brasil inteiro. É uma verdadeira viagem pelo mundo encantado das rimas, da imaginação e da inteligência. Com Edson Bueno, Jeff Bastos, Marvhem Hd ou Lilian Marchiori, Marcelina Fialho, Robysom Souza, Ingrid Bozza e Vivian Schimitz.

Serviço: Teatro Gazeta, Av. Paulista, 900. Sábados e domingos às 16h. Ingresso: R$ 80. Até 21/05.

REFLEXÃO

OFENSAS E OFENSORES: Tão logo apareçam diante de nós quaisquer problemas de injúria, prejuízo, discórdia ou incompreensão, é imperioso observar quão importante para o espírito é o estudo das próprias reações, a fim de que a mágoa não entre em condomínio com as forças que nos habitam a mente. Ressentir-nos é cortar os tecidos da própria alma ou acomodar-nos com o veneno que se nos atiram, acalentando o sofrimento desnecessário ou atraindo a presença da morte. Isso porque, à face da lógica, todas as desvantagens no capítulo das ofensas pesam naqueles que tomam a iniciativa do mal. O ofensor pode ser a criatura que está sob lastimáveis processos obsessivos, que carregam enfermidades ocultas, que age ao impulso de tremendos enganos, que atravessa a nuvem do chamado momento infeliz, e, quando assim não seja, é alguém que traz a visão espiritual enevoada pela poeira da ignorância, o que, no mundo, é uma infelicidade como qualquer outra. Cabem, ainda, ao ofensor o pesadelo do arrependimento, o desgosto íntimo, o anseio de reequilíbrio e a frustração agravada pela certeza de haver lesado espiritualmente a si próprio. Como esperar que a Divina Misericórdia nos suprima o amparo ou o remédio, o socorro ou a lição, se as horas difíceis são os instrumentos de que carecemos para que se nos sulque convenientemente o espírito para as tarefas do necessário burilamento? Se provações constrangedoras te alcançam a estrada, não te permitas a omissão da luta, através de fuga ou desânimo. Persevera trabalhando na área em que te afligem, na certeza de que são fatores de promoção a te elevarem de nível. Tolera as condições desfavoráveis que te repontem na senda de cada dia, pois, se as aceitas, servindo e construindo, logo observarás que o amparo do Alto te sustenta na travessia de todas elas, porque em nenhum lugar e em tempo algum estaremos nós separados de Deus. (De "Alma e Coração", de Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito de Emmanuel)

MPB e Japão

Jun Miyake

A Japan House São Paulo está prestes a abrir as portas! Para celebrar sua inauguração, teremos grandes nomes da música japonesa: Ryuichi Sakamoto e Jun Miyake. Sakamoto se apresenta com os músicos brasileiros Jaques Morelenbaum e Paula Morelenbaum, com um repertório que inclui Bossa Nova e Tom Jobim. Miyake fará sua primeira apresentação no Brasil, acompanhado por um grupo variado de talentos, como o Cosmic Voices da Bulgária, o jovem brasileiro Bruno Capinan e outras parcerias.

Serviço: Auditório do Ibirapuera, Av. Pedro Alvares Cabral, s/n, Portão 2, Parque Ibirapuera. Domingo (7) às 18h. Entrada franca.

Homenagem

Érica Pinna homenageia o Dia das Mães Interpretando as grandes cantoras brasileiras.

A cantora e compositora, Érica Pinna é uma das novas promessas da música brasileira. A artista de timbre marcante e estética pop estreia o show Visceral . O espetáculo é uma homenagem às mães, no mês dedicado a elas, cujo repertório reverencia as grandes intérpretes da música brasileira. Érica canta acompanhada por uma banda inteiramente feminina: Anete Ruiz (piano), Luciana Romanholi (guitarra), Fernanda Horvath (baixo), Roberta Kelly (percussão) e Nicole Paes (bateria). No repertório do show, destaque para “Força Estranha” (Caetano Veloso), “Partido Alto” (Chico Buarque), “Pagu” (Reta Lee), “Mentiras” (Adriana Calcanhotto), “Olhos nos Olhos” (Chico Buarque), “Sem Fantasia” (Chico Buarque), “A Noite do Meu Bem” (Dolores Duran), “Por Causa de Você” (Tom Jobim e Dolores Duran), entre outras.

Serviço: Unibes Cultural, R. Oscar Freire, 2.500, Sumaré, tel. 3065-4333. Sexta (12) às 20h30. Ingressos: de R$ 40 a R$ 64.

Turfe

Acontece dias 6 e 7 a 93ª edição do Grande Prêmio São Paulo de Turfe. O evento contará com diversas atrações além das corridas de cavalo, que serão realizadas durante todo o fim de semana, até o páreo principal no domingo, às 17h. Com o objetivo de oferecer um dia diferente para toda a família, contará com um Food Park repleto de opções gastronômicas. Para as crianças, Espaço Kids com brinquedos e atividades preparadas por monitores, além dos passeios a cavalo que ocorrerão durante o evento, também de forma gratuita.

Serviço: Jockey Club de São Paulo, Av. Lineu de Paula Machado, 1263, Cidade Jardim, tel. 2161-8300. Sábado (6) e domingo (7) das 13h às 20h. Entrada franca.