Teorema 21

“Teorema 21”

O Grupo XIX de Teatro apresenta o espetáculo “Teorema 21”.

Com dramaturgia de Alexandre Dal Farra, o espetáculo foi livremente inspirado na obra Teorema, do italiano Pier Pao­lo Pasolini (1922-1975). Na trama, uma família retorna ao seu antigo lar. Ao buscar encontrar novas possibilidades de existência nesse ambiente antigo, recriam as suas relações e experimentam novas formas de contato. O núcleo familiar é constituí­do por um patriarca, a mãe, o filho e a filha. Vive na casa, ainda, a criada Emília. Tudo parece estável. Mais do que isso, estagnado. A chegada de um estrangeiro ameaça transformar a estrutura dessa família. A ação acontece na casa onde a família morou há alguns anos e agora volta sem nenhum motivo aparente.

Serviço: Vila Maria Zélia, R. Mário Costa 13, Belém, tel. 2081-4647. Sábados (15, 22 e 29) às 16h. Entrada franca.

REFLEXÃO

SAMARITANOS E NÓS: Quem de nós não terá caído, alguma vez, em abandono ou penúria, aflição, amargura, engano ou perturbação? À face disso, para nós o samaritano da bondade - a criatura que nos reergue ou reanima - será sempre aquela pessoa: que nos acolhe nos dias de tristeza com a mesma generosidade com que nos abraça nos instantes de alegria; que nos estima, assim tais como somos, sem reclamar-nos espetáculos de grandeza, de um dia para outro; que nos levanta do chão das próprias quedas para o regaço da esperança, sem cogitar de nossas fraquezas; que nos alça do precipício da desilusão ao clima do otimismo, sem reprovar-nos a imprevidência; que nos ouve as queixas reiteradas, rearticulando sem aspereza o verbo da paciência e da compreensão; que nos estende essa ou aquela porção dos recursos de que disponha, em favor da solução de nosso, problemas sem pedir relatório de nossas necessidades e compromisso; que nos oferece esclarecimento, sem ferir-nos o brio; que nos ilumina a fé, sem destruir-nos a confiança; que se transforma em harmonia e concurso fraterno, seja em nossa casa, ou no grupo de serviço em que trabalhamos; que se converte no cotidiano em apoio e cooperação, sem exigir-nos tributos de reconhecimento; que por fim, se transubstancia, em nosso benefício em luz e consolação, ampara e bênção. Detenhamo-nos a pensar nisso e lembrando reconhecidamente, quantos se nos fazem samaritanos do auxílio e da bondade, nas estradas da existência recordemos a lição de Jesus e, diante dos outros sejam eles quem sejam, façamos nós o mesmo. Emmanuel - (De "Aulas da Vida", de Francisco Cândido Xavier - Espíritos diversos).

Comédia

Cena de “Iracema via Iracema”.

A tragicomédiaIracema via Iracema conta a história de uma mulher semianalfabeta de origem rural que, em um determinado momento de sua vida, escolhe viver para sempre dentro de ônibus urbano que se desloca pelas ruas da cidade. Com Suzy Lins de Almeida.

Serviço: SP Escola de Teatro, Praça Roosevelt, 210, Consolação, tel. 3775-8600. Quintas sextas e sábados às 21h. Entrada franca. Até 29/04.

Dança

O espetáculo “Ana Bastarda”, do Caleidos Cia de Dança, que estreia hoje 13 de abril explora o universo do feminismo e da condição feminina. O espetáculo compõe-se de relatos, do corpo que dança, da voz que poeta, das cenas que acolhem o público. Encena as violências e as resistências das vozes do feminino ecoando no corpo, no tempo e no espaço.

Serviço: Instituto Caleidos, à Rua Mota Pais, 213, Lapa, tel. 3021-4970. Quinta a sábado às 20h e aos domingos às 19h. Entrada franca. Até 30/04.

O projeto teatro ComVida oferece atrações gratuitas no teatro. Aos sábados temos dança de salão e aos domingos, atividades voltadas ao público infantil.

Serviço: Teatro Sérgio Cardoso, R. Rui Barbosa, 153, Bela Vista, tel. 3288-0136. Sábados, das 14h30 às 16h30 e domingos às 11h. Entrada franca. Até 29/04.

Arte urbana

Na programação de abril da Matilha Cultural, a rua é destaque. Com foco na arte urbana, a exposição Sentido Proibido mostra o trabalho dos artistas Felipe “Risada” e Tony “Pixotosco”. Pintando na rua há mais de 12 anos, eles convivem com o trânsito intenso da metrópole que acolhe seus desenhos. Juntos, integram os Rolinho Bros, grupo de artistas que não usam spray. Seus grifos estão espalhados pelos quatro cantos de São Paulo. Em Sentido Proibido, o ambiente de atuação invade o espaço expositivo. A tela branca dá lugar a carcaças enferrujadas de automóveis e as paredes da Matilha Cultural viram um mural síntese dos últimos cinco anos de parceria dos artistas. Engarrafamentos, buzinadas, placas, trombadas, asfalto, finas educativas e fumaça fazem parte do cardápio de quem escolheu a cidade como suporte para sua arte.

Serviço: Matilha Cultural, R. Rego Freitas, 542, tel. 3256-2636. De terça a domingo das 14h às 20h. Entrada franca, inclusive para cães.

Lasar Segall

A mostra Idas e vindas apresenta um panorama da produção de Lasar Segall, com enfoque especial na “Fase Brasileira” e seus desdobramentos, sem deixar de lado períodos e tendências importantes, como a sua produção inicial, fortemente influenciada pelo impressionismo e pelo período expressionista, até obras dos fins da década de 1950. A exposição conta também com objetos de seu ateliê e residência, bem como textos de autoria do artista, contextualizando cada período abordado.

Serviço: Museu Lasar Segall, R. Berta, 111, Vila Mariana, tel. 2159-0400. De quarta a segunda das 11h às 19h. Entrada franca. Até 22/05.

Mais Lidas