Branca de Neve

Cena do musical infantil “Branca de Neve ao Som dos Beatles”.

O espetáculo infantil “Branca de Neve ao Som dos Beatles” entra em cartaz dia 15

A montagem é uma irreverente e divertida versão do clássico Branca de Neve, um dos mais famosos contos de fadas dos irmãos Grimm. A adaptação se vale de trechos da obra de William Shakespeare para ilustrar o romance de Branca de Neve e Encantado, ao som de músicas dos Beatles. Com 6 atores no elenco, a montagem dialoga com a atualidade trazendo características contemporâneas e expressionistas. A peça é narrada por uma simpática vovó, a própria Branca de Neve, revivendo seu passado. A rainha conhecida tradicionalmente como perversa e má, revela-se uma figura atrapalhada e engraçada, e o espelho ganha ares divertidos, capazes de proporcionar boas gargalhadas. A trilha sonora é embalada por canções do quarteto de Liverpool como Help, Yellow Submarine, Here Comes The Sun e All We Need Is Love. Com Enrico Verta, Mariana Faloppa, Ferruccio Cornaccia, Sara Marques, Lenon e Karina Mathias.

Serviço: Teatro Porto Seguro, Al. Barão de Piracicaba, 740, Campos Elíseos, tel. 3226-7300. Sábados e domingos às 15h. Ingressos: R$ 60 e R$ 40. Até 21/05.

REFLEXÃO

DIANTE DA PAZ: Entendendo-se a paciência, à maneira de ciência da paz, não procures a paz, a distância, de vez que ela reside em ti mesmo. A paz, no entanto, baseia-se na lei da troca que mantém o equilíbrio do Universo, através do binômio "dar e receber". Semeia a paz, a fim de que a recolhas. Quando te não seja possível providenciar a segurança do ambiente fustigado de inquietação, mentaliza a paz por intermédio da palavra e do pensamento. Ante os enfermos, cala os assuntos suscetíveis de criar agitação e oferece-lhes a tranqüilidade, relacionando temas capazes de garanti-la; entretanto, se o verbo não te for facultado, envia idéias de reconforto e encorajamento aos doentes, diligenciando proteger-lhes as forças mentais, ameaçadas de desgoverno. Surpreendendo a discórdia, permanece com a verdade e aclara o caminho, mas emite pensamentos de paz, no rumo dos irmãos em contenda; e, se podes falar, pronuncia a frase edificante que consiga ajudar a extinguir os focos de perturbação ou desequilíbrio. Renteando com alguma criatura menos feliz, por maiores sejam os motivos que a tornem pouco simpática, rememora os vínculos de fraternidade que nos unem fundamentalmente uns aos outros e procura ampara-la mentalmente, abençoando-lhe a presença com silenciosas mensagens de amor e renovação. Se recebes notícias acerca das aflições e provas de alguém, endereça a esse alguém pensamentos de compreensão e consolo que lhe favoreçam o reajuste. Conversando, acalma os que te ouvem. Escrevendo, articula imagens de otimismo e confiança, serenidade e alegria. Lembrando amigos ou inimigos, envia-lhes votos de êxito nas tarefas e compromissos que abracem. Seja a quem seja, auxilia como e quanto puderes, a fim de que todos os que se comunicam contigo permaneçam em paz e alegria. Cada consciência, na Excelsa Criação de Deus, é núcleo de vida independente na Vida Imperecível. Reflete na importância de tua própria imortalidade e recorda, onde estejas, que a paz de teu ambiente começa invariavelmente de ti. Livro Rumo Certo, Espírito Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier.

Comédia romântica

comedia temproario

A peça “Dedo Podre” estreia no proximo dia 19 e, é protagonizada por Nívea Stelmann e Guilherme Boury aborda uma das principais questões da mulher quando o assunto é relacionamento: o que é ter “dedo podre”?. O espetáculo é baseado em histórias reais vividas por Nívea Stelmann e Lua Veiga, autoras do livro homônimo. A montagem é leve e divertida e, ao mesmo tempo, provoca a reflexão sobre a ausência de “sorte” ao procurar um parceiro ideal e se o tal “dedo podre”, existe mesmo. O texto propõe um misto de emoções que pretendem provocar no público a sensação de estarem diante de um espelho, podendo gerar certa identificação na plateia.

Serviço: Teatro Porto Seguro, Al. Barão de Piracicaba, 740, Campos Elíseos, tel. 3226-7300. Quartas e quintas às 21h. Ingressos: R$ 60 e R$ 50. Até 18/05.

Violão e flauta

A flautista e saxofonista brasileira Angela Coltri e o violonista colombiano José Valencia levam o ouvinte a um percurso através da mistura de ritmos que compõe a música latino-americana. O repertório do Duo Entre Latinos, dedicado ao universo da música popular, exige uma intensa participação dos intérpretes na concepção dos arranjos e improvisos, selando o encontro entre estes gêneros musicais como choro (BR), cumbia (CO), frevo (BR), merengue (VEN), salsa (CUB), tango (AR), bambuco (CO), ou pasillo (CO).

Serviço: CPC-USP, R. Major Diogo, 353, Bela Vista, tel. 2648-1501. Domingo (9) às 11h. Entrada franca.

Opressão feminina

Cena do espetáculo “Quarança”.

A nova produção d’A Próxima Companhia, o espetáculo “Quarança”. A peça expõe à luz do teatro questões referentes à opressão feminina em nossa sociedade, tais como o estupro, o feminicídio, a pedofilia e o controle do macho sobre a mulher, seja ela criança, adulta ou idosa. O espetáculo é uma fábula dramatúrgica que conta a história de Alereda, uma cidade fictícia onde o sol é insistente e a terra, esturricada. Alereda é feita de caminhos estreitos, uma trama de vida e morte. Ocupada por um exército de jagunços, liderados pelo temido Sô Déo, o lugarejo tem suas mulheres violentadas, mortas e, uma a uma, quaradas ao sol, veladas sem lua, extintas, carbonizando o chão. Neste contexto surge a guerreira Rosa Ararim, que se posiciona contra este estado falocêntrico de opressão.

Serviço: Espaço Cultural a Próxima Companhia, R. Barão de Campinas, 529, Campoes Elíseos. Sextas e sábados ás 21h e domingos às 19h. Ingressos: R4 20 e R$ 10 (meia). Até 21/05.