“Holly Wood Actors”

Elisa Romero e Gabriel Monteiro.

Dia 4 de março estreia o espetáculo “Holly Wood Actors”

Na peça um diretor monta uma comédia musical em apenas um dia com método revolucionário para atores excepcionais. No primeiro ato, o diretor faz teste de elenco com “cinco” atores (dois homens e uma mulher) que se inscreveram para a audição. No segundo ato, o diretor promove um e único ensaio da peça Carmensita que terá estreia em uma semana. O terceiro ato é a apresentação da primeira parte da peça Carmensita de acordo com a concepção das técnicas do diretor. O quarto ato é o ponto alto do espetáculo, que é uma coreografia de flamenco que os atores se viraram para aprender através de um vídeo. Com Elisa Romero, Gabriel Monteiro, Hermano Leitão, Luana Martins e Pedro Lemos. Comédia Musical.

Serviço: Teatro Bibi Ferreira, Av. Brigadeiro Luís Antônio, 931, Bela Vista, tel. 3105-3129. Sábados às 23h30. Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia). Até 24/06.

REFLEXÃO

EXERCÍCIO DE COMPAIXÃO

Se fosses o pedinte agoniado que estende a mão à bondade pública...
Se fosses a mãezinha infeliz, atormentada pelo choro dos filhinhos que desfalecem de fome...
Se fosses a criança que vagueia desprotegida à margem do lar...
Se fosses o pai de família, atribulado, ante a doença e penúria que lhe devastam a casa...
Se fosses o enfermo desamparado, suplicando remédio...
Se fosses a criatura caída em desvalimento, implorando compreensão...
Se fosses o obsidiado, carregando inomináveis suplícios interiores, para desvencilhar-se das trevas...
Se fosses o velhinho atirado às incertezas da rua...
Se fosses o necessitado que te roga socorro, decerto perceberias com mais segurança a função da fraternidade para sustento da vida.
Se estivéssemos no lado da dificuldade maior que a nossa, compreenderíamos, de imediato, o imperativo da caridade incessante e do auxílio mútuo.
Reflitamos nisso. E nós, que nos afeiçoamos a estudos diversos, com vistas à edificação da felicidade e ao aperfeiçoamento do mundo, façamos quanto possível, semelhante exercício de compaixão.

Albino Teixeira (De "Caminho Espírita", de Francisco Cândido Xavier - Espíritos diversos)

“Quase Cinquenta Tons de Cinza”

quase temporario

“Quase Cinquenta Tons de Cinza” trata de uma releitura cômica do livro que causou a maior polêmica mundial sobre o assunto. Uma paródia bem humorada focada principalmente no comportamento do personagem Cristian Grey. A comédia romântica satiriza os melhores momentos do livro. Um espetáculo leve que não cai no vulgar. A direção toma o cuidado de brincar com o tema sem fazer críticas a ele. O espetáculo “Quase Cinquenta Tons de Cinza” seguiu a receita e vem lotando os teatros por onde passa.

Serviço: Teatro Ruth Escobar, R. dos Ingleses, 209, Bela Vista. Sextas às 21h30, sábados às 21h30 e domingos às 19h30. Ingressos: R$ 50 e R$ 25 (meia).

Patchwork

Técnica conhecida por seus desenhos delicados, o patchwork em português, trabalhos com retalhos, vem ganhando contornos ousados. Com novas linguagens, ganhou status de arte. Todo o resultado da criatividade dos artistas plásticos que hoje se dedicam a técnica pode ser conferido na 17ª. Edição da Patchwork Design, que reúne uma feira especializada do setor têxtil e a Contemporâneo A Contemporâneo Exposição Internacional de Arte Têxtil vai apresentar 70 trabalhos de 56 artistas (46 artistas estrangeiros e 10 artistas brasileiros). Entre os estrangeiros, destaque para o trabalho da artista americana Barbara O Steen.

Serviço: Centro de Convenções Frei Caneca, R. Frei Caneca, 569, Consolação. De quinta (16) a sábado (18) das 13h às 19h. Ingressos: R$ 24 e R$ 12 (meia).

Realidade brasileira

Cena de “Material Bond”.

Estreia dia 2 de março a mais nova obra da Kiwi Companhia de Teatro: “Material Bond”, uma peça que discute os desequilíbrios das sociedades contemporâneas, traz para a cena a realidade brasileira, a brutalidade da ação policial e a criminalização dos movimentos sociais, sintomas da injustiça social, da violência de Estado e os processos de desumanização, moeda corrente nos dias atuais. A montagem tem como força motriz parte da obra do britânico Edward Bond, um dos mais importantes dramaturgos vivos da atualidade. No elenco estão a atriz Fernanda Azevedo e o multi-instrumentista Eduardo Contrera, sob roteiro e direção de Fernando Kinas.

Serviço: Oficina Cultural Oswald de Andrade, R. Três Rios, 363, tel. 3221-4704. Quintas e sextas às 20h, sábados às 18h. Entrada franca. Até 25/03.

Romântica

A peça Tô Grávida estreia no proximo dia três e fala de uma das épocas mais lindas, porém delicada, da vida de um casal: a gravidez e o nascimento do bebê. A história de Thales e Bianca é contada em dois tempos distintos: o presente - onde os dois estão fazendo terapia de casal e falam diretamente com a plateia, criando assim uma cumplicidade imediata com o público; e o passado, que entremeia o discurso deles, contando e ilustrando sua trajetória em cenas hilariantes. Com Fernanda Rodrigues e Paulo Vilhena.

Serviço: Teatro Cetip, R. Coropés, 88, Pinheiros, tel. 4152-9370. Sextas e sábados às 21h e aos domingos às 18h. Ingressos: R$ 70 e R$ 80. Até 30/04.