ROCKY Drama

Nicole Cordery

A peça “Alice, Retrato de Mulher que Cozinha ao Fundo” discute as fronteiras entre realidade e ficção, entre as histórias e suas dissonantes interpretações

Nela, Alice passeia por diferentes tempos e espaços, numa espécie de mosaico. Escolher a personagem real, ao mesmo tempo fictícia, de Alice B. Toklas potencializa múltiplas miradas sobre a relação de amor entre essas duas mulheres e sobre como influenciaram e foram influenciadas pela efervescente Paris dos anos 20 e 30. Aos sábados, após o espetáculo, haverá bate-papo com atriz, diretora e dramaturga da peça, Nicole Cordery, Malú Bazán e Marina Corazza, respectivamente, e a jornalista convidada Gabriela Longman.

Serviço: Oficina Cultural Oswald de Andrade, R. Três Rios, 363, Bom Retiro, tel. 3222-2662. Quintas e sextas às 20h e sábados às 18h. Entrada franca. Até 28/01.

REFLEXÃO

Caminho Certo
Não te esqueças de que a tua vida toma a direção dos teus passos. O caminho que percorres é o de teus interesses e necessidades. Existem caminhos para os cimos e estradas para o abismo. Acautela-te contra os atalhos - caminhos de aparência tranqüila mas repleto de desilusões. É penoso recomeçar a jornada, depois de longo trecho percorrido. Certifica-te de que estejas no rumo certo. Facilidades extremas são indícios de caminhos sinuosos. Muitas pedras de tropeço são degraus de ascensão, escoras para os teus pés. Não te apresses. Passo a passo, avança sustentando a cruz. Livro: Vigiais e Orai/Irmão José/Carlos Baccelli.

Raízes

Bixiga 70

Concebido em um processo coletivo de composição e arranjos sem idéias pré-concebidas, preservando ao máximo a liberdade criativa do conjunto. Traz uma sonoridade que aprofunda nas raízes da banda Bixiga 70 que remetem aos pontos de candomblé, à música malinké do oeste africano, hip hop, funk latino, cena Black Rio dos anos 70 e à música de rua dos carnavais brasileiros, das ruas de São Luís do Paraitinga às ladeiras de Olinda.

Serviço: Campo Limpo, R. Nossa Senhora do Bom Conselho, 120, Campo Limpo. Quarta (25) às 18h. Entrada franca.

Melodrama

A peça Docka Rey conta com a presença de tipos bem conhecidos: a mocinha, o vilão, o mafioso rico e dissimulado, o tutor, o braço direito, quase mordomo, os criminosos, a profetisa e os miseráveis. O espetáculo assume elementos do melodrama, trazendo credibilidade para as coisas farsescas, com sarcasmo e ironia permanentes, procurando na luz e nas projeções, determinantes para confirmar a proposta da direção. Com Alex Viana, Gigi Santos, Monique Carvalho, Juliano Sawa, Oberdan Quintino, Ricardo Marques e Sabrina de Souza.

Serviço: Teatro Commune, R. da Consolação, 1218, Consolação, tel. 3476-0792. Sextas às 21h. Ingresso: R$ 40. Até 17/02.


Inclusão

A exposição Portas Abertas para a Inclusão apresenta 38 imagens da fotógrafa Patrícia Albuquerque, capturadas em escolas públicas de 12 capitais brasileiras. Elas retratam atividades que promovem a inclusão de crianças e adolescentes com deficiência em aulas regulares de Educação Física. A mostra é resultado do projeto Portas Abertas para a Inclusão - Educação Física inclusiva, que já está em sua terceira edição (para conhecer mais, acesse rm.org.br/portas).

Serviço: Shopping Metrô Boulevard Tatuapé, R. Gonçalves Crespo, Tatuapé, tel. 2225-7000. De segunda a sábado das 10h às 22h, domingos e feriados das 14h às 20h. Entrada franca.

Ballet

Memória é um trabalho de resgate da produção artística do Stagium ao longo destes 46 anos. Tomando como fio condutor o sistema coringa, os bailarinos se transportam para algumas das propostas do Stagium exploradas desde a sua fundação em 1971. É o Stagium em constante transito entre tradição e ruptura, resgatando a si próprio numa emocionante viagem no tempo. Dessa vez, a prioridade está nos bailarinos e nos movimentos que eles desenham com a força e o emprenho daqueles que se comprometem e honram a relevância do seu fazer Preludiando chama a atenção para a maneira de lutar pela sobrevivência sem abrir mão de seus valores. Nesse momento, o Stagium reafirma as escolhas que pavimenta o seu percurso ao resgatar o compositor brasileiro Claudio Santoro do esquecimento no qual tem sido mantido. Com Paula Perillo, Ariadne Okuyama, Roberta Silva, Raquel Gattermeier, Luiza Vilaça, Sabrina Cavallari, Eugenio Gidali, Marcos Palmeira, John Santos, Gustavo Lopes, Alexandre Bóia e Vinicius Anselmo.

Serviço: Teatro J. Safra, R. Josef Kryss, 318, Barra Funda, tel. 3611-3042. Sexta (27) e sábado (28) às 21h30 e domingos, às 20h. Ingresso: R$ 40.

Duo de Cellos

Rebeca Friedmann e Érica Beatriz Navarro apresentam repertório que passeia pelo universo da música universal, rompendo a barreira do erudito e popular: da valsa a catira, maracatu ao tango, salsa, música barroca, baião , o groove, além de re-arranjos de ‘Disparada’ de Geraldo Vandré e ‘Duo de Cellos’ de Hermeto Pascoal.

Serviço: R. do Carmo, 147, Centro, tel. 3111-7000.Sesc Carmo, De terça a sexta, às 12h15. Entrada franca. Até 27/01.