Contato: (11) 3043-4171

Novo Ciclo

Elenco da peça “Pergunte ao Tempo”.

No drama “Pergunte ao Tempo” um jovem e sua ex-namorada aguardam a chegada de alguém. É noite de ano novo e em menos de uma hora os ponteiros do relógio anunciarão o começo de um novo ciclo. O que fazer quando nem a fé e a ciência são capazes de preencher o coração de um homem? Pergunte ao tempo. Texto e direção de Otávio Martins, com Luiz Damasceno, Giovani Tozi e Guta Ruiz.

Serviço: Centro Cultural Banco do Brasil, R. Álvares Penteado, 112, Centro, tel. 3113-3651. Segundas, terças e quartas às 20h. Ingresso: R$ 10.

REFLEXÃO

CARIDADE...

A palavra caridade, face ao mau uso que se tem feito do conteúdo que ela reveste, passou a significar um disfarce mediante o qual se ocultam sentimentos inferiores, que assumem falsa condição de nobreza. Inúmeros indivíduos e Organizações inescrupulosas exploram-lhe o lapidar conceito que sem vem deteriorando, vivendo às custas da desventura e das necessidades alheias, assumindo posições de benfeitores e promotores do bem, quando não passam de vis assaltantes dos direitos dos pobres e infelizes que buscam agasalhar-se sob a proteção da inigualável virtude, que se faz mãe da fé e irmã da esperança. Alardeiam-lhe a prática enquanto a utilizam nos jogos sórdidos da exploração, repassando o mínimo do muito que recolhem, não raro distribuindo-se as dádivas mirradas com verbetes ácidos, cenho carrancudo e gestos ásperos, que mais humilham os que perderam, ou chegaram a possuir bens, e se vêem obrigados a renunciar à dignidade pessoal, à honradez, ante a imposição rude das necessidades. Tais campeões da caridade, aplaudidos até, e respeitados nos círculos das vãs conveniências humanas, quando mudar a cena do teatro da vida retornarão ao palco onde antes brilharam, com outros figurinos e atuações inversos ao comportamento atual, quando serão os recorrentes, não mais os doadores... É o inexorável impositivo da Lei Divina! [...] (De “Árdua ascensão”, de Divaldo P. Franco, pelo Espírito Victor Hugo).

34º Panorama da Arte Brasileira

Obra da exposição  34º Panorama da Arte Brasileira.

Destacar as primeiras manifestações artísticas tridimensionais de que se tem notícia, produzidas entre 4.000 e 1.000 anos A.C., no território que hoje é Brasil e propor uma experimentação sobre como isso pode dialogar com a produção nacional contemporânea. Esse é o mote do 34º Panorama da Arte Brasileira. Para traçar um paralelo entre as esculturas pré-históricas encontradas em uma faixa que se estende no que hoje é o sudeste do Brasil até o Uruguai e propor um diálogo atual, os curadores convidaram Berna Reale, Cao Guimarães, Cildo Meireles, Erika Verzutti, Miguel Rio Branco e Pitágoras Lopes, seis artistas de gerações e regiões diferentes e com pesquisas artísticas contrastantes. Os selecionados produzem trabalhos que conjecturam o Brasil e que são apresentados ao lado das cerca de 60 esculturas líticas em pedra polida exibidas pela primeira vez numa grande exposição, que une o presente e o passado e aguça a discussão sobre a arte nacional.

Serviço: MAM (Museu de Arte Moderna de São Paulo), Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, portão 3, Ibirapuera, tel. 5085-1300. De terça a domingo das 10h às 17h30. Ingresso: R$ 6. Até 18/12.

LANÇAMENTO DVD “LEVE”

Flávia Bittencourt

A cantora e compositora Flávia Bittencourt faz show de lançamento do DVD “Leve”. O espetáculo tem participação especial do multiartista potiguar Antúlio Madureira, que também participa do DVD, na composição “Assum Preto”. Flávia gravou as composições inéditas “Rèconfort” (versão em francês de Clélia Morali para “De Volta Pro Aconchego”, de Dominguinhos e Nando Cordel), “Maracá Curumim” (Carlinhos Veloz) “Um Teu Segundo” e “Leve” (Flávia Bittencourt) e “Solidão” (Sérgio Habibe). Completam o repertório, músicas de autores consagrados, como “Hoje Eu Quero Sair Só” (Lenine, Mu Chebabi e Caxa Aragão), “Maracá Curumim” (Carlinhos Veloz),“Porque Brigamos” (Neil Dimond, versão de Rossini Pinto), “Pavão Mysterioso” (Ednardo), “Franqueza” (Luiz Melodia e Renato Pial), “Carcará” (João do Vale), entre outros. Flávia Bittencourt canta, toca violão, pandeiro e caixa do divino, acompanhada por Aquiles Faneco (guitarra e direção musical), Fabio Bergamini (bateria), Otávio Gali (contrabaixo), Felipe Tauil (percussão) e Rui Mário (teclado e sanfona). O convidado Antúlio Madureira canta e toca cabala e serrote.

Serviço: Sesc Belenzinho, R. Padre Adelino, 1000, tel. 2076-9700. Sábado (24) às 21h. Ingressos: R$ 25 e R$ 12,50 (meia).

DANÇA

Para falar de amor, Edy inicia o espetáculo EleEla subvertendo a ciência: é a mulher que nasce do homem, e não o contrário. Daí surgem as cenas que permeiam o espetáculo sobre o amor ideal e da (falsa) ideia do príncipe/princesa encantado (a) que bate à porta. A partir de um conto de Moisés Vasconcelos, Edy Wilson criou 11 cenas acerca da diversidade de elos estabelecidos entre os gêneros masculino e feminino, em como cada um conceitua o amor. Com Alexssandro Silva, Carolina de Sá, Camila Carolina, Daniela Correa, Janaina de Oliveira, Jéssica Fadul, Jonatha Martins, Karine Miranda, Letícia Alfenas, Lindemberg Marques, Michael Martins, Paulo Victor, Rafael Luz, Rafael Trevisan e Thaynara Gomes.

Serviço: Teatro Alfa, R. Bento Branco de Andrade Filho, 722, Santo Amaro, tel. 5693-4000. Quintas às 21h, sextas às 21h30, sábados às 20h e aos domingos às 18h. Ingressos: De R$ 60 a R$ 80. Até 01/11.

Internacional

Guiada pela ideia de um cenário distópico, em que o mundo seria povoado por aeronaves não tripuladas, a banda britânica #3;Muse#3; retorna ao Brasil em turnê de “Drones” (2015), seu sétimo álbum. Fugindo das músicas clássica e eletrônica, influências que marcaram os álbuns anteriore, o grupo, liderado pelo guitarrista e vocalista Matthew Bellamy (foto; centro), exibe hits roqueiros, como “Dead Inside” e “Psycho”.

Serviço: Allianz Parque, R. Turiassu, 1.840, Perdizes, tel. 4003-5588. Sábado (24) às 21h. Ingressos: De R$ 220 a R$ 650.

Fragilidades

A peça “Bicha Oca”, adaptação dos contos homoeróticos do autor Marcelino Freire narra a realidade de Alceu, um homossexual envelhecido que se lembra de seus hábitos passados, suas histórias amorosas e seus questionamentos, provocando assim, uma reflexão sobre a atualidade e pertinência das questões dos gays. Com Rodolfo Lima e Samy Dias.

Serviço: Casarão do Belvedere, R. Pedroso, 267, Bela Vista. Sábados às 19h. Ingressos: R$ 30 e R$ 15(meia). Até 12/12.

“GRACE GIANOUKAS RECEBE”

 Projeto inédito da Terça Insana Produções Artísticas apresenta a peça “Grace Gianoukas Recebe”. Ao lado da atriz Tatiana Thomé, Grace recebe convidados, personagens, espíritos, encomendas, sustos e o público com muito bom humor para comentar o frenesi cotidiano, dando enfoque à quantidade de coisas que as pessoas recebem diariamente, sem contestar. Em meio à pressa contemporânea, chegam ao homem notícias de fonte duvidosa, cobranças indevidas, multas e serviços de péssima qualidade que muitas vezes fazem com que o consumidor seja refém. No palco duas aeromoças recebem e conduzem o público a uma viagem por um talk show nonsense, repleto de charme, surpresas e convidados divertidos, no melhor estilo “Terça Insana” de ser. Grace Gianoukas, Tatiana Thomé (participação) e convidados.

Serviço: Teatro Folha, Av. Higienópolis, 618, Higienópolis, tel. 3823-2323. Terças às 21h. Ingressos: R$ 50 e 60. Até 10/11.





Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171