ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Bôscoli na Pista

Ao incorporar elementos atuais ao melhor do Rhythm and Blues e do Soul, a festa Bôscoli na Pista coloca todo mundo pra dançar

Festa Bôscoli na Pista.

O evento celebra a música urbana com muito Neo Soul, Hip Hop e R&B.No comando da noite, João Marcello Bôscoli, toca um repertório variado, focado no melhor da Black Music mundial, eternizado por grandes ícones, como Maxwell, Erykah Badu, R. Kelly, Mary J. Blidge, em um passeio que começa na década de 90 e se estende até 2018, enaltecendo as vertentes e fases do New Jack Swing, Neo Soul e Hip Hop. João Marcello Bôscoli é uma referência de conhecimento musical no país. Músico, produtor, apresentador e empreendedor de sucesso, Bôscoli tem uma longa relação com os gêneros “urbanos”. Desde cedo artistas como Stevie Wonder, Nat King Cole e Ray Charles ganharam espaço em sua vitrola. Na adolescência, conheceu melhor o estilo hip-hop e artistas como The Sugarhill Gang’s e Grandmaster Flash and The Furious Five. Apreciador dos temas ditos “urbanos”, sua seleção musical é feita, a partir de um amplo e criterioso acervo, baseado numa síntese do que há de melhor, nesse cenário musical desde a década de 90.

Serviço: Piratininga, R. Wizard, 149, Vila Madalena, tel. 2039- 1251. Quinta (5), às 19h. Ingresso: R$ 20.

REFLEXÃO

A diferença
A reunião de preces alcançava a parte final. E, na organização mediúnica, Bezerra de Menezes retinha a palavra. O benfeitor desencarnado distribuía consolações, quando um companheiro o alvejou com azedume: – Bezerra, não concordo com tanta máscara no ambiente espírita. Estou cansado de tartufismo. Falo contra mim mesmo. Posso, acaso, dizer que sou espírita-cristão? Vejo-me fustigado por egoísmo e intolerância, avareza e ciúme; cometo desatenções e disparates; reconheço-me freqüentemente caído em maledicência e cobiça; ainda não venci a desconfiança, nem a propensão para ressentir-me; quando menos espero, chafurdo-me nos erros da vaidade e do orgulho; involuntariamente, articulo ofensas contra o próximo; a ambição mora comigo e, por isso, agrido os meus semelhantes com toda a força de minha brutalidade; a crítica, o despeito, a maldade e a imperfeição me seguem constantemente. Posso declarar-me espírita com tantos defeitos? O venerável orientador espiritual respondeu, sereno:
– Eu também, meu amigo, ainda estou em meio de todas essas mazelas e sou espírita-cristão... – Como assim? - revidou o consulente agitado.
–Perfeitamente - concluiu Bezerra, sem alterar-se. - Todas essas qualidades negativas ainda me acompanham... Só existe, porém, um ponto, meu caro, que não posso esquecer. É que, antes de ser espírita-cristão, eu fazia força para correr atrás de todas elas e agora, que sou cristão e espírita, faço força para fugir delas todas... E, sorrindo: – Como vê, há muita diferença. Irmão X (Francisco Cândido Xavier).

“Rebobinando”

Humorista Marcio Pial apresenta espetáculo circense que resgata as memórias da infância com humor.

Dança, música, circo e improviso compõem o espetáculo “Rebobinando” de Marcio Pial, que terá única apresentação. De forma divertida e bem humorada, a peça promete envolver e emocionar a plateia ao trazer à tona memórias da infância por meio de quadros de improviso. A comédia propõe um resgate cultural de momentos que não existem mais, mostrando como a globalização e revolução tecnológica mudaram a forma de viver. O comediante, dançarino, acrobata e palhaço, Marcio Pial, é conhecido por incorporar em suas apresentações hip hop, improviso e acrobacias.

Serviço: Teatro J. Safra, R. Josef Kryss, 318, Barra Funda, tel. 3611-3042. Sábado (30) às 21h30. Ingressos: De R$ 20 a R$ 50.

Drama

Quero Morrer Com Meu Próprio Veneno tem como mote Ofélia que se apresenta em três versões dela mesma, interpretada por três atrizes: aquela que fala, a que pensa e a que escuta. Uma é o presente e a visão sobre si mesma. A outra, o pensamento e a visão sobre a realidade das situações. A última, os olhares de várias pessoas, pelo seu ponto de vista. É a história de uma Ofélia contemporânea que carrega o peso de viver em uma sociedade pautada pelo homem. Com Luisa Curvo, Luiza Micheletti e Luna Martinelli.

Serviço: Centro Cultural Fiesp (Ruth Cardoso), Av. Paulista, 1313, Cerqueira César, tel. 3146-7405. Quarta a sábado às 20h30 e aos domingos às 19h30. Entrada franca. Até 22/07.


“O Compositor Delirante”

Daniel Kronenberg

A peça “O Compositor Delirante”, solo escrito e interpretado por Daniel Kronenberg, reestreia dia 4 de julho. Com provocação cênica de Gabriel Bodstein, o monólogo coloca em foco o artista com seus questionamentos. Numa tentativa enlouquecida de organizar sua trajetória, a personagem Beethoven trava discussões políticas, filosóficas e de ordem artística com Mozart, Haydn, Goethe e com o próprio pai, além de outras pessoas imaginárias. A surdez, a loucura e a necessidade de quebra de paradigmas são as tônicas do espetáculo, costurado pela música do compositor, que permeia toda a encenação, dando cadência e ritmo às argumentações da personagem. Vários trechos entrecortados das composições de Beethoven são utilizados e estabelecem um elemento de costura com a condução da narrativa. Dentre as obras escolhidas estão: A Sétima e a Nona Sinfonia, Moonlight Sonata, A Grande Fuga, A Primavera, Für Elise, Egmont, e outras variações para piano.

Serviço: Espaço Parlapatões, Praça Franklin Roosevelt, 158. Quartas (04, 11, 18 e 25) às 21h. Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia).


Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171