“A Invenção do Nordeste”

Motivada por uma série de reações xenófobas contra os nordestinos, durante as eleições presidenciais de 2014, Quitéria Kelly, atriz do Grupo Carmin, entrou em contato com a obra do Professor Dr. Durval Muniz de Albuquerque Jr, que escreveu o livro: “A Invenção do Nordeste e Outras Artes”

 Cena de “A Invenção do Nordeste”.

Quitéria então compartilhou com os demais integrantes da companhia o seu desejo de criar uma peça que contribuísse para a desconstrução da imagem estereotipada do Nordeste e do(a) nordestino(a). Na peça um diretor é contratado por uma grande produtora para realizar a missão de selecionar um ator nordestino que possa interpretar com maestria um personagem nordestino. Depois de vários testes e entrevistas, dois atores vão para a final e o diretor tem sete semanas para deixá-los prontos para o último teste. Durante as sete semanas de preparação, os atores refletem sobre sua identidade, cultura, história pessoal e descobrem que ser e viver um personagem nordestino não é tarefa simples. Com Henrique Fontes, Mateus Cardoso e Robson Medeiros

Serviço: Sesc Belenzinho, R. Padre Adelino, 1000, Belenzinho, tel. 2076-9700. Quinta a sábado às 21h30, e domingos às 18h30. Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia). Até 26/11.

REFLEXÃO

Meditação do sono
Fique consciente da sua respiração quando estiver caindo no sono: o movimento da sua barriga, o contato do ar nas narinas, ou o fluxo do ar no seu corpo.
Se você adormecer meditando, você acordará meditando. Isso significa, de um modo sutil, que o método continuou em seu inconsciente profundo.
Sua noite toda se tornou uma meditação. Seu sono será de uma qualidade diferente: mais silencioso, mais relaxado, mais rejuvenescedor. E por seis ou oito horas, subliminarmente a meditação continua.
De manhã, quando você ficar ciente de que está acordado, você ficará surpreso. Você estará testemunhando a sua respiração.
Osho

MPB

Cantora e compositora Tiê

A cantora e compositora Tiê apresenta Gaya, seu quarto álbum de estúdio. Acompanhada por André Whoong (guitarra, teclado e voz), Gianni Dias (baixo) e Uirá Bueno (bateria), Tiê apresenta as novas Mexeu Comigo (Tiê, Adriano Cintra e André Whoong), Amuleto (Bruno Caliman), Me Faz (Tiê e André Whoong), Duvido (Rafael Castro, Tiê, André Whoong, Adriano Cintra, Nina Anderson e Biboldo) e Pra Amora (Tiê e André Whoong). Dos CDs anteriores relembra Dois (Tiê e Tiago Petit) do álbum Sweet Jardim (2009), Piscar o Olho (Tiê, Karina Zeviane, Plinio Profeta e Rita Wainer) do CD A Coruja e o Coração (2011) e o sucesso A noite, do CD Esmeraldas (2014), que foi tema da novela I Love Paraisópolis alcançando a marca de 20 milhões de visualizações do seu clipe no Youtube.

Serviço: Teatro Porto Seguro, Al. Barão de Piracicaba, 740, Campos Elíseos, tel. 3226-7300. Terça (28) às 21h. Ingressos: R$ 120 e R$ 70.

“O Idiota – Uma Novela Teatral”

Cena do espetáculo “O Idiota – Uma Novela Teatral”.

Sete anos após a estreia do premiado “O Idiota – Uma Novela Teatral”, as companhias Livre e Mundana se reencontram em Dostoiévski-Trip, nova viagem ao universo do escritor russo e ao célebre romance publicado em 1869. Esta é a primeira montagem brasileira do texto de Vladímir Sorókin, um dos grandes nomes da chamada nova literatura russa, já encenado em Moscou e Nova York. Na peça, um grupo de viciados aguarda a chegada de um traficante que lhes prometeu trazer uma novidade. Enquanto isso, conversam, discutem (e até mesmo brigam) sobre grandes nomes da literatura mundial, Kafka, Pushkin, Cervantes, entre outros e seus supostos efeitos. Este, contudo, não é um encontro amistoso entre amantes das letras, e sim de um bando de pessoas que mal se conhecem, unidos apenas pela condição de viciados em literatura. Ávidos pela próxima dose, os personagens são lançados em uma jornada pelo universo de Fiódor Dostoiévski (1821-1881). Em contato com a prosa do romancista russo, os personagens embarcam na trip do título e acabam por protagonizar uma das mais célebres passagens de O Idiota, na qual seus dilemas filosóficos e existenciais se aprofundam e se potencializam transcendendo para as formas do mundo contemporâneo. Elenco: Aury Porto, Edgar Castro, Guilherme Calzavara, Luah Guimarãez, Lúcia Romano, Marcos Damigo, Sergio Siviero e Vanderlei Bernardino.

Serviço: Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo, R. Álvares Penteado, 112, Centro, tel. 3113-3651. Sextas, sábados e segundas às 20h e aos domingos às 19h. Ingresso: R$ 20 (Sessão gratuita: 13/11 (segunda-feira), 19h30, seguida de bate-papo com o elenco e a diretora). Até 18/12.

Jazz

Entre 23 e 25 de novembro acontece o Jazz Festival 2017. O projeto cultural e turístico de longo prazo para a cidade é diretamente inspirado em edições de sucesso de festivais de música que acontecem anualmente há décadas em cidades da Europa e dos EUA. Serão três shows: Tributo a Herbie Hanconk (23), Tributo a Thelonious Monk (24) e Tributo a Miles Davis (25 ). A edição brasileira visa a promover o encontro de nomes nacionais e internacionais da música em grandes apresentações. Além da Unibes Cultural, o evento acontece no Bar Ao Vivo Music, que receberá as apresentações musicais de Carlos Ezequiel, Vinicius Gomes, Bruno Tessele Quinteto, Wilcox Quarteto, Leandro Cabral e Lupa Santiago.

Serviço: Unibes Cultural, R. Oscar Freire, 2.500, Sumaré, tel. 3065-4333. De quinta (23) a sábado (25) às 21h e 20h. ingressos é de R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).

Mais Lidas