Deuses

Como as religiões afetam a sociedade, a política e até mesmo a economia de um país?

Cena da peça “ANTIdeus”.  Foto: Divulgação

Investigar isso e outros aspectos da obstinação religiosa é um dos objetivos de “ANTIdeus”, último espetáculo da mostra Teatro de Contêiner Convida Carlos Canhameiro.Em um país indeterminado seu presidente sanciona lei revogando os feriados religiosos como feriados nacionais, em respeito à laicidade do governo. Com essa premissa ANTIdeus tem início e seus desdobramentos entre as mais diversas camadas sociais sobre deus e a política ou a política de deus. Com uma narrativa não linear, ANTIdeus apresenta uma série de quadros mesclando dramaturgia e música. A montagem traz seis atores no elenco, sendo que quatro são músicos e marca a estreia do cantor e bailarino Lineker como ator no teatro. O enredo gira em um jantar entre amigos, que discutem como a revogação dos feriados religiosos afetariam as principais religiões presentes na bíblia cristã, islamismo, judaísmo e cristianismo (católico e protestante) e também a sociedade. A reunião dos amigos é entrecortada por solilóquios que contam diferentes histórias, como um homossexual que quer engravidar de um anjo ou uma criança assassinada por guerras religiosas e também a própria visão do presidente sobre o decretro eliminando os feriados religiosos. Com Paula Mirhan, Marilene Grama, Ernani Sanchez, Daniel Gonzalez, Lineker e Rui Barossi.

Serviço: Teatro de Contêiner Mungunzá, R.dos Gusmões, 43, Luz. Sábado (07) a segunda (09) às 20h. Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia).

REFLEXÃO

Celebre!
A vida deveria ser uma celebração contínua, um festival de luzes por todo o ano. Somente então você pode se desenvolver, você pode florir. Transforme pequenas coisas em celebração... Tudo o que você faz deveria expressar a si próprio; deveria ter a sua assinatura. Então a vida se torna uma celebração contínua.
Osho.

“Hortance, A Velha”

Cena da peça “Hortance, A Velha”.

Na peça “Hortance, A Velha” mostra uma mulher pioneira, empoderada, com uma alma livre, a frente do seu tempo e que acabou vencendo diversas barreiras. Entre elas, foi expulsa de casa por ser “moderna demais”, tornou-se dona de um cabaré que recebeu diversas personalidades, como Shakespeare, Nero, Getúlio Vargas, Stalin, Sartre, Simone de Beauvoir e Che Guevara. Agora, quase centenária, revisita um apanhado de histórias que viveu e pessoas que conheceu. Mas Hortance já está um pouco esquecida, devido à idade, e confunde as histórias, os tempos e as biografias de todos que passaram por sua vida. A partir de todas estas lembranças, a Velha preenche os dias e reconstrói de maneira cômica e emocionante sua própria vida, afirmando a dignidade de envelhecer tendo-a vivida por inteiro. Dentro das paredes do cabaré, Hortance vive com um amontoado de recordações que acumulou ao longo da vida, além da companhia da irmã Aliquianni e de um gambá. Ao mesmo tempo em que se encontra imersa nesse universo particular, ela não está sozinha, em um dos momentos mais tocantes, Hortance vê no público sua companhia como clientes do cabaré para recriar essa jornada. Com Grace Gianoukas.

Serviço: Teatro Renaissance, Al. Santos, 2233, Cerqueira César, tel. 3069-2286. Sábados às 21h30 e domingos 18h. Ingresso: R$ 80. Até 29/10.

Humor

Na comédia Homem é Tudo Igual, Não Vale um Real!, um Terapeuta e Palestrante que aparenta ser um defensor imparcial dos homens, mas que tenta de várias maneiras pacificar o relacionamento entre homens e mulheres, através de situações divertidíssimas, e de conselhos e exemplos pra lá de controvertidos que arrancam muitas gargalhadas. Com Guilherme Oliveira.

Serviço: Teatro Bibi Ferreira, Av. Brigadeiro Luis Antônio, 931, Bela Vista, tel. 3105-3129. Sábados às 19h. Ingresso: R$ 60. Até 25/11.

MPB

Tuca Andrada.

O ator Tuca Andrada mostra sua vertente musical no show Orlando Silva - Nada Além. O ator e cantor presta uma homenagem aquele que ficou conhecido como “O cantor das multidões”, Orlando Silva (1915-1978), ídolo da Era do Rádio. Composto por 20 músicas marcantes da carreira desse grande cantor brasileiro, Tuca vai contando fatos e passagens da carreira de Orlando e pontuando a importância dele para a música brasileira. No repertório Lábios Que Beijei (Orlando Silva/Leonel Azevedo), Nada Além (Custódio Mesquita/Mario Lago), entre outros.

Serviço: Teatro Porto Seguro, Al. Barão de Piracicaba, 740, Campos Elíseos, tel. 3226-7300.Terça (10) às 21h. Ingressos: R$ 80 e R$ 60.

Diálogos Acrobáticos

O espetáculo Vaudeville apresenta variedades em que, assim como nos cabarés antigos, os números circenses fazem junções com a poesia, a dança, o teatro, a mimica. Vaudeville se caracteriza pela singularidade na qual os artistas apresentam suas habilidades, sem uma ligação em comum, propondo a junção de pesquisas cênicas pautadas no universo do circo contemporâneo, e seus números estão diretamente ligados ao universo particular e íntimo de cada artista. As criações resultam em belas imagens surrealistas desenvolvendo ações cotidianas de formas inusitadas.

Serviço: Sesc São Caetano, R. Piauí, 554, Santa Paula, São Caetano do Sul, tel. 4223-8800. Sexta (06) às 20h. Entrada franca.

Infantil

O espetáculo “Peter Pan” reafirma a importância de aproveitar a fase infantil, mostrando o personagem Peter Pan que é uma criança e não desejar crescer. Além disso, o espetáculo é de fácil compreensão para as crianças, e agradável para adultos, com aventuras na Terra do Nunca e muita animação.

Serviço: Teatro Eva Wilma, R. Antônio de Lucena, 146, Tatuapé. Quinta (12) às 16h. Ingressos: R$ 50 e R$ 25 (meia).


Mais Lidas