“O Espectador Condenado à Morte”

Escrito em 1985 durante a ditadura romena, “O Espectador Condenado à Morte” retrata uma sessão de julgamento cômica e absurda e chega com temporada a partir do dia 4 de outubro

Cena da peça “O Espectador Condenado à Morte”, com texto de Matéi Visniec.

Encenado pela Companhia Teatro da Dispersão, o texto de Matéi Visniec tem direção de Thiago .Na trama, Procurador, Defensor, Escrivão e até mesmo o Juiz estão envolvidos em uma intensa disputa para incriminar um réu. Durante uma cômica sessão de julgamento, eles criam provas e contam com testemunhas pouco confiáveis para convencer um espectador de que ele deve ser condenado à morte. Para ilustrar um julgamento que não segue qualquer protocolo e rompe com aspectos morais, éticos e institucionais, o texto traz elementos do Teatro do Absurdo, explicitados na encenação por meio de elementos da farsa e da comédia física. O espetáculo conta com um cenário que retrata um tribunal com o mínimo de objetos cênicos, e utiliza recursos tecnológicos: ao longo da narrativa, pessoas da plateia são fotografadas e apresentadas em um telão como “evidências” que reforçam algumas das teorias apresentadas pelos advogados. Serão realizados 3 debates após apresentação do espetáculo (ainda falta confirmar nomes e palestrantes): Em 8/10, Matéi Visniec e o Teatro do Absurdo, dia 22/10, A banalização do ódio e as ameaças aos Direitos Universais e 29/10, As novas arenas de construção do discurso de ódio. Com André Camargo, Cadu Batanero, Caio Balthazar, Drica Czech, Guilherme Iervolino, Patrícia Vieira Costa, Raphael Nespule, Rony Álvares, Vanessa Rodrigues.

Serviço: Funarte, Al. Nothmann, 1058, Campos Elíseos, tel. 3662-5177. De quarta a sábado às 20h30 e domingos às 19h30. Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia). Até 12/11.

REFLEXÃO

Imersão
Faça um Compromisso
O momento chegou para se envolver completamente em um projeto ou em um compromisso com você, de que esteve se afastando. Esta imersão é um caminho para um verdadeiro renascimento que você esteve esperando para si mesmo, e no entanto, uma parte de você tinha medo de se decidir finalmente. O momento chegou para respirar profundamente, tranquilizar-se e se envolver totalmente na mudança. É hora de remover a zona de conforto que o manteve seguro por muito tempo. Tenha fé suficiente em si mesmo e saiba que as suas amizades e relacionamentos estarão aí quando você retornar. Agora é o momento de reivindicar o seu prêmio e buscar o que você esteve procurando.
O Mantra para hoje é: “Meu tempo é precioso. Meu tempo é brilhante. Meu momento é bom. Meu momento é adequado. Meu momento para agir é agora.”
E assim é.
Você é muito amado e apoiado, sempre.
Os Anjos e Guias - Sharon Taphorn.

Último ensaio

Cena da peça “Why The Horse?”.

Morrer em cena. Esse foi o ponto de partida do espetáculo “Why The Horse?”, do Grupo Pândega. A montagem, depois de temporadas de sucesso, volta aos palcos da capital para mais oito e completa 100 apresentações. Ao lado de Luciano Chirolli, seu parceiro de cena há 23 anos, o mais recente trabalho da atriz e diretora Maria Alice Vergueiro tem dramaturgia de Fábio Furtado e elenco formado por Carolina Splendore, Robson Catalunha e Otávio Ortega. A comemoração da 100ª apresentação e dos 10 anos do Pândega acontece no dia 14 de outubro, sábado, com pocket show de Celso Sim, Danilo Oliveira e Mica Matos. Já no dia 13 de outubro a sessão terá o grupo Oficina Uzyna Uzona como convidado para uma intervenção. Aos 82 anos, Maria Alice continua se desafiando e buscando o novo.

Serviço: Teatro Oficina, R. Jaceguai, 520, Bela Vista, tel. 106-2818. Quintas (05 e 12) sextas (06 e 13) e sábados (07 e 14) às 21h e domingos (08 e 15) às 20h. Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia).

Bullyng

Na aventura “Miraculos Lady Bug contra o Bullyng”, Lady Bug e Cat Noir enfrentão um vilão muito cruel que vem se alastrando cada vez entre as crianças e adolescentes o Bullyng Digital. Marinette ao ver sua melhor amiga Alya ser sempre excluída pelo grupinho popular de Chloe, resolve junto com Tikki levantar uma bandeira contra o Bullyng no colégio, mas o que ela não sabe é que Howk Mouth akumatiza Alya e a transforma em uma terrível vilã. Cabe a Lady bug e Cat noir salvarem Paris e a amizade e quem sabe mudar o coração de Chloe e SaBrina.

Serviço: Teatro Extra Itaim (Hipermercado Extra). Domingos (01 e 08) às 17h15. Ingresso: R$ 50 e R$ 25 (meia).

Patrulheiros Caninos

Os cachorrinhos mais amados da televisão terão que usar todas as suas habilidades em um resgate. O vilão prefeito Hundinger sequestra um por um da patrulha e aprisiona em um canil totalmente escuro e sombrio, sem água ou comida. O espetáculo traz a conscientização de que cães não são meros brinquedos e sim seres vivos que precisam de carinho e atenção. A plateia faz parte do espetáculo, na interação para os resgastes dos amigos perdidos.

Serviço: Teatro Extra Itaim (Hipermercado Extra). Sábado (07) às 17h. Ingresso: R$ 50 e R$ 25 (meia).

Pesquisa

O Grupo XIX de Teatro volta a apresentar as cinco peças criadas nas oficinas ministradas pelos integrantes do grupo entre fevereiro e julho, durante seu Núcleo de Pesquisas 2017. A programação chamada Remostra traz A Palavra e o Abismo, com direção de Luiz Fernando Marques (dias 30 de setembro e 1º de outubro), In Cômodos, com direção de Juliana Sanches (também nos dias 30 de setembro e 1º de outubro), Plantar Cavalos Para Colher Sementes, com direção de Ronaldo Serruya (dias 07, 08 e 09 de outubro), Invenção Do Eu, com direção de Rodolfo Amorim (dias 14 e 15 de outubro) e Feminino Abjeto, com direção de Janaina Leite (dias 04 e 05/11).

Serviço: Vila Maria Zélia, R. Mário Costa 13, Belém, tel. 2081-4647. Sábado (07) e domingo (08), às 19h e segunda (09) às 20h, sábado (14) e domingo (15) às 20h, Sábado (04/11) às 20h e domingo (05) às 19h. Entrada franca.

Mais Lidas