“Na Casa do Rio Vermelho”

“Na Casa do Rio Vermelho” - o amor de Zélia e Jorge, peça com texto e direção de Renato Santos e interpretação de Luciana Borghi

Luciana Borghi

A peça estreou este ano em Salvador, no dia do aniversário de Zélia Gattai (2 de julho), no atual memorial Casa do Rio Vermelho, onde o casal de escritores viveu cerca de 40 anos. Depois seguiu em cartaz na cidade durante todo mês em ocasião do centenário da autora, fotógrafa e memorialista na Fundação Casa de Jorge Amado, no coração do Pelourinho e no próprio Memorial, aos domingos e agora chega a São Paulo para depois iniciar turnê pelo país. Zélia Gattai é considerada uma das melhores escritoras memorialistas do país, que influenciou várias gerações de mulheres brasileiras. A construção da peça é uma composição de fatos relatados por seus amigos e familiares, trechos de obras e entrevistas, além de uma intensa pesquisa do diretor e da atriz sobre a vida e obra de Zélia. Tudo acontece num simples momento em que Zélia vai se despedir sozinha da casa do Rio Vermelho e acaba por se transformar personagem de sua própria história.

Serviço: Teatro Décio de Almeida Prado, R. Cojuba, 45B, Itaim Bibi, tel. 3079-3438. Sextas e sábados às 21h e aos domingos às 19h. Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia). Até 28/10.

REFLEXÃO

A grande invocação

Do ponto de Luz na mente de Deus,
que flua Luz à mente dos homens,
e que a Luz desça à Terra.
Do ponto de Amor no coração de Deus
que flua amor ao coração dos homens,
que Cristo retorne à Terra.
Do centro onde a vontade de Deus é conhecida,
que o propósito guie as pequenas vontades dos homens,
propósito que os mestres conhecem e servem.
Do centro a que chamamos a raça dos homens
que se realize o plano de Amor e de Luz
e feche a porta onde se encontra o mal.
Que a Luz, o Amor e o Poder
restabeleçam o Plano Divino sobre a Terra hoje
e por toda a eternidade.
Amém.

‘Garota de Ipanema, o musical da Bossa Nova’

O espetáculo ‘Garota de Ipanema, o musical da Bossa Nova’ estreiou dia 22. A peça tem narrações e imagens que representam toda a história da Bossa Nova e a sua importância para a nossa música. O musical é dividido em quatro partes: Na primeira são abordadas as histórias e curiosidades sobre o nome ‘Bossa Nova’; na segunda a origem do estilo musical, as influências do passado e como o cenário musical brasileiro propiciou o surgimento do movimento; o terceiro bloco trata dos costumes dos artistas da época e os locais onde se reuniam para criar; e o último mostra como a Bossa Nova ganhou o mundo. Os artistas interpretam composições que ficaram na memória afetiva de toda uma geração, como ‘Samba de uma nota só’ (Tom Jobim e Newton Mendonça), ‘Ela é carioca’ (Tom Jobim e Vinícius de Moraes), ‘Samba da minha terra’ (Dorival Caymmi), ‘O Barquinho’ (Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli), ‘Chega de saudade’ (Tom Jobim e Vinícius de Moraes), ‘Minha namorada’ (Carlos Lyra e Vinícius de Moraes), ‘Garota de Ipanema’ (Tom Jobim e Vinícius de Moraes), entre outras. Com, Andrea Marquee, Ariane Souza, Eduarda Fadini, Fabi Bang, Myra Ruiz, Claudio Lins, Marcelo Varzea, Nicola Lama, Tadeu Freitas e Jhafiny Lima.

Serviço: Teatro Opus (Shopping Villa Lobos), Av. das Nações Unidas, 4777, Alto de Pinheiros. Sextas às 21h30, sábados às 21h e aos domingos às 20h30. Ingressos: Sextas e domingos de R$ 50 a R$ 140, aos sábados de R$ 50 a R$ 160.

Sertanejo com classe

As Galvão

“As Galvão” em espetáculo que revisita a trajetória de sete décadas na música sertaneja das irmãs Mary e Marilene Galvão. Um palco, um microfone. É assim que a se sente em casa e dá seu melhor recado, contando “causos” e cantando. E tudo de forma simpática, engraçada, comovida, sincera e afetuosa. A cada show que faz, o duo sabe da responsabilidade de dar o melhor de si no palco e intui o que o público está querendo ouvir. E é o público, então, quem passa a ser o diretor musical do espetáculo. Um fato que deixa Mary e Marilene felizes é saber que suas canções já embalaram muitos romances por todo o Brasil.
Por onde passam deixam impressos o valor, a dignidade e o respeito com que a música sertaneja pode e deve ser levada ao público, seja ele urbano ou rural.

Serviço:Teatro Santos Dumont, Av Goiás, 1111, São Caetano do Sul. Sábado (30) a partir das 20h. Ingressos: R$ 30 e R$ 15 (meia).