Homenagem a Pirandello

Uma roleta determina quais cenas serão apresentadas a cada noite em “A Vida”

Cenas da peça “A Vida”, de Nelson Baskerville.

O diretor Baskerville e os atores da AntiKatártiKa Teatral criaram 35 quadros dos quais 15 são escolhidos e encenados em cada sessão. A ideia é que a peça seja diferente a cada vez são mais de mil combinações possíveis. A montagem segue a linha de pesquisa do diretor, que utiliza recursos audiovisuais e microfones em cena. Manequins e bonecos também fazem parte da encenação.

Serviço: Sesc Santo Amaro, R. Amador Bueno, 505, Santo Amaro, tel. 5541-4000. Sextas às 21h, sábados às 20h, e aos domingos às 18h. Ingressos: de R$ 7,50 a R$ 25. Até 09/07.

REFLEXÃO

TENSÃO EMOCIONAL: Não raro, encontramos, aqui e ali, os irmãos doentes por desajustes emocionais. Quase sempre, não caminham. Arrastam-se. Não dialogam. Cultuam a queixa e a lamentação. E provado está que, na Terra, a tensão emocional da criatura encarnada se dilata com o tempo. Insegurança, conflito íntimo, frustração, tristeza, desânimo, cólera, inconformidade e apreensão, com outros estados negativos da alma, espancam sutilmente o corpo físico, abrindo campo a moléstias de etiologia obscura, à força de se repetirem constantemente, dilapidando o cosmo orgânico. Se consegues aceitar a existência de Deus e a prática salutar dessa ou daquela religião em que mais te reconfortes, preserva-te contra semelhante desequilíbrio. Começa, aceitando a própria vida, tal qual é, procurando melhorá-la com paciência. Aprende a estimar os outros, como se te apresentem, sem exigir-lhes mudanças imediatas. Dedica-te ao trabalho em que te sustentes, sem desprezar a pausa de repouso ou o entretenimento em que se te restaurem as energias. Serve ao próximo, tanto quanto puderes. Detém-te no lado melhor das situações e das pessoas, esquecendo o que te pareça inconveniente ou desagradável. Não carregues ressentimentos. Cultiva a simplicidade, evitando a carga de complicações e de assuntos improdutivos que te furtem a paz. Admite o fracasso por lição proveitosa, quando o fracasso possa surgir. Tempera a conversação com o fermento da esperança e da alegria. Tanto quanto possível, não te faças problema para ninguém, empenhando-te a zelar por ti mesmo. Se amigos te abandonam, busca outros que te consigam compreender com mais segurança. Quando a lembrança do passado não contenha valores reais, olvida o que já se foi, usando o presente na edificação do futuro melhor. Se o inevitável acontece, aceita corajosamente as provas em vista, na certeza de que todas as criaturas atravessam ocasiões de amarguras e lágrimas. Oferece um sorriso de simpatia e bondade, seja a quem for. Quanto à morte do corpo, não penses nisso, guardando a convicção de que ninguém existiu no mundo sem a necessidade de enfrentá-la. E, trabalhando e servindo sempre, sem esperar outra recompensa que não seja a bênção da paz na consciência própria, nenhuma tensão emocional te criará desencanto ou doença, de vez que se cumpres o teu dever com sinceridade, quando te falte força Deus te sustentará e onde não possas fazer todo o bem que desejas realizar Deus fará sempre a parte mais importante. (De “Companheiro”, de Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Emmanuel)

MPB

César Mello

Alguma coisa vai acontecer no seu coração ao cruzar a Ipiranga e a Avenida São João” para ver de perto o cantor César Mello e seu projeto autoral “O Agora”, álbum com 5 músicas que passeiam pelo samba, reggae, pop e uma MPB marcada por boas letras e swing.

Serviço: Bar Brahma, Av. São João, 677, Centro, tel. 3367-3600. Quinta (8) às 21h. Ingresso: R$ 50.

INTRUMENTAL

Formado por Bruno Piazza (piano), Filipe Maróstica (baixo) e Gabriel Alterio (bateria), Oritá é um trio de música instrumental, que apresenta em suas melodias a influência da música popular. Inspirado por Avishai Cohen, Brad Meldhau, Richard Bona e Béla Fleck, o grupo apresenta em seu repertório canções originais com abordagem popular e instrumental.

Serviço: Teatro Viradalata, R. Apinajés, 1387, Perdizes, tel. 3868-2535. Quarta (7) às 21h. Ingresso: R$ 50.

Encontro musical

Oswaldo Montenegro
Misturando o peso das guitarras, teclados, baixo e bateria com o som clássico da flauta, “Nossas Histórias” é um show em que Oswaldo Montenegro toca suas músicas mais conhecidas, comemorando quarenta anos de parceria com a flautista Madalena Salles. “Bandolins”, “Lua e flor”, “Metade”, “Estrada nova”, “A lista”, “Intuição”, “Léo e Bia”, “Estrelas”, “Sem mandamentos”, “Travessuras” e tantas outras se incorporaram ao inconsciente coletivo do público brasileiro de forma definitiva e, na maioria delas, o solo da flauta foi composto simultaneamente com a melodia e a letra, sendo impossível pensar nessas canções sem lembrar as introduções e os solos. Se revezando entre teclados, violões e sopro, com o apoio de uma super banda, eles passeiam por essas pérolas e, mantendo a tradição dos seresteiros, atendem aos pedidos do público e conversam com a plateia, transformando “Nossas Histórias” num encontro afetivo e musical.

Serviço: Teatro Paulo Machado de Carvalho, Al. Conde de Porto Alegre, 840, Santa Maria, São Caetano do Sul, tel. 4226-2570. Sábado (10) às 20h. Ingresso: R$ 150.

A Bela Adormecida

A história de Aurora tem diferentes origens e versões mas o diretor Billy Bond criou uma A Bela Adormecida que não economiza nos efeitos especiais e recursos cênicos. Cenários grandiosos, projeções, explosões, neblina e até cheiro de flor surpreendem os espectadores. As personagens que mais chamam atenção são as fadas Fauna, Flora e Primavera, interpretadas por Luana Marthin, Paula Canterini e Ana Saguia. Atrapalhadas, elas caminham com seus vestidos bufantes e coloridos por entre as fileiras da plateia e interagem com as crianças, inclusive oferecendo bexigas com doces. Atriz mais famosa do elenco, Adriane Galisteu surge no palco como Malévola, madrasta da princesa (Nicole Rosemberg). Sua participação se restringe a cenas bem curtinhas e seu filho, Vittorio, vive o príncipe Felipe.

Serviço: Teatro Opus, Av. das Nações Unidas, 4777, Alto de Pinheiros, tel. 4003-1212. Sábados às 16h e domingos às 11h30. (Atenção não haverá espetáculo nos dias 03 e 04 de junho). Ingressos: De R$ 80 a R$ 140. Até 15/06.