morrendo e aprendendo

A comédia “Morrendo e Aprendendo” aborda a Doutrina Espírita, como a lei de causa e efeito, a reencarnação e a evolução do indivíduo, tendo como pano-de-fundo a vida e a morte de Dona Lourdes Thereza

Reprodução

Esse espírito, que reencarna como uma mulher muito rica mas sem qualquer preocupação com a caridade ou com seu próprio aperfeiçoamento, depara-se com as dificuldades por ela mesma cultivadas em uma vida farta materialmente, mas sem riqueza espiritual. Indignada com o tratamento recebido após sua morte, onde julgava nada haver senão o sono eterno, reencontra um desafeto de suas vidas passadas que a persegue por muitos anos em busca de vingança. Com Alex Moczydlower, Fábio de Luca, Jean Rizo e Sidney Grillo.

Serviço: Teatro Ressurreição, R. dos Jornalistas, 123, Jabaquara, tel. 5016-1787. Sábados às 19h e aos domingos às 17h. Ingresso: R$ 60. Até 25/06.

REFLEXÃO

NEM OS MORTOS REPOUSAM: Ninguém gasta nada por pensar bem, o pensamento é isento de taxas e impostos entre os homens. Toda criação de Deus é equânime. A qualquer hora o sol favorece o justo e o criminoso e tanto a erva má quanto a planta medicinal lhe recolhem o influxo criador. Só há uma seleção no reino do espírito. Se conquistamos suficiente clareza para discernir o melhor do pior, possuímos consciência de mordomia dos bens da alma e, investidos dessa responsabilidade, reconheceremos que milhares de irmãos nos esperam nos cursos da necessidade humana como se fossem estranhos em sua casa ou estrangeiro na própria terra, para se habilitarem com os diplomas de renovação da experiência. Todos somos chamados ao socorro mútuo. Tudo na existência terrestre converge para essa realidade, a começar da profissão que é uma forma livremente escolhida de ser útil. Quem se capacita dessa verdade jamais considera o supérfluo na base de aquisição proveitosa. A caridade por todos os títulos deve ser a estrela-guia do espírita. A felicidade constitui a ressonância dos atos bons e tão-somente os atos bons guardam pureza bastante para lavar os erros e culpas da consciência. Vida é atividade: nem os mortos repousam. Ninguém renasce sem passado espiritual e nem vive na carne sem futuro fora dela. A lei empresta o corpo ao espírito e não o espírito ao corpo. Na Terra, o tempo dedicado à fraternidade significa economia de tempo. Espírita sem ação no bem é qual fonte sem água: além de não construir, ocupa lugar e sugere a tristeza das charnecas improdutivas. Urge buscarmos segurança espiritual para sentir paz. As garantias da prosperidade material são as mais relativas. O crédito bancário é suscetível de descer à falência; o colar de pérolas por mais precioso pode romper-se. Reter a riqueza amoedada é comum, mais raro é saber usá-la. Como a aquisição de conhecimento, mais raro o seu emprego construtivo. Mais valem mãos puras que mãos cheias. Cabeça simples e tranqüila que inteligência complexa e primorosa comprometida em atos inconfessáveis. Criatura sem memória sofre mais por incapaz de fazer a estimativa de pessoas e fatos. Efetuemos o balanço de nossas possibilidades e apliquemos o saldo de nossos recursos a benefício dos outros. Sejamos agradecidos por todas as alegrias que desfrutamos estendendo-se aos menos felizes. Se até os animais expressam gratidão, por que as nossas consciências não serão igualmente reconhecidas perante a Consciência Maior? (De “Técnica de Viver”, de Waldo Vieira, pelo Espírito de Kelvin Van Dine)

Música Romântica

Marisa Orth

O show Romance Volume III é um equilíbrio entre os multitalentos de Marisa Orth. Sua voz e presença encantam o público com um repertório musical eclético e cenas do cotidiano romântico universal. Das canções de amor aos clássicos da MPB e do pop rock mundial, Marisa não deixa de lado seu humor e habilidade de improviso.

Serviço: Teatro J. Safra, R. Josef Kryss, 318, Barra Funda, tel. 3611-3042. Sexta (9) e sábado (10) às 21h30. Ingressos: de R$ 40 a R$ 70.

Sonhos

O espetáculo “Enquanto as Crianças Dormem” é um antimusical tragicômico, Dan Rosseto em que também assina a direção, discute o que o ser humano seria capaz de fazer para realizar os seus sonhos. A peça conta a estória de Kelly (Carol Hubner) uma fã do musical O Mágico de Oz, que trabalha como atendente de uma rede de fast-food e sonha em imigrar para a América e se tornar uma atriz de musical na Broadway. Sem perspectivas para realizar o seu desejo, a mulher fantasia sua rotina transformando em números musicais momentos da sua vida: um dia difícil na lanchonete se torna um show onde ela é a grande estrela. Mas como a vida não sorri para a mulher, à medida que a estória avança ela acumula experiências ruins, fazendo com que os sonhos se transformem em pesadelos terríveis.

Serviço: Teatro Aliança Francesa, R. General Jardim, 182, Vila Buarque, tel. 3572-2379. Quartas e quinta às 20h30. Ingressos: R$ 50 e R$ 25 (meia). Até 27/07.


MPB
Divulgação

Patricia Marx faz show especial para o Dia dos Namorados, intitulado de “Olhos nos Olhos”, um clássico de Chico Buarque, acompanhada pelo músico Willie Daniel no violão em show intimista. A cantora traz canções de amor, pérolas da MPB e músicas as quais inspiraram seu trabalho desde cedo. No repertório, terá “As Rosas Não Falam” de Cartola, “Olhos Nos Olhos” de Chico Buarque, “Mania de Você” de Rita Lee, além de Norah Jones com “Don’t know Why” e suas músicas românticas de sucesso, que foram temas de novelas da Globo como “Quando Chove”, “Espelhos D’água” e “Sonho de Amor”.

Serviço: Restaurante Jacarandá, R. Alves Guimarães, 153, Pinheiros, tel. 3083-3014. Sexta (9) às 21h. Ingresso: R$ 50.

Infantil

O espetáculo ‘João o Alfaiate, Um Herói Inusitado’, com atuações cômicas de Assad, Marcio Moura e Melissa Teles-Lôbo, a nova montagem do grupo adapta e revisita, de forma inventiva, o conto recolhido pelos irmãos Grimm no livro ‘Contos Para a Infância e o Lar’, em que os autores compilam clássicos da tradição oral ocidental para crianças e jovens. O espetáculo conta a história de João, um pequeno alfaiate que esbraveja para o mundo sua valentia ao matar sete insetos pousados em sua refeição. O personagem vive em um reino onde seres fantásticos apavoram a Vila Central e, com o espalhar da notícia, o Rei fica ciente de sua valentia. O monarca manda o alfaiate a uma missão para livrar o reino das terríveis criaturas. Sem saber exatamente o que seria necessário fazer, entre atrapalhadas e desencontros, João - no fim - encontra as soluções para os problemas.

Serviço: Sesc Pompeia, R. Clélia, 93. Sábados e domingos às 12h. Ingresso: R$ 17. Até 18/06.