“A Tropa”

Um pai doente recebe a visita dos quatros filhos no hospital

Elendo da peça “A Tropa”.

O que seria apenas um encontro em função de um parente debilitado se revela um acerto de contas familiar, permeado de humor e afeto, tendo como pano de fundo os últimos 50 anos de História brasileira, dos tempos da ditadura militar à Operação Lavo Jato. Esta é a história da peça “A Tropa”, estrelada por Otavio Augusto e dirigida por Cesar Augusto que estreia no proximo dia 03/07. A montagem comemora os 50 anos de carreira de Otavio Augusto que faz o pai. Os filhos são interpretados por Alexandre Menezes, Daniel Marano, Eduardo Fernandes e Rafael Morpanini. O embate familiar evidencia a trajetória de cada um: Humberto é um dentista militar aposentado que mora com o pai; João Batista é o caçula, jovem usuário de drogas com passagens por clínicas de reabilitação; Artur é um empresário casado, pai de duas filhas, que trabalha numa empreiteira que está sob investigação por corrupção; e Ernesto é um jornalista que acaba de pedir demissão de um jornal e está em crise com a profissão.

Serviço: Teatro Sergio Cardoso, R. Rui Barbosa, 153, Bela Vista, tel. 3288-0136. Sábados às 19h30 e domingos e segundas às 20h. Ingressos: R$ 60 e R$ 30 (meia). Até 03/07.

REFLEXÃO

ATITUDES: O ser humano é pródigo de atitudes. Compete à razão conferir esses impulsos, de fazer ou não algo na vida. As atitudes do ser humano devem ser canalizadas, porque elas podem ser honestas ou desdenhar a própria vida. O corpo humano é uma página divina nas mãos espirituais, que deve ser escrita pelos sentimentos. Compete às criaturas de unirem no que fazem ou devem fazer, de modo que os atos da alma assinalem a liberdade da sua anterior escravidão. Poderemos ser apegados, no modo pelo qual pensamos ou fazemos. Se queremos tomar atitudes planejadas de cortar o fio da vida, a consciência nos condenará. Ao contrário, se respeitarmos as leis que conservam o empenho da existência humana, e não conserva a premeditação para tal falta, a consciência nos defenderá, criando, pelas condições da própria lei, a paz interna. A Doutrina Espírita veio ao mundo ajudar os homens, na conquista da liberdade. Conhecendo-a e ao seu Evangelho, notadamente terás força poderosa de te esclarecer e dela te cientificares, pelos preceitos ensinados, dependendo da vivência em todos os campos da vida. É bom e bem lógico, portanto, que a alma estude e compreenda o valor dos pensamentos. Se pensares em cortar o fio da vida física, já estarás começando a rompê-lo, porque a premeditação nasce na cabeça, para depois se realizar, pelos fatos. Escuta bem: cuida das atitudes, e que elas sejam sempre pelos fios do amor, sendo acompanhadas por Jesus. No entanto, Ele, o Mestre, espera teu convite, para que efetivamente te acompanhe. Que os teus intentos sejam nobres, da maneira que a caridade te cerque e que a fraternidade te inspire. (Página recebida na Sociedade Espírita Maria Nunes, Belo Horizonte, MG,, em 10/06/87, Estudo de “O Evangelho segundo o Espiritismo”, Cap. V, itens 29, 30 e 31) (De “Páginas Esparsas 5”, de João Nunes Maia, pelo Espírito Miramez).

MPB

João Bosco

Desde a sua estreia, num disco compacto que tinha “Agnus sei” de um lado e “Águas de Março” de outro, João Bosco está completando 45 anos de carreira. Agora, como a ocasião é de revisar toda a obra no show do álbum e DVD “40 Anos Depois”, lançado em 2012, será possível ouvir faixas como “Tarde”, “Trem bala”, “Tanajura”, “Lilia” e “Bodas de Prata”, em que a canção será invadida e alargada. Ainda, o cantor apresenta faixas como “Pra que mentir”, “Tudo se transformou” e “Eu não sei seu nome inteiro”. Estão presentes na interpretação de João Bosco nomes como Milton Nascimento, Paulinho da Viola, Tom Jobim, João Donato e Chico Buarque.

Serviço: Teatro Opus (Shopping Villa-Lobos), Av. das Nações Unidas, 4777, Pinheiros. Sexta (19) às 21h. Ingressos: R$ 120 e R$ 180.

Revolta

Criar novas narrativas e transportar o clássico texto “A Missão, Lembranças de uma Revolução”, do escritor alemão Heiner Müller (1929-1995) para os dias atuais, discutindo questões ligadas à discriminação racial. Em síntese, esta é a proposta de “A Missão em Fragmentos: 12 cenas de descolonização em legítima defesa”, espetáculo inaugural do coletivo Legítima Defesa, que ganha temporada a partir do dia 4 de abril. Com elenco formado por 15 performers negros, atores, atrizes, músico, DJ e diretor em cena, a peça traz três emissários da Convenção Francesa que vão à Jamaica, colônia inglesa, para organizar uma revolta dos escravos no inverno de 1798/1799. Assim que estabelecem as primeiras conexões, são alcançados pela notícia de que Napoleão havia tomado o poder no dia 9 de novembro de 1799. Debuisson então interrompe os preparativos: acreditando não ter o apoio do novo regime, trai seus companheiros Sasportas e Galloudec, entregando-os à coroa Britânica.Com Eugênio Lima, Walter Bathazar, Gilberto Costa, Luz Ribeiro, Junior Cabral, Mawusi Tulani, Jhonas Araújo, Renato Caetano, Palomaris Mathias, Tatiana Rodrigues Ribeiro, Nádia Bittencourt, Thereza Morena, Fernando Lufer, Luiz Felipe Lucas e Luan Charles e Aliadxs.

Serviço: Centro Cultural São Paulo, R. Vergueiro, 1000, tel. 3397-4002. Terças e quartas às 20hIngressos: pague quanto puder, nos seguintes valores: R$ 1, R$ 5, R$ 10, R$ 15 e R$ 20. Até 17/05.

Samba

Luciana Mello

A cantora Luciana Mello aposta em shows especiais para a temporada, com sambas de seu mais novo trabalho, “Na luz do Samba”, como o novo single “Joia Rara”, além dos sucessos “Assim que se faz”, “Simples desejo” e “Tchau”. O repertório ainda conta com versões de músicas que a influenciaram durante toda a carreira.

Serviço: Café Burlesque, R. Augusta, 2805, Jardim Paulista. Terça (30) às 21h. Ingressos: R$ 70 e R$ 80.

Mais Lidas