Lançamento

Alexandre Grooves lança o CD “Multi”, segundo trabalho de sua carreira solo, que chega com influências do rock, folk e blues, mas sem perder a identidade pop e as referências da MPB

Alexandre Grooves

O show de lançamento acontece no dia 18 de maio. O disco traz 10 faixas das quais nove são autorais e uma, regravação: “Ska” (do Paralamas do Sucesso), numa versão vibrante e surpreendente. Multi-instrumentista, Grooves gravou a maioria dos instrumentos e fez os arranjos, além de produzir o álbum. O álbum “Multi” chega 10 anos depois do primeiro lançamento, “Amanhã Eu Não Vou Trabalhar. O repertório de “Multi” é formado por: “É Tudo Gente“, “Sou Louco por Ela”, “Cancela”, “Respeite-me”, “Ska”, “Pra Viver Só com Você“, “Na Parede”, “O que Seria das Flores”, “Garota da Capa” e “Quando o Mar Quebra”. Com, Alexandre Grooves (piano, guitarra, violão, percussão e voz), Bruno Silveira (bateria), Dudinha Lima (baixo e vocais), Júlio Caliman (guitarra e vocais), André Lima (teclados e vocais), Marcelo Freitas (sax) e trompete (a definir).

Serviço: Bourbon Street, R. dos Chanés, 127, Moema, tel. 5095-6100. Quinta (18) às 22h. Ingresso: R$ 50 (compra antecipada vale também um CD)

REFLEXÃO

DISCUSSÕES: "Contendas de homens corruptos de entendimento e privados de verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho; aparta-te dos tais". Paulo - I Timóteo 6:5 No amontoado de problemas espirituais que integram o quadro de preocupações do discípulo, destacamos o fenômeno palavroso, como dos mais importantes ao seu bem-estar. A contenda verbal tem o seu lado útil ou o seu objetivo elevado, no entanto, é preciso considerar, antes do início, sua verdadeira finalidade. Discussões a esmo são ventanias destruidoras. Quando alguém delibere romper o silêncio é indispensável examinar o caráter dessa atitude. * Naturalmente, não estamos falando para o homem vulgar, empenhado em críticas a todas as criaturas e cousas do caminho comum, olvidando a si mesmo, mas para o discípulo de boa e sincera intenção. * A inferioridade com seus tentáculos numerosos convida insistentemente aos atritos, todavia, o aprendiz fiel deve conservar-se vigilante, em seu posto, sob pena de ser inscrito como servo relapso, indigno da tarefa. * Surgirão, como é justo, horas de esclarecimento, dilatando as luzes espirituais nas sendas retas, contudo, quando se verifique um desafio à discussão, convém meditar gravemente no assunto, antes de se atirar ao duelo das palavras. Não haverá recurso fora dos elementos de sensacionalismo? Não será falsa piedade, mascarando a causa do ganho? * Nem sempre esse ganho é o dinheiro; pode ser também prepotência de opinião, sectarismo, vaidade. Um homem na sua tarefa de realização com Deus, do trabalho mais simples ao mais complicado, pode estar certo de que está no lugar próprio, atendendo à Vontade do Senhor que ali o colocou sabiamente; mas quando se ponha em contendas, ninguém, nem ele mesmo, pode saber até onde irá e quanto carvão será depositado em sua alma, após o grande incêndio. Emmanuel (De "Sentinelas da Luz", de Francisco Cândido Xavier, espíritos diversos)

Humor

Cena da peça “Palhaços... Por quê não?.

A peça “Palhaços... Por quê não?” narra o encontro de um palhaço e um caixeiro viajante durante uma tarde qualquer, resultando em uma franca conversa repleta por diálogos que levam à reflexão ao passado e ao tradicional mundo circense, onde a ingenuidade e a leveza retratavam uma época poética. Com Sérgio Buck e Matheus Carminatti.

Serviço: Teatro Augusta, R. Augusta, 943, Cerqueira César, tel. 3151-4141. Sextas às 21h30. Ingresso: R$ 50. Até 30/06.

SUPLÍCIO DE MÃE

Obra inédita do dramaturgo espanhol Fernando Arrabal a peça Carta de Amor (Como um suplício chinês), ganha leitura do Teatro Kaus Cia Experimental. O texto apresenta dados autobiográficos do autor por meio de cartas trocadas entre mãe e filho. A leitura tem direção de Reginaldo Nascimento e reúne os atores Amália Pereira e Alessandro Hernandez. Na leitura uma mãe recebe uma carta de seu filho, do qual há muito não tem notícias, no dia de seu aniversário. Estabelece-se um monólogo interior da mãe a partir de recordações do tempo em que sua relação com o filho era idílica. Os conflitos bélicos da Guerra Civil Espanhola e suas consequências fizeram desse amor um verdadeiro “suplício chinês”.

Serviço: Instituto Cervantes, Av. Paulista, 2.439, Cerqueira César, tel. 3897-9600. Quarta (17) às 19h30. Entrada franca.


Música latino-americana

Duo volver

Volver a Latinoamérica é um projeto musical criado 2015 que teve como inspiração inicial as canções de Violeta Parra, compositora, cantora, escritora e artista plástica chilena nascida em 1917, além de outros importantes compositores latino-americanos, como María Elena Walsh, Atahualpa Yupanqui, Fito Paez, Tejada Gómez, César Isella, Ariel Ramírez, Daniel Viglietti, Víctor Jara, e da cantora argentina Mercedes Sosa. A escolha do repertório foi pensada pela sua importância e representação social, pois são canções que se consagraram como crítica político-social e meio de expressão contra a repressão nos períodos das ditaduras latino-americanas entre 1960 e 70. O duo é formado por Giulia Faria, cantora e violonista, e Carolina Andrade, também violonista e arranjadora.

Serviço: CPC-USP-Casa de Dona Yayá, R. Major Diogo, 353, Bela Vista, tel. 2648-1502. Domingo (21) às 11h. Entrada franca.


Mais Lidas