MPB

Vania Abreu apresenta novo show Venturo

Vania Abreu

No repertório, uma seleção de canções gravadas em seus 7 discos de carreira, e novas leituras para os clássicos como, Quizas, Quizas, Quizas (1947) de autoria do cubano Osvaldo Ferrès, e Samba de Uma Nota Só (1962) de Tom Jobim e Newton Mendonça. A artista ainda apresenta canções inéditas, que serão lançadas ainda em 2017. A direção artística e musical é da própria Vania, que sobe ao palco acompanhada por João Cristal no teclado, Xinho Rodrigues no contrabaixo e Ricardo Braga e Cauê Silva na percussão. O show é dividido em três momentos, sempre traduzidos pela ordem das músicas que busca a conexão literal entre elas, assim como a condução de sua emotividade como intérprete.

Serviço:Teatro Lauro Gomes, Av. Helena Jacquey, 171, Rudge Ramos, São Bernardo do Campo, tel. 4368- 3483. Sexta (12) às 21h. Ingressos: R$ 80 e R$ 40 (meia).

REFLEXÃO

A LÍNGUA

Não obstante pequena e leve, a língua é, indubitavelmente, um dos fatores determinantes no destino das criaturas.
Ponderada - favorece o juízo.
Leviana - descortina a imprudência.
Alegre - espalha o otimismo.
Triste - semeia desânimo.
Generosa - abre caminho à elevação.
Maledicente - cava despenhadeiros.
Gentil - provoca o reconhecimento.
Atrevida - atrai o ressentimento.
Serena - produz calma.
Fervorosa - impõe confiança.
Descrente - invoca a frieza.
Bondosa - auxilia sempre.
Descaridosa - fere sem perceber.
Sábia - ensina.
Ignorante - complica.
Nobre - cria o respeito.
Sarcástica - improvisa o desprezo.
Educada - auxilia a todos.
Inconsciente - gera desequilíbrio.
Por isso mesmo, exortava Jesus:

- "Não procures o argueiro nos olhos de teu irmão, quando trazes uma trave nos teus."

A língua é a bússola de nossa alma enquanto nos demoramos na Terra.

Conduzamo-la, na romagem do mundo, para a orientação do Senhor, porque, em verdade, ela é a força que abre as portas do nosso coração às fontes da vida ou às correntes da perturbação e da morte.

(De "Apostilas da Vida", de Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito André Luiz)

Infantil

Cena da peça “Saci e Curupira – Uma dupla perfeita”.

Na peça “Saci e Curupira – Uma dupla perfeita”, Saci e Curupira viviam brigando, nunca entravam em comum acordo. Saci fazia suas palhaçadas e Curupira o castigava, os dois viveram assim durante anos. Mas agora os dois precisam se unir, pois surge uma Bruxa na Amazônia, que começa a provocar conflitos para os habitantes da mata. O que será que Saci e Curupira vão fazer para salvar toda floresta dos problemas provocados pela bruxa?

Serviço: Tietê Plaza Cultural, Marginal Tietê, entre as pontes Piqueri e Anhanguera, tel. 3201-9000. Domingo (14) às 14h. ntrada franca.

“As Antiprincesas”

as temporario

Utilizar o universo das contações de histórias para homenagear grandes mulheres, cujas trajetórias marcaram e influenciaram milhares de pessoas ao longo dos anos. Em síntese, essa é a proposta do projeto “As Antiprincesas”, baseado na coleção homônima da autora Nadia Fink, que a Cia Luarnoar apresenta. A peça, que terá como tema Frida Kahlo (1907-1954) e Clarice Lispector (1920-1977), traz a cena mulheres da América Latina que fogem ao padrão de princesas dos contos de fadas tradicionais.As narrações contam com ambientação cenográfica, mantendo a magia dos “cenários sonoros” resgatados das antigas radionovelas, além de canções originais.

Serviço: Livraria NoveSete, R. França Pinto, 97, Vila Mariana, tel. 5573-7889. Sábado (13) às 16h. Entrada franca.

Valores

Escrita pelo ganhador do Prêmio Nobel de Literatura de 1997, Dario Fo, e sua mulher Franca Rame, a comédia Não Vamos Pagar! faz curta temporada. O elenco é formado por Virginia Cavendish, Marcello Airoldi, André Dale, Luísa Vianna e Aramis Trindade. A peça se desenrola a partir de uma reclamação contra a alta de preços num supermercado e desencadeia uma série de situações surpreendentes e inesperadas. Antônia e Margarida são duas donas de casa que têm dificuldade para por as contas em dia ao fim do mês. Um grupo de mulheres decide invadir e saquear um supermercado. Entre elas, Antônia, que a partir disso se envolve em uma sequência de peripécias. O marido, cheio de valores e princípios éticos, prefere morrer de fome a fazer alguma coisa ilegal, e não faz ideia do que sua mulher tem feito. Somam-se a isso os problemas criados pela amiga Margarida, relutante em ajudá-la, e os vários encontros e incidentes com a polícia.

Serviço: Teatro Porto Seguro, Al. Barão de Piracicaba, 740, Campos Elíseos, tel. 3226-7300. Sextas e sábados às 21h, domingos, às 19h. Ingressos: R$ 40 e R$ 70. Até 21/05.