Crise expõe dificuldade da Europa em lidar com problema migratório

Imigrantes em Calais, na tentativa de embarcar em caminhão de transporte para a Inglaterra.

O elevado número de imigrantes que tentam chegar ao Reino Unido pelo Eurotúnel, que ganhou destaque na imprensa internacional desde a semana passada, voltou a expor a dificuldade da Europa em lidar com a grave crise migratória

Nos dias de pico, foram registradas mais de 2 mil tentativas de atravessar o túnel que liga a França ao território britânico sob o Canal da Mancha. Do porto da cidade francesa de Calais, por onde passa o Eurotúnel, é possível avistar, do outro lado, a britânica Dover. A proximidade com o Reino Unido tem atraído, desde o fim da década de 1990, grupos de migrantes ilegais que buscam um futuro melhor em terras britânicas. Muitos têm parentes ou amigos que conseguiram completar a travessia ilegalmente e se estabelecer na Grã-Bretanha, ampliando a esperança de quem ainda sonha em chegar do outro lado.
O aumento do fluxo migratório para a Europa este ano – mais de 150 mil chegaram ao continente pelo Mar Mediterrâneo desde janeiro e quase 2 mil morreram durante a travessia, segundo a Organização Internacional para as Migrações – teve reflexos em Calais. Migrantes que alcançam o continente pelos países do Sul – entre eles, a Itália e a Grécia – seguem viagem por terra até Calais, acreditando que conseguirão atravessar o túnel. Muitos são atraídos por traficantes de pessoas que atuam na região.
No acampamento montado nas proximidades do porto de Calais, apelidado de “A Floresta”, o número de imigrantes não para de crescer. Hoje, no local, vivem mais de 3 mil pessoas em condições precárias, inclusive mulheres e crianças. Eles sobrevivem da ajuda que recebem de instituições de caridade e de voluntários. A maioria dos imigrantes que vivem no acampamento vem da Eritreia, do Sudão, do Afeganistão, de Serra Leoa e da Etiópia.
Todos os dias, eles arriscam a vida tentando furar o forte esquema de segurança e chegar ao túnel. Quando conseguem, atiram-se nos trilhos e tentam se agarrar a trens em movimento ou buscam se esconder em algum veículo e embarcar nos trens de carga. Nos últimos dois meses, nove imigrantes morreram enquanto tentavam cruzar a fronteira. De acordo com informações do Eurotúnel, desde janeiro, 37 mil tentativas foram interceptadas (ABr).

Geólogos descobrem túnel de animais extintos na região amazônica

Pesquisadores descobrem primeira toca de preguiças gigantes da região amazônica.

A primeira toca de preguiças gigantes da região amazônica, extintas há milhares de anos na América do Sul, foi descoberta no último mês por pesquisadores do Serviço Geo­lógico do Brasil. A caverna já era conhecida por moradores da região de Ponta do Abunã, em Rondônia, mas não havia sido classificada de paleotoca, ou seja, cavada por animais extintos.
De acordo com o geólogo Amilcar Adamy, responsável pela descoberta, a paleotoca existe há pelo menos 10 mil anos e tem no mínimo 100 metros de extensão. A toca tem marcas de garra que indicam que foi escavada por espécies de grande porte. “Não temos na fauna atual da região nenhum animal capaz desse tipo de escavação”, explica.
A primeira visita dos geó­logos ao local foi em 2010. Segundo Adamy, desde o primeiro momento a estrutura da toca despertou o interesse dos pesquisadores pelo formato circular e semicircular de grandes dimensões, pelos numerosos túneis interligados e por conter uma extensão indefinida, mas faltavam informações para classificar a caverna. “É possível ficar em pé lá dentro e circular livremente, somente em algumas partes é preciso se abaixar para passar”, destaca.
Após contato com pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e da Universidade Estadual Paulista, responsáveis pelas descobertas de dezenas de paleotocas nas regiões Sul e Sudeste, a equipe técnica do Serviço Geológico voltou a campo em meados de julho para analisar o local. Serão feitos estudos complementares na região para buscar novas tocas, além de detalhar a paleotoca descoberta e determinar sua extensão total. Também serão feitas escavações de pequeno porte em busca de evidencias fósseis dos antigos moradores do local (ABr).

Cristiano Ronaldo dá ilha grega de presente para seu agente

O craque português Cristiano Ronaldo teria dado de presente de casamento uma ilha grega para seu agente, Jorge Mendes, revelam os jornais europeus. O empresário administra a carreira do jogador desde o início e foi uma das presenças ilustres da cerimônia religiosa entre Mendes e Sandra Barbosa, ocorrida na última segunda-feira (3), em Oporto. Os dois estão juntos há mais de 10 anos e têm dois filhos, sendo que Ronaldo é o padrinho de batismo do mais novo.
Não se sabe qual é a ilha grega que o atleta comprou, mas os tablóides ingleses afirmam que ele desembolsou quatro milhões de euros na compra. Atualmente, a Grécia tem uma série de ilhas à venda por causa da crise econômica, com valores que vão de três a 50 milhões de euros. Segundo a imprensa portuguesa, Mendes tinha pedido para que os convidados doassem os valores de presentes para duas instituições beneficentes: o Instituto Português de Oncologia e a Associação Casa do Caminho, mas CR7 resolveu ir além.
Entre os 350 convidados da cerimônia, estavam ainda o ex-presidente do Barcelona, Joan Laporta, o mandatário do Real Madrid, Florentino Perez, o dono do Paris Saint-Germain, xeque Nasser Al-Khelaifi, Sir Alex Ferguson, o chefe do La Coruña, Augusto Lendoiro, e os jogadores Pepe, Coentrao e James Rodríguez (ANSA).

Alckmin destaca agronegócio e cobra investimentos

Alckmin destacou a a contribuição da agricultura para a economia.

O governador Geraldo Alckmin participou da abertura do 14º Congresso Brasileiro do Agronegócio, em São Paulo, destacando a grande contribuição da agricultura e da pecuária para a economia brasileira, mas também cobrando do governo federal condições para que o custo de produção seja menor. “O Brasil trocou a inflação pelo impostão. Nós criamos custo o dia inteiro. É um país que antes de ficar rico, ficou caro”, opinou Alckmin, apontando a necessidade de investimentos em logística em todo o Brasil para diminuir os custos da produção agropecuária.
O governador lembrou que “o setor agropecuário é o que tem trazido mais boas notícias para o Brasil, é quem está segurando a economia”, por isso a importância em se investir em ferrovias, rodovias e hidrovias, por exemplo, como forma de escoar melhor a produção brasileira e diminuir o chamado custo Brasil – que conta ainda com altas taxas de juros federais. “Em São Paulo, por exemplo, temos o menor imposto sobre o álcool, 12%. Isso não é discurso, é na prática”, apontou Geraldo Alckmin.
Para Arnaldo Jardim, secretário de Agricultura do Estado,o governador se mostra cada vez mais afinado e atento às necessidades do campo. “O governador destacou que o Estado estará muito sintonizado com aquilo que é agora a nova referência, que é buscar a produção integral, 365 dias ao ano, e a integração lavoura e pecuária e depois lavoura, pecuária e florestas”, adicionou o secretário (SAA).

Cresce a vendas de imóveis para brasileiros na Flórida

Os rumos da economia nacional e a alta do dólar não alteraram o entusiasmo de brasileiros que procuram imóveis para investir ou morar na Flórida (EUA). É o que aponta levantamento da Lello, tradicional imobiliária paulistana. No primeiro semestre deste ano, houve aumento de 26,5% no número de imóveis vendidos para brasileiros no famoso estado norte-americano, em relação ao mesmo período de 2014.
O crescimento maior foi observado em Orlando: 38% no período. Já em Miami houve incremento de 15% nas vendas para brasileiros nos seis primeiros meses de 2015. A procura por imóveis nas duas cidades cresceu 22% na comparação entre o primeiro semestre e o de 2014.
Ainda segundo a Lello, 80% dos brasileiros que compram imóveis na Flórida pagam o valor à vista, e 20% usam créditos imobiliários nos EUA. O valor médio dos empreendimentos comercializados para brasileiros é de US$ 450 mil em Miami e R$ 250 mil em Orlando.
Objetivando orientar interessados, a Lello organizou para os próximos dias 11 e 12, um ciclo de palestras sobre processos de aquisição, financiamentos, processo de abertura de empresa, operação de visto e proteção patrimonial. Ocorrerão no Flat Transamérica do Jardim Paulista (Al. Lorena, 473). Informações (www.lellovendas.com.br).

Companhias aéreas proíbem voos com animais de caça

As maiores companhias aéreas norte-americanas - Delta Airlines, United Airlines e American Airlines - anunciaram que proibiram o embarque de “troféus de caça” em seus voos. Em nota, cada empresa destacou que está proibido o envio de animais do grupo chamado “os cinco grandes”: leões, leopardos, elefantes, búfalos e rinocerontes. Segundo a Delta, a única que tem voo direto entre os EUA e Johanesburgo, está em estudo também a proibição do embarque de outros tipos de animais silvestres.
A medida foi tomada após a grande polêmica envolvendo a morte do leão Cecil, no Zimbábue, pelo dentista norte-americano Walter James Palmer. O bicho era considerado um símbolo do país africano e era alvo de estudo há 11 anos da Universidade de Oxford. Apesar da polêmica morte em julho, outras empresas que fazem o transporte intercontinental já estavam proibindo o embarque desses “troféus”. Em junho, a Lufthansa Cargo proibiu o transporte dos animais, enquanto a Emirates SkyCargo realizou a proibição em maio.
Apesar da maior parte desses “prêmios” serem enviados por navios, o banimento deve afetar milhares de pessoas que praticam a caça como esporte. O Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos EUA também está investigando as ações de Palmer no Zimbábue para saber se ele participava de uma rede internacional de tráfico de animais. Já o governo africano aguarda resposta para um pedido de extradição do dentista (ANSA).

 
 

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP