Consumo das famílias tem maior queda desde 1997

A queda da demanda interna se refletiu também nas importações.

O consumo das famílias no Produto Interno Bruto do segundo trimestre (abril, maio e junho) de 2015 teve a maior queda desde 1997 em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo o IBGE, mostrando uma retração de 2,7% em relação a 2014

Na série histórica iniciada em 1996, o desempenho apresentado no último trimestre só não é pior que o do quatro trimestre de 1997.
Na avaliação do IBGE, influenciaram este resultado fatores como a inflação e o crescimento do crédito abaixo dela, além de níveis piores de emprego e renda na comparação com o ano passado. “Essa conjuntura fez com que o consumo das famílias caísse, em especial na parte dos bens duráveis”, analisou a coordenadora de contas nacionais do IBGE, Rebeca de La Rocque Palis.
A queda da demanda interna se refletiu também nas importações, assim como o câmbio, que teve uma desvalorização de 38% entre o segundo trimestre do ano anterior e os meses de abril, maio e junho deste ano. As importações caíram 11,7% no período, enquanto as exportações subiram 7,5%.
A queda das importações se deu principalmente nos veículos automotores, nos equipamentos eletrônicos, nas máquinas e equipamentos e nas viagens e transportes. Por outro lado, as exportações cresceram com o desempenho dos setores de petróleo e carvão, siderurgia, metalurgia e veículos automotores (ABr).

Escolas já podem escolher livros didáticos para 2016

Professores das redes públicas de ensino têm até 8 de setembro para indicar as obras mais adequadas à cada escola.

Começou o prazo para a escolha dos livros didáticos que serão utilizados pelos alunos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental a partir do ano que vem. Professores, diretores e coordenadores educacionais das redes públicas de ensino têm até o dia 8 de setembro para indicar as obras mais adequadas ao projeto pedagógico de cada escola no sistema eletrônico do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).
Esta será a primeira vez que estudantes dos anos iniciais do ensino fundamental receberão livros de arte, como os alunos do ensino médio que já foram contemplados. Além disso, os professores terão duas opções em relação aos componentes de ciências, história e geografia. Podem optar por obras específicas de cada uma dessas disciplinas ou escolher a coleção integrada de ciências humanas e da natureza.
Como regra básica, devem ser selecionadas duas opções de cada disciplina, de editoras diferentes. Caso não seja possível a aquisição dos livros da editora da primeira opção, o FNDE negociará as obras da segunda. Caso o colégio não acesse o sistema ou não registre opção em nenhum momento, será encaminhado, compulsoriamente, um dos títulos aprovados para o PNLD 2016 de cada componente curricular.
A previsão é de comprar cerca de 50 milhões de exemplares, em benefício de 10,4 milhões de alunos dos anos iniciais do ensino fundamental.

Serra da Saudade é município menos populoso do país

Serra da Saudade (MG), município menos populoso do país, tem 818 habitantes, segundo estimativa populacional de 2015 divulgada pelo IBGE. Além dele, dois municípios têm menos de mil pessoas: Borá (SP), com 836, e Araguainha (MT), com 976.
O mais populoso, São Paulo, tem 11,97 milhões de habitantes. O Rio de Janeiro é o único no país, além de São Paulo, que tem mais de 5 milhões de pessoas: 6,48 milhões. No total, 17 municípios do país têm mais de 1 milhão de residentes.
Depois das duas capitais do Sudeste, os municípios mais populosos do país são: Salvador (2,92 milhões), Brasília (2,91 milhões), Fortaleza (2,59 milhões), Belo Horizonte (2,5 milhões), Manaus (2,06 milhões), Curitiba (1,88 milhão), Recife (1,62 milhão) e Porto Alegre (1,48 milhão). Sem considerar as capitais, Guarulhos tem a maior população: 1,32 milhão de pessoas (ABr).

Enfrentamento entre índios e agricultores no MS

O senador Waldemir Moka (PMDB-MS) fez um alerta para o iminente enfrentamento entre índios e agricultores na zona rural de Antônio João, município a 300 km de Campo Grande. Os produtores fecharam rodovias em protesto contra a invasão de cerca de mil índios a cinco propriedades em 10 mil hectares de terras da região. Moka disse temer que o enfrentamento se torne violento, uma vez que indígenas e produtores rurais estão irredutíveis.
Segundo o senador, os índios ocuparam um distrito de Antônio João, expulsando os moradores, com o argumento de aquelas seriam terras indígenas. A área, entretanto, seria produtiva e estaria nas mãos de famílias de agricultores há mais de 50 anos. O senador pediu ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e ao ministro da Defesa, Jaques Wagner, que intervenham na questão. “Eu não tenho dúvida que se tiver enfrentamento, como já aconteceu, nós vamos ter perda de vidas e é o que estamos querendo evitar. É a nossa gente, é a minha gente. Eu fico realmente sensibilizado”, disse.
Waldemir Moka pediu ainda a aprovação no Senado da proposta que assegura indenizações por benfeitorias e pela terra nua aos donos de terra que sejam consideradas reservas indígenas. Ele acredita que a proposta poderia ajudar a resolver os conflitos em seu estado (Ag.Sendo).

Tarifa da bandeira vermelha na conta de luz cai 18%

O novo valor corresponde a uma redução de dois pontos percentuais no custo da conta de luz.

A Aneel aprovou a redução de 18% no valor da tarifa da bandeira vermelha, o indicador que engloba os usuários que pagam o custo mais alto de energia. Com a decisão, o valor adicional para cada 100 kWh consumidos cai de R$ 5,50 para R$ 4,50. Para os consumidores, o novo valor corresponderá a uma redução de dois pontos percentuais no custo da conta de luz. A mudança vai até 31 de dezembro.
A decisão foi adotada em razão da redução no custo de produção de energia decorrente do desligamento de 21 termelétricas, com custo variável unitário maior que R$ 600 MWh, aprovada no início deste mês.
Apesar do pedido das distribuidoras para que o valor seja mantido, devido ao aumento dos custos de geração, a diretoria da Aneel entendeu que o uso das bandeiras deve refletir o cenário de disponibilidade da geração e não os problemas de caixa das distribuidoras.
“Não podemos confundir o conceito do fundamento das bandeiras com o alívio de caixa. O valor arrecadado com as bandeiras deve cobrir o valor da geração termelétrica. Para outras razões de [alta de] custo existem outros mecanismos de compensação”, disse o diretor da Aneel Reive Barros dos Santos, relator do caso. Para o diretor Tiago Correia, os consumidores responderam ao instrumento das bandeiras, reduzindo o consumo e fazendo investimentos, como a substituição de lâmpadas incandescentes pelas de led, o que justifica a redução do valor da bandeira (ABr).

Instagram com fotos em novos formatos

O Instagram, a maior rede social de imagens, divulgou uma nova mudança que vai deixar muitos usuários felizes. A plataforma passará a permitir que se publiquem fotos fora do tradicional formato quadrado. Agora, os usuários não precisarão colocar apenas imagens quadradas, mas também fotografias na vertical (retrato) e na horizontal (paisagem).
A medida quer evitar que quem usa o Instagram precise cortar suas fotos e eliminar partes importantes delas para poder publicá-las. A novidade já está disponível para os sistemas Android e IOS na versão 7.5 do aplicativo. Atualmente, a rede social conta com mais de 300 mil usuários em todo mundo, sendo que 30% deles se concentram nos Estados Unidos. Todos os dias, mais de 70 milhões de fotos são publicadas, com uma média de 2,5 bilhões de curtidas (ANSA).

Casa de membro da Camorra vira museu

A casa de um importante membro da máfia Camorra em Casal di Principe, a 30 km de Nápoles, recebe uma mostra dos mais célebres pintores do século XVII. Chamada “A luz vence a escuridão”, a exposição vai até o dia 21 de outubro e acontece em uma residência que costumava sediar reuniões da cúpula da organização para definir sentenças de morte e planejar novas atividades criminosas.
A ideia partiu da Galleria degli Uffizi, o principal museu de Florença, que cedeu obras importantes de seu acervo, principalmente dos artistas Luca Giordano, Mattia Preti e Artemisia Gentileschi, todos da escola napolitana. A casa foi rebatizada com o nome de um padre assassinado pela Camorra, Giuseppe Diana, em Casal di Principe.
Até hoje, a cidade é um dos locais mais afetados pela máfia e feudo de poderosas famílias que juízes e polícias ainda não conseguiram erradicar. Jovens do município foram escolhidos para o papel de guias do novo museu, onde contarão também a dificuldade de crescer à sombra da delinquência e da ilegalidade (ANSA).