No Dia Mundial da Saúde, OMS alerta sobre depressão

Cerca de 5,8% da população brasileira sofrem de depressão – um total de 11,5 milhões de casos.

A depressão tem tratamento e o primeiro passo é conversar sobre o assunto. Essa é a proposta da Organização Mundial da Saúde (OMS) no Dia Mundial da Saúde, lembrado na última sexta-feira (7)

A doença afeta pessoas de todas as idades e estilos de vida, causa angústia e interfere na capacidade de o paciente fazer até mesmo as tarefas mais simples do dia a dia. “No pior dos casos, a depressão pode levar ao suicídio, segunda principal causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos”, destacou a OMS.
O número de pessoas que vivem com depressão, segundo a OMS, está aumentando – 18% entre 2005 e 2015. A estimativa é que, atualmente, mais de 300 milhões de pessoas de todas as idades sofram com a doença em todo o mundo. “A depressão é diferente de flutuações habituais de humor e respostas emocionais de curta duração aos desafios da vida cotidiana. Especialmente quando de longa duração e com intensidade moderada ou severa, ela pode se tornar um sério problema de saúde”, destacou a organização. Os dados mostram que quase 800 mil pessoas morrem anualmente em razão de suicídio.
De acordo com a OMS, cerca de 5,8% da população brasileira sofrem de depressão – um total de 11,5 milhões de casos. O índice é o maior na América Latina e o segundo maior nas Américas, atrás apenas dos Estados Unidos, que registram 5,9% da população com o transtorno e um total de 17,4 milhões de casos. Além do Brasil e dos Estados Unidos, países como a Ucrânia, Austrália e Estônia também registram altos índices de depressão em sua população – 6,3%, 5,9% e 5,9%, respectivamente. Entre as nações com os menores índices do transtorno estão as Ilhas Salomão (2,9%) e a Guatemala (3,7%). A prevalência na população mundial, segundo a OMS, é 4,4%.
A organização também alertou que, apesar da existência de tratamentos efetivos para a depressão, menos da metade das pessoas afetadas no mundo recebe ajuda médica. As barreiras incluem falta de recursos, falta de profissionais capacitados e o estigma social associado a transtornos mentais, além de falhas no diagnóstico. “O fardo da depressão e de outras condições envolvendo a saúde mental está em ascensão em todo o mundo”, concluiu a OMS, ao cobrar uma resposta compreensiva e coordenada para as desordens mentais por parte de todos os países-membros (ABr).

Grupo anticorrupção do G20 reúne-se no Brasil

A reunião abordará temas como a lavagem de dinheiro, disse  o ministro Torquato Jardim.

O Brasil sedia, na próxima semana, dois eventos que reunirão representantes do G20 para discutir mecanismos internacionais de combate à corrupção. Segundo o ministro da Transparência, Torquato Jardim, a reunião do Grupo de Trabalho Anticorrupção do G20 abordará temas como a cooperação internacional para o enfrentamento de crimes financeiros internacionais, como a lavagem de dinheiro, bem como parcerias que permitam o compartilhamento de documentos e informações e a recuperação de ativos.
A reunião será terça-feira (11) e quarta-feira (12), em Brasília, mas será fechada ao público e à imprensa. A expectativa é que ao menos 120 pessoas participem desta reunião, que será a segunda dos três encontros anuais que o grupo promove este ano: a primeira reunião de 2017 foi em janeiro, na Alemanha. A terceira está marcada para setembro, na Áustria.
“É nosso trabalho explorar novos e mais extensos mecanismos de cooperação. Criar um mecanismo no âmbito administrativo, mais rápido e eficaz do que os meios concebidos nos tratados internacionais para processos judiciais”, explicou Jardim, ao falar sobre as atribuições do Brasil como atual copresidente (junto com a Alemanha) do Grupo de Trabalho Anticorrupção do G20.
De acordo com o ministro, há consenso sobre a importância e a necessidade de mecanismos de cooperação internacional. No entanto, alguns dos principais órgãos de combate à corrupção estrangeiros ainda temem o vazamento das informações. “Há vários países que não se dispõem a colaborar com o Brasil porque falta, na relação bilateral, a segurança quanto à preservação da confidencialidade dos documentos”, explicou o ministro (ABr).

Terra abriga 60 mil espécies de árvores

Um estudo do Botanical Gardens Conservation International mostrou que o planeta Terra abriga 60.065 espécies diferentes de árvores e o Brasil lidera o ranking com a maior variedade: no território nacional, são cerca de 8,7 mil tipos diferentes.
O estudo se baseou nas informações de uma rede de 500 institutos de botânicas em todo o mundo e ainda revelou que esse número tende a aumentar no próximos anos, já que são registradas duas mil novas espécies de plantas novas anualmente.
Se o Brasil está na liderança dos tipos de árvores, a região ártica da América do Norte é a que está no fim da lista, com menos de 1,4 mil espécies (o estudo excluiu, propositalmente, as regiões polares). Nessa área da América do Norte, há 300 variedades de plantas que estão seriamente ameaçadas de extinção, sendo que algumas contam com menos de 80 exemplares na natureza (ANSA/COM ANSA).

Itália prende 2 por cidadania ilegal a jogadores brasileiros

Bruno Henrique é apresentado no Palermo.

O responsável pela Secretaria de Estado Civil de Brusciano, no sul da Itália, e o titular de uma agência de práticas administrativas de Terni, no centro do país, foram presos na sexta-feira (7) por supostamente terem recebido propinas para conceder cidadania italiana por direito de sangue a cerca de 300 cidadãos brasileiros, incluindo jogadores de futeabol.
Entre os jogadores brasileiros que teriam obtido a cidadania italiana de maneira irregular estão o volante Bruno Henrique, do Palermo e ex-Corinthians, e os meias Gabriel Boschilia, revelação do São Paulo que atua hoje pelo Monaco, da França, e Eduardo Henrique, do Atlético Mineiro. O atacante Eduardo Sasha, do Internacional, e Guilherme Lazaroni, do Red Bull Brasil, também teriam sido beneficiados.
“Um dia após a chegada dos carabineiros à Prefeitura, suspendi imediatamente o funcionário”, disse o prefeito de Brusciano, Giuseppe Romano. Por sua vez, o Palermo afirmou que é “totalmente estranho aos fatos”. “O jogador [Bruno Henrique] não deixará de esclarecer assim que for confirmado seu envolvimento nas investigações”, declarou o clube por meio de um comunicado.
A Justiça da Itália tem feito diversas ações contra irregularidades na concessão de cidadania. Em janeiro, um policial foi preso em Lodi, no norte do país, por facilitar a certificação de residência para estrangeiros, principalmente brasileiros, que viajaram à nação europeia para realizar o processo de dupla nacionalidade. O jogador brasileiro Bruno Henrique, que atualmente é contratado do Palermo, negou ter sido beneficiado com a cidadania italiana por meio de pagamento de propina. “Eu desconheço esses fatos e estou à disposição para fornecer toda a documentação necessária para comprovar que sou estrangeiro”, disse o atleta (ANSA/COM ANSA).

Governo intensifica combate ao Aedes aegypti

O governo federal mobiliza os profissionais da saúde no combate ao mosquito Aedes aegypti. As ações acontecem nas 41.688 Unidades Básicas de Saúde do país, com vistoria para identificar criadouros e orientações à população no combate ao mosquito transmissor da dengue, Zika e chikungunya.
A medida faz parte da campanha ‘Sexta-Feira Sem Mosquito’, organizada pelo Ministério da Saúde, em parceria com os conselhos nacionais de Secretários de Saúde e de Secretários Municipais de Saúde.
A meta é que a população reserve um dia na semana para combater os focos do mosquito, vistoriando casas, ambientes de trabalho e escolas.
Segundo o ministério, medidas simples podem evitar a proliferação do mosquito, como fazer o descarte correto do lixo, tampar depósitos de água e limpar com buchas as laterais e bordas dos vasos de plantas.
Para o ministro da Saúde, Ricardo Barros, a mobilização é questão de hábito. “Se cada cidadão fizer a sua parte, evitando água parada e descoberta em locais que possam servir de criadouros, juntos estaremos realizando um grande mutirão semanal de limpeza em todo o país”, afirmou Barros, em nota (ABr).

 
Mais Lidas