Casos de overdose entre as mulheres disparam no mundo todo

O Conselho Internacional para o Controle de Narcóticos diz que houve um aumento desproporcional dos casos de overdose de drogas e medicamentos entre as mulheres.

O relatório anual de 2016 do Conselho Internacional para o Controle de Narcóticos (INCB, na sigla em inglês), entidade da ONU, alerta que houve um aumento desproporcional dos casos de overdose de drogas e medicamentos entre as mulheres no mundo

O documento pede aos países que levem as mulheres em consideração na preparação de programas e políticas sobre o assunto.
Segundo o INCB, os governos devem dar prioridade ao fornecimento de cuidados de saúde a mulheres dependentes e quer mais fundos e coordenação para evitar e tratar o abuso de drogas entre o público feminino. O relatório mostrou que mulheres e meninas representam um terço dos usuários globais de drogas. Os índices mais altos foram registrados entre as mulheres em países ricos.
Ao mesmo tempo, apenas 20% das pessoas que recebem tratamento são mulheres. Comparado com os homens, as mulheres são mais propensas a receber prescrições de narcóticos e medicamentos para combater a ansiedade. O relatório mostra ainda que houve um aumento significativo das prisões de pessoas do sexo feminino por crimes relacionados às drogas. Os especialistas constataram uma forte conexão entre as trabalhadoras do sexo e o uso de drogas.
No Brasil, o relatório diz que o crime organizado e o tráfico de drogas continuam sendo o foco das preocupações e da cooperação regional, incluindo a tríplice fronteira do país com a Argentina e o Paraguai. No ano passado, Brasil, Peru e Bolívia anunciaram a criação de um centro de inteligência da polícia para combater o tráfico de drogas entre os três países. O governo brasileiro firmou também um acordo de cooperação estratégica com o Escritório da Polícia Europeia (Europol), para aumentar a cooperação entre os dois lados.
O relatório do Conselho Internacional para o Controle de Narcóticos afirma ainda que apesar da fabricação de cocaína ocorrer principalmente na Colômbia, no Peru e na Bolívia, laboratórios clandestinos foram encontrados no Brasil, na Argentina, no Chile e no Equador. Além disso, o uso de cocaína por estudantes do ensino médio é mais alto na América do Sul em comparação com as Américas Central e do Norte e no Caribe. Os maiores índices foram registrados na Argentina, Chile, Colômbia e Brasil, em quarto lugar (ONU News).

Exército sírio afirma ter recapturado a histórica cidade de Palmira

A captura da antiga cidade de Palmira constitui uma base para expandir a campanha contra o Estado Islâmico.

O exército sírio anunciou que as forças sírias capturaram a antiga cidade de Palmira, no centro da Síria, na última quinta-feira (2), depois de batalhas contra extremistas do grupo terrorista do Estado Islâmico (EI). A conquista ocorreu depois que as forças sírias infligiram pesadas perdas aos militantes do EI, disse a declaração, acrescentando que esquadrões especiais estão na cidade para desarmar possíveis minas, restos de bombas e explosivos na estrada.
O exército sírio, apoiado pela força aérea russa e pelos combatentes do grupo libanês Hezbollah, desencadeou uma contraofensiva para retomar Palmira em 14 de janeiro, poucos dias depois que militantes do EI tomaram a cidade pela segunda vez em dezembro, depois de perdê-la nove meses antes para o exército sírio. Segundo o comunicado “a conquista é importante devido ao valor cultural e histórico de Palmira”, acrescentando que essa vitória também coincide com as vitórias do exército sírio no campo leste da cidade de Aleppo contra o grupo terrorista.
“Essas vitórias são um grande golpe para o EI, que começou a recuar sob os ataques do exército sírio e das forças aliadas”, afirmou a nota. A captura de Palmira constitui uma base para expandir a campanha contra o Estado Islâmico em muitas frentes e também ajuda a sufocar as linhas de abastecimento do grupo (Agência Xinhua).

Professores serão imunizados contra a gripe neste ano

Os professores da rede pública e privada de todo o país serão incluídos como público-alvo da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe neste ano. Além deles, também devem ser imunizados crianças com idade entre 6 meses e menores de 5 anos, idosos, gestantes, puérperas (mulheres até 40 dias após o parto), trabalhadores da saúde e pessoas com algum tipo de comorbidade.
“Basta comprovar que é professor e ele terá acesso à vacinação”, explicou a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações, Carla Domingues. “Nossa expectativa é vacinar 54 milhões de brasileiros – quase 3 milhões a mais do que o previsto no ano passado”, completou.
De acordo com o ministro da saúde, Ricardo Barros, a vacina contra a gripe estará disponível para toda a população a partir de 17 de abril. Alguns estados, entretanto, vão receber as doses mais cedo – sobretudo os da Região Sul, em razão das baixas temperaturas registradas no período – e poderão antecipar o início da imunização (ABr).

Horário de verão gerou economia de R$ 159 milhões

O horário de verão deste ano possibilitou uma economia de R$ 159,5 milhões, decorrentes da redução do acionamento de usinas térmicas durante o período de vigência da medida. O número é maior do que previsto pelo governo, que esperava uma economia de R$ 147,5 milhões, mas ficou abaixo do resultado do ano passado, quando o total chegou a R$ 162 milhões.
Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico, no Sistema Sul, houve uma redução da ordem de 4,3% na demanda no horário de pico (entre as 18h e as 21h), o que equivale, aproximadamente, ao atendimento do dobro da carga da cidade de Florianópolis neste horário. No Sistema Sudeste/Centro-Oeste, a redução da demanda foi equivalente ao atendimento da metade da carga da cidade do Rio de Janeiro no horário de ponta, aproximadamente.
Esta edição do horário de verão durou 126 dias, de 16 de outubro de 2016 a 19 de fevereiro de 2017. De acordo com o Ministério de Minas e Energia, além da economia de dinheiro, a medida gera ganhos qualitativos com a redução do consumo no horário de pico noturno, diminuindo os carregamentos no sistema de transmissão, proporcionando maior flexibilidade operativa para realização de manutenções em equipamentos e redução de cortes de carga em situações de emergência, o que gera um aumento na segurança do atendimento ao consumidor final (ABr).

Mulheres ganham menos ‘porque são burras’

Deputado polonês Janusz Korwin-Mikke.

Conhecido por suas declarações ofensivas, o deputado polonês Janusz Korwin-Mikke voltou a causar polêmica dentro do Parlamento Europeu. Desta vez, ao tomar voz dentro da casa, Korwin-Mikke insultou as mulheres, chamando-as de “menos inteligentes”. O caso ocorreu durante um debate sobre a diferença salarial entre homens e mulheres.
Durante seu discurso, o polonês afirmou que “é justo que as mulheres ganhem menos, porque são mais fracas, menos inteligente e menores que os homens”. “Entre os 100 melhores jogadores de xadrez do mundo, não há nem ao menos uma mulher”. Para ele, esta é uma prova de uma inteligência inferior, o que também justificaria salários menores. Korwin-Mikke, que já sofreu duas sanções por discursos racistas, poderá sofrer uma terceira.
O deputado já ofendeu imigrantes no Parlamento e os definiu como “lixo humano que não quer trabalhar”. Além disso, afirmou que Hitler não tinha conhecimento sobre o Holocausto. O presidente do Parlamento, o italiano Antoni Tajani, abriu um inquérito interno após alguns deputados europeus denunciarem o político, incluindo o socialista Gianni Penna. As punições, neste caso, podem variar de multas à suspensão (ANSA).

Jane Fonda revela que foi estuprada

Atriz-norte americana Jane Fonda.

Aos 79 anos, a atriz-norte americana Jane Fonda revelou à revista “The Edit” que foi estuprada e vítima de abuso sexual quando criança. Em entrevista conduzida por Brie Larson - atriz vencedora do Oscar pela atuação no filme “O quarto de Jack”, no qual também sofre abuso -, Fonda ainda contou que certa vez foi demitida por não ter relações sexuais com seu chefe.
“Fui estuprada e abusada sexualmente quando era criança. Também já fui despedida por não ter dormido com meu chefe. Eu sempre pensei que tudo isso fosse minha culpa, porque eu não tinha falado ou feito a coisa certa”, afirmou a atriz. A vencedora do Oscar de melhor atriz por duas vezes dialogou com Larson, que atua há anos na defesa de sobreviventes de violência sexual. “Uma das maiores conquistas dos movimentos pelos direitos das mulheres é nos fazer entender que o abuso não é nossa culpa. Nós fomos violadas, e isso não é justo”, acrescentou.
Esta não foi a primeira vez que a atriz fala sobre abusos sexuais, Em 2014, ela também revelou que sua mãe tinha sido abusada e se matou por conta disso. “Naquele momento soube os motivos da promiscuidade, das cirurgias plásticas intermináveis, da culpa e da sua incapacidade de amar ou de ter intimidade. Naquele momento a perdoei e me perdoei”, concluiu Fonda (ANSA).