Jejum prolongado poderá ser dispensado em alguns exames

Regra só valerá para exames de perfil lipídico.

Em decisão recente, diversas organizações da área médica optaram por flexibilizar a necessidade de jejum de 12 horas para exames de sangue de perfil lipídico – entre eles, colesterol total, LDL C, HDL C, não HDL C e triglicérides

A partir de agora, a exigência do período sem ingestão de qualquer tipo de alimento pode ser dispensada. O documento foi elaborado em conjunto pelas Sociedades Brasileira de Cardiologia, de Patologia Clínica e Medicina Laboratorial, de Análises Clínicas, de Diabetes e de Endocrinologia e Metabologia.
A obrigatoriedade do jejum deverá ser avaliada pelo médico que acompanha o paciente em casos específicos. A flexibilização evita que um paciente diabético, por exemplo, corra o risco de ter uma hipoglicemia por causa do jejum prolongado, entre outros transtornos e intercorrências mais comuns em gestantes, crianças e idosos. “A não obrigatoriedade do jejum se dá pela constatação de que, graças ao avanço das metodologias diagnósticas, o consumo de alimentos antes da realização desses exames – desde que habituais e sem sobrecarga de gordura – causa baixa ou nenhuma interferência na análise do perfil lipídico”, informou a Sociedade Brasileira de Análises Clínicas.
O órgão destacou, em nota, que, além de mais comodidade para o paciente, outro benefício decorrente da flexibilização é a oportunidade que os laboratórios de análises têm de otimizar o atendimento, com mais horários disponíveis para a coleta, reduzindo assim o congestionamento – sobretudo no início das manhãs. “Essa prática já é realidade nos Estados Unidos, no Canadá e em alguns países da Europa, e a intenção é que seja gradualmente aceita pelos laboratórios do país,” diz o informe.
As novas regras definem os seguintes critérios:
Quando o médico solicitante indicar o tempo específico de jejum para o exame requerido, é recomendável que o laboratório siga tal orientação;
No caso de uma coleta de amostra para o perfil lipídico sem jejum, é recomendado que o laboratório informe no laudo o estado metabólico do paciente no momento da coleta da amostra, isto é, o tempo de jejum;
Quando houver, na mesma solicitação de perfil lipídico, outros exames que necessitem de jejum prolongado, o laboratório clínico poderá definir o jejum de 12 horas, contemplando todos os exames;
Para alinhamento entre instituições e profissionais envolvidos desde o pedido do exame até o diagnóstico, recomenda-se a inserção da seguinte frase no laudo: “A interpretação clínica dos resultados deverá levar em consideração o motivo da indicação do exame, o estado metabólico do paciente e a estratificação do risco para o estabelecimento das metas terapêuticas” (ABr).

Número de turistas triplica no carnaval de rua este ano

Bloco Bastardo desfila em Pinheiros, região oeste da capital paulista.

O crescimento do Carnaval superou as expectativas da São Paulo Turismo (SPTuris). O aumento no número de turistas no Sambódromo do Anhembi foi 167% (passando de 7% para 20% do público) e no carnaval de rua já marca 203% (indo de 3% para quase 10% dos foliões). A estimativa de aumento inicial girava em torno de 30%. O levantamento foi feito pelo Observatório de Turismo e Eventos, núcleo de estudos e pesquisas da SPTuris.
No Sambódromo foram entrevistadas mais de 1,1 mil pessoas nos dias 24 e 25 de fevereiro. Nas ruas da cidade, as entrevistas foram feitas com mais de 900 pessoas, mas o levantamento segue até o dia 5 de março, quando termina os desfiles de blocos. Para ambas as pesquisas, o nível de confiança é 95% e a margem de erro é dois pontos percentuais para mais ou para menos. Os paulistanos também hospedaram mais parentes e amigos em suas casas para curtir o carnaval: o crescimento foi 890% entre os que estiveram no sambódromo e 388% entre os foliões dos blocos.
Os turistas estrangeiros representaram cerca de 1% do público de outros países, o mesmo de 2016. E os turistas também deixaram mais dinheiro na cidade. Com permanência de três dias, o gasto médio em 2016 foi R$ 617. Em 2017 o turista gastou R$ 957 em três dias. O aumento foi 55,1% em relação ao carnaval do ano passado. Em 2016, apenas 2% dos entrevistados que estavam no sambódromo disseram que iriam a outros eventos. Na pesquisa deste ano, 57% dos entrevistados falaram que curtiriam o carnaval além do sambódromo. Desses, 33% afirmaram que iriam para os blocos de rua.
No carnaval de rua, as parciais mostram que 77,6% das pessoas disseram que a organização melhorou, ou melhorou muito. No sambódromo, a organização foi considerada melhor em relação ao ano anterior por 76,2% dos entrevistados (ABr).

Medicamentos a portadores de osteoporose

A Sexta Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) negou provimento às apelações do estado de São Paulo e da União e confirmou o direito de uma paciente, sem condições financeiras, receber de forma gratuita os medicamentos fosamax 70 e maxicalc d400, não fornecidos pela rede pública de saúde, para tratamento de osteoporose. A decisão segue entendimento consolidado do STJ e é baseada no princípio de que o direito à saúde é indissociável do direito à vida.
O pedido da paciente já havia sido julgado procedente na primeira instância, ratificando a tutela antecipada e condenando a União e o estado de São Paulo ao fornecimento dos medicamentos pleiteados até a convalescença da enfermidade. No TRF3, o relator do processo, juiz federal convocado Paulo Sarno, afastou a preliminar de ilegitimidade passiva, arguida pela União, e negou provimento aos recursos da União e do estado de São Paulo. Para ele, deve prevalecer a necessidade de prover a paciente com medicamento imprescindível à preservação de sua vida.
“O funcionamento do SUS é de responsabilidade solidária da União, Estados-membros e Municípios, de modo que, qualquer uma dessas entidades têm legitimidade ad causam para figurar no polo passivo de ação que visa a garantia do acesso a medicamentos para pessoas que não possuem recursos financeiros”.
Paulo Sarno entende que “a recusa no fornecimento do medicamento pretendido pelo apelado implica desrespeito às normas que lhe garantem o direito à saúde e, acima de tudo, o direito à vida, direitos estes indissociáveis, razão pela qual se mostra como intolerável omissão, mormente em um Estado Democrático de Direito” (ASC/TRF3).

Obamas acertam acordo milionário com editora

Michelle e Barack Obama acertam acordo milionário.

O casal Obama concordou que os dois livros que serão escritos por eles serão publicados pelo grupo Penguin Random House, terminando assim uma longa disputa entre editoras do país. Os valores dos direitos autorais das duas obras ainda não foram anunciados oficialmente, mas especialistas acreditam que deverão passar dos US$ 60 milhões. Alguns executivos de editoras concorrentes afirmaram que os preços iniciais apenas para o livro de Obama variavam entre US$ 18 milhões e US$ 20 milhões.
Na noite da última terça-feira (28), a Penguin Random House divulgou em uma nota que publicará os dois livros de Barack e Michelle, mas não informou quais serão seus assuntos ou seus títulos. A editora Crown, que pertence ao grupo, já publicou dois livros escritos pelo ex-presidente norte-americano, “Dreams for My Father” e “The Audacity of Hope”, e outra obra escrita pela ex-primeira-dama, “American Grown: The Story of the White House Kitchen Garden and Gardens Across America”.
“Com suas palavras e sua liderança, [os Obamas] mudaram o mundo, e todos os dias, com os livros que publicamos na Penguin Random House, nós queremos fazer o mesmo”, disse o CEO do grupo, Markus Dohle, na nota. “Agora, nós estamos esperando muito para trabalhar junto ao [ex-] presidente e à senhora Obama para fazer dos livros deles eventos editoriais globais de alcance e significância nunca antes vistos”, concluiu Dohle (ANSA).

Pausa para sexo durante o trabalho

O vereador de uma cidadezinha sueca situada no Circulo Polar Ártico apresentou uma proposta inusitada para melhorar o humor dos funcionários da prefeitura: fazer sexo. O homem por trás da ideia, Erik Muskos, vereador em Overtornea, no extremo-norte da Suécia, defende que os servidores tenham permissão para interromper o expediente e dar uma escapadinha para transar com seus parceiros - e a pausa não seria descontada do salário.
Ele alega que as relações sexuais podem aumentar a motivação e a produtividade dos funcionários e incrementar as taxas de natalidade na cidade, que tem cerca de 4,5 mil habitantes. Segundo Muskos, a proposta já foi aceita por “quase todos” os 550 funcionários municipais e deve ser discutida pela Câmara dos Vereadores nos próximos meses. O vereador diz que os principais críticos de sua ideia são servidores idosos que acham “embaraçoso” legislar sobre o que acontece na cama.
No entanto, ele afirma que manter relações sexuais seria uma forma de combater o tédio e a depressão em uma cidade que fica boa parte do ano no escuro e debaixo de neve. “Devemos cuidar uns dos outros”, disse Muskos à rede britânica “BBC”. “Se assim conseguirmos melhorar nossas relações, então terá valido a pena”, acrescentou (ANSA).

 
Mais Lidas