Mulheres assumem presidência de grupos financeiros na Arábia Saudita

Sarah Al Suhaimi foi nomeada chefe da NCB Capital, a unidade de investimento do Banco Comercial Nacional.

Duas mulheres sauditas foram nomeadas para dirigir grandes instituições financeiras na Arábia Saudita, incluindo a Bolsa de Valores, o primeiro mercado financeiro árabe, apesar das restrições impostas às mulheres no regime ultraconservador do Golfo, governado por uma versão ortodoxa do Islã

O Samba Financial Group anunciou o nome de Rania Mahmoud Nashar como presidente do banco.
Em uma notificação à Bolsa de Valores, o grupo afirma que Nashar tem experiência profissional de quase 20 anos e foi formada internamente por meio de um programa de treinamento para cargos de gestão. Mesmo se outras sauditas continuam a assumir vários cargos de responsabilidade, as contratações de duas mulheres para chefiar instituições financeiras decisivas para o mercado são raras em um país que impõe muitas restrições às mulheres.
A Arábia Saudita é o único país do mundo a proibir mulheres de dirigir. Além disso, elas precisam do acordo de um parente próximo, como pai, marido ou irmão, para aceitar um emprego, estudar ou viajar para o exterior. Embora essa permissão raramente seja necessária para cargo no setor público, organizações de defesa dos direitos das mulheres sauditas afirmam que o documento é muitas vezes necessário no setor privado.
O banco Samba destacou que Rania Mahmoud Nashar é reconhecida por uma associação americana que combate crimes financeiros, como uma das especialistas na luta contra a lavagem de dinheiro. A chegada de Rania Nashar à frente do banco Samba foi precedida da demissão do CEO da instituição, Sajjad Razvi, por motivos pessoais. Rania assumiu o comando do banco três dias após a nomeação de outra mulher, Sarah Al Suhaimi, como chefe do Conselho de Administração da Bolsa de Valores saudita, conhecida como Tadawul. Suhaimi continuará também a chefiar a NCB Capital, a unidade de investimento do Banco Comercial Nacional.
Sarah foi em 2014 a primeira mulher saudita a ser nomeada como presidente do banco de investimento, de acordo com a agência Bloomberg News. A Arábia Saudita está tentando incentivar o emprego das mulheres com um programa de reforma ampla para reduzir a dependência da economia saudita do setor do petróleo. No último trimestre de 2016, a taxa de desemprego entre as mulheres sauditas foi de 34,5% contra 5,7% entre os homens, de acordo com estudo citado pela empresa Jadwa Investment. A Arábia Saudita quer aumentar para 28% o percentual de mulheres no mercado de trabalho até 2020, contra 23% em 2016 (Radio France Internationale).

Saúde vai distribuir 77 milhões de camisinhas

Lançamento da campanha de prevenção a DSTs no Carnaval, em Salvador.

Até o início do carnaval, o Ministério da Saúde vai distribuir 77 milhões de preservativos em todo o Brasil. A ação faz parte da campanha nacional de prevenção às doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), sobretudo HIV/aids, lançada ontem (21) em Salvador pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros. Este ano o slogan da campanha é ‘No Carnaval, use camisinha e viva essa grande festa!’.
“Especialmente aos jovens, nós fazemos um apelo para que usem camisinha. Nós temos um crescimento muito grande de infecção de HIV entre os jovens, especialmente de 15 a 24 anos e é muito importante que possamos controlar isso”, disse o ministro. A distribuição das camisinhas será feitas em postos de saúde e em unidades móveis instaladas pelas prefeituras durante os dias de folia. Serão 74 milhões de preservativos e 3 milhões femininos.
O Brasil enfrenta uma epidemia de casos de HIV/aids, com cerca de 40 mil novos infectados por ano, principalmente entre jovens de 20 a 24 anos.
Além da prevenção, a campanha também faz um alerta para a necessidade de passar por testes que podem diagnosticar as DSTs. No caso de aids, por exemplo, há mais de 100 mil brasileiros que vivem com a doença sem saber, segundo Ricardo Barros. Além disso, a taxa dos soropositivos que estão em tratamento não chega a 30% do total de infectados que sabem do diagnóstico.
“Outro apelo que fazemos também é para que todos façam a testagem, porque temos mais de 100 mil brasileiros que são portadores de HIV e não sabem. E temos mais de 200 mil pessoas que têm o vírus, sabem disso, mas não se tratam. O tratamento que temos disponível no Brasil é o melhor do mundo e é muito importante que tenhamos o controle epidemia de HIV no país”, afirmou o ministro (ABr).

Neymar será processado por corrupção e fraude

A Suprema Corte da Espanha rejeitou as apelações apresentadas por Neymar, Santos e Barcelona e manteve o processo criminal contra todos por crimes de corrupção e fraude por causa da transferência do atacante brasileiro para a Espanha. A decisão fará com que eles sejam julgados criminalmente e o jogador, seus representantes e os dirigentes esportivos poderão ser condenados a dois anos de prisão e a pagar uma multa de 10 milhões de euros.
As apelações haviam sido apresentadas tanto por Neymar, como por seu pai e empresário, sua mãe, Nadine Gonçalves, pela empresa da família, a N&N, pelo ex-presidente do Santos Odilio Rodrigues e pelo ex-presidente do Barcelona Sandro Rosell. A acusação foi feita pela empresa DIS, dona de 40% dos direitos econômicos do atacante enquanto ele atuava pelo Santos. A empresa acusa todos os envolvidos de agirem por má fé, já que a venda de Neymar foi por uma cifra muito maior do que a divulgada (ANSA).

Terrorismo: 1,5 milhão de turistas deixaram de ir a Paris em 2016

Policiamento em pontos estratégicos de Paris.

Cerca de 1,5 milhão de turistas deixaram de ir a Paris no ano passado devido à ameaça terrorista, mostra relatório publicado ontem (21) pelo Comitê de Turismo da Île-de-France, região onde fica a capital francesa. Os atentados de 2015 em Paris assustaram os turistas, especialmente os estrangeiros. No ano passado, os hotéis registraram queda total de 9% em suas reservas de visitantes em relação a 2015.
A baixa mais significativa está entre os turistas chineses: quase 270 mil deixaram de visitar Paris – uma diminuição de 21,5%. No entanto, no setor hoteleiro, os japoneses são os principais responsáveis pelos prejuízos: eles fizeram 225 mil reservas a menos em 2016, o que corresponde a uma queda de 41,2%. Entre os visitantes europeus, os russos foram os que mais deixaram de ir à capital francesa. Paris recebeu cerca de 65 mil visitantes da Rússia em 2016, uma diminuição de 27,6%. Depois deles, estão italianos (-26,1%), espanhois (-9,9%) e britânicos (-8,6%).
Segundo Comitê de Turismo da Île-de-France, o setor registrou perda total de 1,3 bilhão de euros em 2016. A presidente da região da Île-de-France, Valérie Pécresse, diz que não poupa esforços para atrair mais turistas este ano, investindo na segurança, na qualidade do acolhimento e em campanhas de informação. Apesar da ameaça terrorista, a França continua sendo o primeiro destino turístico no mundo. No total, cerca de 83 milhões de turistas estrangeiros visitaram o país no ano passado, ou seja, 2 milhões a menos que o recorde registrado em 2015 (Rádio France Internationale).

1ª câmera Polaroid completa 70 anos

A Polaroid revolucionou o mercado de câmeras fotográficas ao dispensar a revelação das imagens em laboratórios, oferecendo uma foto instantânea. Ontem (21), a primeira máquina lançada completou 70 anos. A Polaroid estabeleceu o conceito da fotografia em tempo real, já que logo após o clique, a imagem era impressa. Uma tecnologia inovadora que a partir de 1947 abriu o caminho para a fotografia digital.
A Polaroid Corporation foi fundada em 1937, em Massachuetts, pelo cientista norte-americano Edwin Land, morto em 1 de março de 1991. Seu principal sucesso foi o modelo “Folding Pack”. Na década de 1970, a máquina mais vendida era a “SX-70”. O pintor Andy Warhol foi um dos grandes fãs da Polaroid, a ponto de usá-la como ferramenta essencial para sua arte. O ícone da cultura pop fotografou diversos modelos, atores, escritores, imagens que hoje valem mais de R$ 90 mil (ANSA).