Pesquisa vai mapear influência genética e ambiental na ocorrência de câncerO Hospital A.C. Camargo faz parceria internacional de pesquisa sobre a doença com o Programa Grand Challenge.

Um projeto global, que contará com a participação de três instituições brasileiras, pretende mapear como os fatores genéticos e ambientais podem influenciar a ocorrência de câncer em todo o mundo

O programa, chamado Grand Challenge, foi lançado na última sexta-feira (10) pelo Cancer Research UK, um órgão de pesquisas sobre o câncer no Reino Unido, que vai investir 100 milhões de libras – quase R$ 390 milhões – nessa ação.
O que se pretende com o projeto é entender, por exemplo, porque determinados tipos de cânceres são mais comuns em certas regiões e como os comportamentos considerados de risco, como os hábitos de fumar e beber, podem levar ao desenvolvimento da doença. Para que isso seja possível, os pesquisadores vão analisar e traçar o perfil epidemiológico e as assinaturas genéticas de 5 mil pacientes de cinco continentes, que desenvolveram tumores de rim, pâncreas, esôfago ou intestino.
No Brasil, a pesquisa será desenvolvida com o apoio do Hospital do Câncer de Barretos, do Instituto Nacional do Câncer (Inca) e do A.C. Camargo Cancer Center. “O câncer é um problema mundial, existem vários fatores que podem estar relacionados ao processo tumoral e temos que conhecer todos esses fatores para conseguir resolver o problema mundialmente”, disse Vilma Regina Martins, cientista e superintendente de Pesquisa do A.C.Camargo.
Sete principais linhas de pesquisa ou questionamentos serão feitos dentro do projeto. O A.C. Camargo Cancer Center, por exemplo, fará a parte da pesquisa chamada ‘Mutographs of câncer: discovering the causes of câncer through mutational signatures’. Essa linha de trabalho busca entender como a interação de determinada pessoa com o meio ambiente e o tabaco, por exemplo, pode levar ao desenvolvimento da doença; que outros fatores, ainda desconhecidos, estão causando alterações na leitura do código genético do DNA e influenciando o desenvolvimento do câncer.
Alguns, como os que são provocados pelo tabaco, já foram identificados. Mas, segundo a cientista, há dezenas de outros que provocam alterações no código genético e que ainda não foram identificados. “Quando se olha para a população mundial, vemos que alguns tumores são mais incidentes em algumas regiões. Pode ser por um fator ambiental como também por um fato genômico ou da genética daquela população, que pode ter algumas alterações que aumentam ou diminuem o risco de desenvolver determinado tumor. Provavelmente o que temos é uma combinação dos dois: do ambiente e da genética dessas pessoas”, disse a cientista (ABr).

Engenheiros criam celular que se auto-destrói em 10 segundos

Garantia da segurança de dados em situações extremas, como as de um filme de James Bond.

Um celular que se auto-destrói igual aos vistos em filmes de espiões pode não demorar tanto para sair das telonas e entrar para o nosso dia-dia. Um grupo de pesquisadores da Arábia Saudita desenvolveu um mecanismo que consegue destruir completamente um smartphone em apenas 10 segundos. A tecnologia, criada na King Abdullah University of Science and Tecnology, consiste em uma camada de um polímero que consegue se expandir até sete vezes o seu tamanho com uma grande velocidade quando é submetida a temperaturas acima de 80°C, o que leva à destruição do aparelho.
Para que o mecanismo funcione, o polímero tem que receber uma descarga de alguns miliwatts através de eletrodos que aquecem o celular. A informação que o smartphone deve ser destruído pode ser enviada por senhas, pelo GPS do dispositivo, que pode ativar a autodestruição se o aparelho estiver longe de um ponto específico, ou até remotamente. A tecnologia dos pesquisadores sauditas pode garantir a segurança de dados e de outras informações em situações extremas, como as de um filme do agente James Bond.
Entre os clientes em potencial estariam “comunidades de Inteligência, multinacionais, bancos, fundos especulativos, administrações do seguro social e quem lida com grandes quantidades de dados”, disse Muhammad Mustafa Hussain, um dos engenheiros da Kaust. Em anos anteriores, agência do Departamento de Defesa dos Estados Unidos havia criado dispositivos com chips e sensores que destruíam os aparelhos. Já a companhia Boeing havia lançado a ideia do Black, smartphone com sistema Android com uma função de autodestruição (ANSA).

Índia coloca 104 satélites em órbita

A Índia bateu um recorde mundial e colocou 104 satélites em órbita com apenas um foguete, lançado pela agência espacial do país. De acordo com as autoridades, os 104 nano-satélites pesam até 10 kg e foram colocados no espaço ontem (15). Às 9h28 locais (01h58 no horário de Brasília), um lançador orbital PSLV (Polar Satellite Launch Vehicle) deixou a plataforma Sriharikota, no sudeste da Índia, transportando um um satélite indiano de observação da Terra de 714 quilos.
Já os nano-satélites pesam ao todo 664 quilos e pertencem a várias empresas de países como Estados Unidos, Emirados Árabes, Israel, Holanda e Cazaquistão. Até hoje, o recorde estava com a Rússia, que colocou em órbita 37 satélites em um único lançamento em 2014. “É um êxito excepcional”, declarou o primeiro-ministro indiano, Narenda Modi. “É um novo momento de orgulho para nossa comundiade científica espacial e para a nação”, completou (ANSA).

Goleada causou ‘terremoto’ em Barcelona

O jornal “Sport” colocou apenas Neymar e o goleiro Ter Stegen entre os que se salvaram do vexame.

A goleada de 4 a 0 sofrida pelo Barcelona na partida contra o Paris Saint-Germain pelas oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa provocou um “terremoto” no Camp Nou. Atrás do Real Madrid no Campeonato Espanhol e à beira de uma contundente eliminação na Champions, o técnico Luis Enrique foi duramente criticado pela imprensa, que já fala em demissão ao fim da atual temporada.
Segundo a emissora de rádio “Cadena COPE”, o elenco do Barça não acredita mais na capacidade do treinador e aposta em sua saída. De acordo com o veículo, os jogadores estariam “desmotivados com o rumo da equipe” e não veem Luis Enrique como alguém capaz de encontrar soluções. O próprio Sergio Busquets, um dos líderes do Barcelona, disse que a “montagem tática” do PSG foi melhor que a do Barcelona, o que explicaria a derrota.
Na coletiva após a partida, Luis Enrique ainda discutiu asperamente com um jornalista que havia questionado suas alterações no decorrer do jogo.
O treinador teve até de ser contido por funcionários do clube catalão para não avançar contra o repórter. “Desastre”, escreveu ontem (14) o jornal “Mundo Deportivo”, principal diário de esportes da Catalunha. “Um Barça sem alma nem jogo cai com barulho em Paris”, acrescentou.
Já seu concorrente “Sport” decretou: “Isso não é o Barça”. “A equipe de Luis Enrique recebe uma humilhação histórica em Paris”, escreveu o jornal, que colocou apenas Neymar e o goleiro Ter Stegen entre os que se salvaram do vexame. A partida de volta contra o PSG será no próximo dia 8 de março, em Barcelona, e os donos da casa precisarão vencer por pelo menos 5 a 0 para se classificar - 4 a 0 levará o duelo para os pênaltis (ANSA).

Briga entre Maradona e namorada vira caso de polícia

O ex-craque argentino Diego Armando Maradona foi alvo de uma operação policial em Madri, por suspeita de agressão contra sua namorada, Rocio Oliva. As forças de segurança foram chamadas pelo diretor do hotel onde o casal está hospedado, à espera da partida de ontem (15) entre Real Madrid e Napoli pela Liga dos Campeões da Europa - Maradona é o maior ídolo do time italiano.
A Polícia interrogou o ex-craque e sua namorada por volta de 8h30 da manhã de ontem (horário local), mas não apresentou denúncia nem encontrou sinais de agressão. “Foi só uma briga muito grande”, teria dito a mulher aos investigadores. Maradona, 56 anos, e Oliva, 26, estão juntos desde 2013, entre muitas idas e vindas. Em outubro de 2014, foi divulgado um vídeo que mostrava o ex-jogador arrancando com agressividade o celular das mãos da namorada (ANSA).