ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Confiança do Consumidor cresceu em agosto e avançou 3,47%

Os efeitos negativos da paralisação dos caminhoneiros na economia começam a perder força.

Confianca temproario

As incertezas do cenário eleitoral somadas à tímida recuperação da economia seguem afetando a confiança dos brasileiro. Foto: Tânia Rêgo/ABr

Dados da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revelam que o Indicador de Confiança do Consumidor (ICC) registrou crescimento de 3,47% pela segunda vez consecutiva em agosto na comparação com o mês anterior. O índice atingiu 42,4 pontos ante 41,0 pontos em julho.

Embora os resultados mostrem um pequeno avanço na confiança da população, o indicador não superou os 50 pontos que, segundo a metodologia, aponta a diferença entre o sentimento de confiança e de pessimismo dos consumidores. De acordo com a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, as incertezas do cenário eleitoral somadas à tímida recuperação da economia seguem afetando a confiança dos brasileiros, mesmo com a melhora do indicador no último mês.

Segundo Marcela, "o emprego e a renda são variáveis essenciais na formação da confiança, mas dependem de um ritmo mais vigoroso de avanço da atividade econômica". Em termos percentuais, a sondagem revela que 81% dos consumidores consideram ruim o desempenho da economia no momento atual. Outros 17% acham o cenário regular e apenas 1% avaliam que o quadro é bom.

A principal queixa entre os que fazem uma avaliação negativa do cenário econômico é o desemprego, mencionado por 73% desses consumidores. Em seguida, aparecem a percepção de que os preços estão elevados (58%) e as altas taxas de juros (36%). Essa percepção negativa também impacta a própria vida financeira dos brasileiros: 41% consideram sua situação financeira ruim. Já 49% afirmam que as finanças se mantêm regular e 10% dizem que estão boas.

Para os que que mencionaram enfrentar aperto, o elevado custo de vida é o principal motivo para essa percepção negativa, citado por metade desses consumidores (50%). Entre outras razões apontadas estão o desemprego (43%), a queda da renda familiar (27%), a perda de controle financeiro (10%) e os imprevistos (10%). Quando questionados sobre as perspectivas para a economia nos próximos seis meses, 35% mostraram-se pessimistas e 42% disseram não estar nem otimista nem pessimista. Apenas 18% afirmaram estar otimistas (CNDL/SPC).

Exposição mostra história de São Paulo por meio de escrituras

Exposiao temproario

Salão dos Passos Perdidos, na entrada principal da sede do TJ. Foto: Rovena Rosa/ABr

Agência Brasil

O Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo abriu a exposição 'Memórias Notariais: série de documentos históricos', que apresenta 13 registros, como a escritura de emancipação de Alberto Santos Dumont ou a escritura de bens de Assis Chateaubriand. Com entrada gratuita, a exposição pode ser vista no Salão dos Passos Perdidos, na entrada principal da sede do TJ, na Praça da Sé. A visitação é aberta de segunda a sexta-feira, das 12h30 às 18h30, até o próximo dia 28.

Os documentos mostram a história de lugares e personalidades paulistas por intermédio das escrituras públicas arquivadas nos cartórios, com o apoio da Seção São Paulo do Colégio Notarial do Brasil. Há documentos raros, como as escrituras de compra e venda da Casa Rosa das Rosas (1913) e de constituição de condomínio do Copan, considerado ponto turístico da capital.

A mostra tem ainda duas escrituras de escravos de 1871 e o documento datado de 1623, no qual o tabelião Simão Borges Sequeira, da então Vila de São Paulo, relata o assassinato de um índio que iria se converter ao catolicismo. Os amantes do futebol podem ver as escrituras públicas dos principais estádios dos clubes paulistas: Parque São Jorge, Palestra Itália, Morumbi, Vila Belmiro e o estádio do Juventus, na Rua Javari.

Facebook pediu dados de usuários a bancos, denuncia jornal

O Facebook teria pedido por anos aos bancos e a sociedades financeiras a liberação de acesso a informações sensíveis de usuários para que fossem usadas até em fins publicitários. As informações são do "Wall Street Journal", em matéria publicada na terça-feira (18), que cita fontes anônimas e documentos internos.
Já no ano passado, todos os olhos se voltaram à rede social, que vazou informações pessoais de 87 milhões de perfis no escândalo da Cambridge Analytica.

Então, segundo o jornal, o Facebook teria solicitado aos institutos de usar as informações financeiras passadas através do Messenger, o chat da rede social, muito usado como canal para contatar o serviço ao cliente das empresas. O periódico afirmou ainda que algumas dessas sociedades financeiras, preocupadas com a privacidade dos clientes, negociaram acordos personalizados para limitar o acesso do Facebook às informações. Entre elas, estariam American Express, Bank of America e Paypal.

"Como muitas empresas online, colaboramos com os institutos financeiros para melhorar as experiências comerciais das pessoas, assim como consentir um melhor serviço ao cliente", declarou Elisabeth Diana, porta-voz do Facebook. "Enfatizamos aos nossos parceiros que manter seguras as informações pessoas é fundamental. Essa é, e sempre será a nossa prioridade", adicionou.

Já em agosto, o banco italiano Unicredit rompeu as relações com o Facebook julgando a plataforma "antiética". Algumas semanas depois, o Bloomberg revelou que o Google e o Mastercard teriam concluído um acordo secreto que permitiria a empresa de Mountain View e os seus acionistas de rastrear os detalhes das vendas dos clientes Master, ainda que "offline" - vendas físicas (ANSA).

Rio começa a multar comerciantes por uso de canudo de plástico

Rio temproario

Estabelecimentos terão o prazo de 60 dias para substituir o canudo plástico. Foto: Marcello Casal Jr/ABR

Agência Brasil

A Vigilância Sanitária do município do Rio de Janeiro começou a aplicar multas para bares, restaurantes e ambulantes que ofereçam canudos plásticos a seus clientes. Nos últimos 60 dias, técnicos do órgão visitaram estabelecimentos e intimaram os comerciantes a substituir seus canudos por outros de papel biodegradável. Agora, os profissionais estão conferindo se a substituição foi feita e aplicar multas caso voltem a encontrar canudos de plástico.

Os estabelecimentos que ainda não foram visitados continuarão a ter o prazo de 60 dias para substituir o canudo plástico. O período só começará a valer a partir da primeira visita dos técnicos. As multas aplicadas para comerciantes são de R$ 1.650 e, para ambulantes, de R$ 650. Em ambos os casos, a punição é de R$ 6 mil em caso de reincidência.

Desde 19 de julho, já foram inspecionados mais de 5 mil estabelecimentos na cidade. Para ser adequado à nova lei, o canudo oferecido pelo comércio carioca precisa ser de papel biodegradável e/ou reciclável e embalado com material semelhante.

Após 4 séculos, estudo descobre o que matou Caravaggio

Um estudo conduzido por pesquisadores franceses descobriu que o pintor italiano Michelangelo Merisi (1571-1610), mais conhecido como Caravaggio, morreu de infecção pela bactéria Staphylococcus aureus, resolvendo um mistério que já durava mais de quatro séculos. A pesquisa foi realizada pelo Instituto Hospital Universitário (IHU) Méditerranée Infection, de Marselha, no sul da França, e analisou a polpa dos dentes do artista, que é rica em vasos sanguíneos.

Ao combinar três métodos de detecção de DNA, os cientistas identificaram a Staphylococcus aureus. "Graças a uma cooperação com antropólogos italianos e com o microbiologista Giuseppe Cornaglia, as equipes do IHU Méditerranée Infection obtiveram dentes tirados do esqueleto de Caravaggio", explicou o instituto em um comunicado divulgado no início da semana. Os resultados do estudo serão publicados nas próximas semanas pela revista científica "The Lancet".

Acredita-se que a bactéria possa ter sido contraída por meio de um ferimento provocado em uma briga. Caravaggio vivia em Roma, mas fugiu depois de ter cometido um homicídio em uma briga de rua. O pintor acabaria morrendo quatro anos mais tarde, na Toscana, em circunstâncias desconhecidas. Seus restos mortais só foram encontrados em 2010, em um pequeno cemitério de Monte Argentario, 190 km a sudoeste de Florença (ANSA).

 
Argentino amigo do Papa e de Lula é preso

Um dos líderes do movimento social Confederação dos Trabalhadores da Economia Popular (Ctep), Juan Grabois, amigo do papa Francisco, foi detido ontem (19) enquanto participava de uma manifestação em Buenos Aires. O ato acontecia em frente a uma delegacia e pedia a liberdade de militantes do Movimento de Trabalhadores Excluídos (MTE).

Segundo os manifestantes, a polícia reprimiu o protesto com balas de borracha e gás de pimenta. Grabois, que é advogado, foi liberado algumas horas depois e disse ter sido detido "de forma arbitrária, com golpes e insultos", devido a seu "posicionamento político". O ativista é próximo da ex-presidente Cristina Kirchner, que é rival do atual mandatário do país, Mauricio Macri.

Nos ambientes católicos de Buenos Aires, asseguram que Grabois é um dos homens de maior confiança do papa Francisco no país, fruto de uma relação nascida em 2005, ao ponto de o advogado ter ocupado um cargo de assessor do Pontifício Conselho para a Justiça e a Paz, órgão extinto em 2017. Em junho, o argentino ganhou notoriedade no Brasil ao levar a Lula um rosário supostamente enviado pelo próprio Jorge Bergoglio (ANSA).

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171