ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Capes torna mais rígida avaliação de cursos de pós-graduação


A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) tornou mais rígida a avaliação dos cursos de pós-graduação. Cursos que ofereçam doutorado e obtenham nota 3, na avaliação da autarquia, serão desativados.

Capes temproario

Cursos que ofereçam doutorado e obtenham nota 3 serão desativados. Foto: Elisa Elsie/TN

A portaria refere-se aos cursos 'stricto sensu', aqueles que oferecem mestrado e doutorado, ficando de fora as especializações e os cursos MBA. Esses cursos são avaliados periodicamente pela Capes, de quatro em quatro anos, e recebem notas que vão de 1 a 7.

Até então cursos com nota igual ou superior a 3 eram considerados regulares e os diplomas por eles emitidos considerados válidos. Agora, os programas que obtiverem notas inferiores a 3 serão desativados. Os programas de doutorado que receberam a nota 3, permanecerão no Sistema Nacional de Pós-Graduação, seguindo a regra antiga até a próxima avaliação, quando deverão obter a nota mínima 4 para renovar o reconhecimento.

A pós-graduação 'stricto sensu' no Brasil é composta por programas constituídos por um ou dois cursos, da mesma modalidade e de níveis diferentes. Ou seja, considerando as modalidades acadêmica e profissional e os níveis de mestrado e doutorado, programas de pós-graduação podem ser compostos por um mestrado, um doutorado ou por ambos os cursos, nunca com modalidades diferentes.

De acordo com a Capes, o Brasil tem hoje 3.398 cursos de mestrado e 2.202 cursos de doutorado. Mais da metade (51%) dos programas avaliados têm mestrado e doutorado, totalizando 2.128. No total, 11% dos programas têm desempenho equivalente a padrões internacionais de excelência, com notas 6 e 7, totalizando 465 programas de pós-graduação. Outros 18% têm nota 5, alcançando nível de excelência nacional; 35,33% têm nota 4; e 32,86%, nota 3.

Tite inicia o ciclo de quatro anos até a próxima Copa do Mundo

Tite temproario

Técnico da seleção brasileira, Tite, anuncia os jogadores convocados para disputar amistosos nos Estados Unidos. Foto: Arquivo/ABr

Agência Brasil

Destaques no campeonato brasileiro deste ano, Lucas Paquetá (Flamengo), Pedro (Fluminense) e Everton (Grêmio) são novidades na primeira convocação de Tite após a Copa do Mundo de 2018. Outro jogador que terá sua primeira oportunidade na seleção é Arthur, que também mostrou bom futebol na competição pelo Grêmio e se transferiu recentemente para o Barcelona.

Também pelas boas atuações no futebol nacional, retorna à seleção o zagueiro Dedé (Cruzeiro), que já vestiu a camisa da seleção mas terá sua primeira chance com Tite. O treinador elogiou ainda Bruno Henrique, do Palmeiras, e disse que ele poderia ter sido convocado. Os convocados participarão de dois amistosos. O primeiro deles no dia 7 de setembro, em Nova Jersey, contra os Estados Unidos. O segundo em 11 de setembro, contra El Salvador, em Washington.

Houve a decisão de convocar no máximo um jogador de cada clube brasileiro para não prejudicar os clubes nas competições. Outra decisão é convocar sempre um jogador sub-20 para contribuir com a transição de atletas com potencial. Quem ganhou uma oportunidade, dessa vez, foi Hugo, goleiro de 18 anos, do Flamengo.

Apesar da renovação, Tite fez um balanço positivo da Copa do Mundo e disse que o futebol apresentado pelo Brasil o coloca entre as quatro melhores equipes, ao lado de França, Croácia e Bélgica, que eliminou a seleção brasileira nas quartas de final. Lembrou ainda que assumiu o comando da seleção durante as eliminatórias e agora poderá iniciar o ciclo de quatro anos até a próxima Copa do Mundo.

Lista dos 24 jogadores convocados:

Goleiros: Alisson (Liverpool), Neto (Valência), Hugo (Flamengo); Defensores: Marquinhos (PSG), Thiago Silva (PSG), Dedé (Cruzeiro), Felipe (Porto); Laterais: Fabinho (Liverpool), Fagner (Corinthians), Filipe Luis (Atlético de Madrid), Alex Sandro (Juventus); Meias: Andreas Pereira (Manchester United), Arthur (Barcelona), Casemiro (Real Madrid), Fred (Manchester United), Lucas Paquetá (Flamengo), Phillipe Coutinho (Barcelona), Renato Augusto (Bejing Guoan); Atacantes: Douglas Costa (Juventus), Firmino (Liverpool), Neymar (PSG), Willian (Chelsea), Éverton (Grêmio), Pedro (Fluminense).

Crescimento militar da China no Pacífico

A China está desenvolvendo sua frota de bombardeiros e caças e pode estar treinando seus pilotos para missões que têm como alvos os Estados Unidos e seus aliados na região do Oceano Pacífico. Esta foi a conclusão de um relatório apresentado pelo Pentágono, agência de inteligência norte-americana, em comunicado apresentado ao Congresso do país, na quinta-feira (16) em Washington.

"Nos últimos três anos, o exército chinês expandiu rapidamente suas áreas de operação, ganhando experiência em área marítimas estratégicas e, possivelmente, preparando-se para atingir os Estados Unidos e seus aliados", informa o documento. De acordo com o relatório, a China estaria trabalhando em um "bombardeiro estratégico de longo alcance com capacidade nuclear que poderia entrar em operação nos próximos 10 anos, além dos navios e aviões militares que já opera".

"O exército chinês está passando pelo maior processo de reestruturação de sua história para se tornar uma força capaz de combater em operações conjuntas", diz o documento, que também aponta que a China estaria redirecionando sua força aérea para uma "missão nuclear" (ANSA).

Juiz não vê mudanças nas delações em razão de decisão do STF

Juiz temproario

Juiz Marcelo Bretas. Foto: Arquivo/ABr

Agência Brasil

O juiz Marcelo Bretas, da 7a Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, que atua na Lava Jato, comentou na sexta-feira (17) a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de rejeitar denúncia baseada apenas em delação. O magistrado disse que não vê mudança no uso de delações nas investigações de combate à corrupção. Ele participou de evento na Câmara Americana de Comércio (Amcham), na capital paulista.

“Eu não vejo mudanças nas delações. Parece que houve decisão de não prestigiar alguns acordos, mas isso tem que ser analisado caso a caso. Eu, por exemplo, não conheço as provas que constam naquele processo, então não poderia comentar”, disse Bretas.

Na última quarta-feira (14), o STF rejeitou a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o senador Ciro Nogueira (PP-PI) e dois acusados por corrupção e lavagem de dinheiro na Operação Lava Jato. No entendimento do Supremo, os delatores não apresentaram comprovações para corroborarem suas citações nos depoimentos de delação contra o senador.

“Eu sei dos processos que estão sob a minha responsabilidade, tenho sempre o cuidado de conferir se aquilo que está sendo dito, também está sendo provado. O que a lei restringe é que não deve haver condenação com base exclusivamente no depoimento”, declarou o juiz.

Consumo moderado de carboidratos aumenta tempo de vida

O consumo moderado de carboidratos favorece uma vida mais saudável e longeva, segundo um estudo publicado na revista britânica “The Lancet”.
A pesquisa, liderada pela especialista em medicina cardiovascular Sara Seidelmann, do Brigham and Women’s Hospital, nos Estados Unidos, revelou que as dietas que substituem os carboidratos por proteínas ou gorduras deveriam ser evitadas devido ao possível vínculo com “ciclos de vida mais curta“.

“Consumir carboidratos com moderação parece ser ótimo para a saúde e para ter uma vida mais longa“, afirma o estudo. O trabalho também destaca que a substituição deste tipo de alimento por carne bovina e de cordeiro, porco, frango ou queijo está relacionada com maiores índices de mortalidade. Já uma dieta rica em proteínas vegetais (como verduras, legumes e frutos secos) diminui o risco de mortalidade.

“As dietas baixas em carboidratos, que os substituem por proteínas ou gorduras, estão ganhando popularidade como uma forma saudável de perder peso”, disse Seidelmann. “No entanto, nossos dados sugerem que elas podem estar associadas a uma vida mais curta e não deveriam ser recomendadas”, disse a pesquisadora.

Entretanto, Seidelmann, especialista em medicina cardiovascular, esclareceu que, “se uma pessoa decidir começar uma dieta com estas caraterísticas, pelo menos deveria incluir mais proteínas vegetais, as quais promovem um envelhecimento saudável“. Os autores analisaram os hábitos alimentares de 15.428 adultos de 45 a 64 anos de diversas origens socioeconômicas e procedentes de quatro comunidades americanas. Durante 25 anos, 6.283 dos participantes faleceram (Agência EFE).

 

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171