Seis em cada dez brasileiros assumem que desperdiçam alimentos em casa

Seis temproario

Pesquisa sobre desperdício de alimentos aponta que 61% brasileiros descartam, semanalmente, um ou dois alimentos em perfeito estado

Quase metade (49%) dos entrevistados assumiram fazer isso diariamente. O levantamento foi feito a pedido da empresa Unilever em parceria com a Organização das Nações Unidas (ONU).
A pesquisa, feita em escala global, ouviu 4 mil pessoas, sendo 2 norte-americanos, mil brasileiros e mil argentinos, com idades entre 18 e 64 anos, no período de agosto a setembro de 2017.
Os participantes são responsáveis ou estão envolvidos no processo de decisão de compra e preparo da comida. Chamado de “cegueira da geladeira”, o hábito de não ver ou ignorar alimentos, é visto como um dos vilões do desperdício. Quem compra e desperdiça assume que o grande problema é a falta de inspiração (81%). Muitos olham para a geladeira, mas não sabem o que cozinhar ou comer (78%).
Outros vilões apontados pela pesquisa são comprar comida além do necessário (54%), pais que adquirem opções extras para satisfazer o gosto de diferentes membros da família (37%) e compra de alimentos diferentes dos habitual para testar, que acabam não agradando (31%).
Os tipos de alimentos mais desperdiçados são os perecíveis, como saladas (74%), vegetais (73%) e frutas (73%). Na hora de decidir se joga ou não fora, o brasileiro leva em conta cheiro e aparência (85%) e prazo de validade expirado (83%). Segundo a ONU, por ano, são desperdiçados 1,3 bilhão de toneladas de alimentos no mundo. No Brasil, são descartadas cerca de 41 mil toneladas diariamente, o que daria para alimentar 25 milhões de pessoas por dia (ABr).

Casos de toxoplasmose chegam a 510 em Santa Maria

Casos de temproario

O município de Santa Maria (RS) já registra 510 casos confirmados de toxoplasmose. De acordo com a Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul, há ainda 212 casos suspeitos da doença que seguem sob investigação no município. Dos 510 casos confirmados, 441 são de pessoas residentes em Santa Maria (86,5%), cinco (0,9%) são moradores de distritos e sete (1,4%) são pacientes que vivem em municípios vizinhos.
Ainda de acordo com a secretaria, na semana passada, foram coletadas sete amostras de água em Santa Maria. Quatro amostras foram retiradas de açudes, duas de poços artesianos e uma em vertente d’água. Os técnicos também recolheram duas amostras de lodo dos reservatórios de água e duas de água dos reservatórios em localidades onde existem registros de casos confirmados. O material foi encaminhado ao Laboratório Central de Saúde Pública do Rio Grande do Sul para análise em primeira triagem. Os resultados devem ser divulgados em até 15 dias.
Conhecida como doença do gato, a toxoplasmose, de acordo com o Ministério da Saúde, é causada por um protozoário e apresenta quadro clínico variado – desde infecção assintomática a manifestações sistêmicas extremamente graves. A infecção em humanos ocorre por três vias: contato direto com solo, areia e latas de lixo contaminados com fezes de gatos infectados; ingestão de carne crua ou mal cozida infectada (sobretudo carne de porco e de carneiro); e infecção transplacentária durante a gravidez.
A toxoplasmose não pode ser transmitida de humano para humano, com exceção das infecções intrauterinas. De acordo com a pasta, cerca de 40% dos fetos de mães que adquiriram a doença durante a gestação são infectados. A orientação para se prevenir a doença é evitar o uso de produtos animais crus ou mal cozidos; eliminar as fezes de gatos infectados em lixo seguro; proteger as caixas de areia; lavar as mãos após manipular carne crua ou terra contaminada; e evitar o contato de grávidas com gatos (ABr).

Morre, aos 95 anos, enfermeira que cuidou de Anne Frank

Morre temproario

Morreu aos 95 anos de idade, no Reino Unido, a enfermeira e sobrevivente do Holocausto Gena Turgel, que ajudara a cuidar da jovem Anne Frank quando elas eram prisioneiras no campo de concentração nazista de Bergen-Belsen. Turgel ficou conhecida como “Esposa de Belsen” por ter se casado com um dos soldados britânicos que libertaram o campo de extermínio, Norman Turgel. O vestido que ela usou no matrimônio está exposto no Museu Imperial de Guerra de Londres.
Nascida em Cracóvia, na Polônia, em 1923, Turgel perdeu quase toda a sua família na invasão alemã de 1939 e depois foi deportada para campos de concentração. Após o fim da guerra, dedicou sua vida a ensinar crianças sobre os horrores do Holocausto. “Quando eu cheguei em Bergen-Belsen, vi pilhas de corpos espalhados. Não apenas uma ou duas, mas montanhas tão altas quanto uma árvore no jardim”, disse a enfermeira em 2015, em uma entrevista ao tabloide “The Sun”.
No campo de extermínio, ela ajudou a cuidar de Anne Frank, que sofria de tifo e acabaria morrendo pouco depois. “Ela estava delirando, terrível, queimando. Dei a ela água fria para lavá-la. Não sabíamos que ela era especial, mas ela era uma garota amável”, lembrou Turgel (ANSA).

Cursos de engenharia terão novas diretrizes curriculares em julho

Inovação deverá ser um dos principais focos dos cursos de engenharia no Brasil, de acordo com o integrante do Conselho Nacional de Educação (CNE), Luiz Roberto Curi, que preside a comissão de revisão das Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Engenharia. O novo marco regulatório deve ser aprovado em julho. “Inovação é um fator essencial do trabalho do engenheiro”, afirma Curi. “É preciso um compromisso dos cursos com processo inovativo industrial, ampliação, modernização e sofisticação da indústria; aproximar dos desafios da produção, aproximar dos desafios da infraestrutura”, acrescenta.
As diretrizes serão válidas para todos os cursos de engenharia. As diretrizes vigentes foram instituídas em 2001. Depois disso tiveram algumas pequenas atualizações. Os estudantes terão, por exemplo, acesso a conteúdos de design, de mercado e de materiais, questões que os ajudarão na prática da profissão. Terão mais ênfase também atividades de pesquisa e extensão. A discussão é feita no CNE há mais de um ano e meio e envolveu, entre outros atores, pela primeira vez, de acordo com o conselheiro, a indústria, e Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI). Instituições internacionais, como o MIT, nos Estados Unidos, serviram de referência.
Segundo o secretário de Educação Superior do Ministério da Educação, Paulo Barone, que participa da discussão, as diretrizes deverão tornar os cursos mais atrativos. Ele diz que há casos em que apenas 8% dos estudantes se formam no fim do quinto ano de curso. “Vamos aproximar cursos do mercado de maneira que haja projetos que o curso desenvolva já ligados à atividade futura”, diz (ABr).

Começam as inscrições no Sisu

Comecam temproario

Os estudantes que querem concorrer a um lugar no ensino superior em instituições públicas podem consultar as vagas disponíveis no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). É possível fazer consultas por curso, por instituição de ensino e por município. As inscrições para o segundo semestre começam hoje (12) e vão até sexta-feira (15). Neste processo seletivo, o Sisu vai oferecer 57.271 vagas em 68 instituições públicas de ensino superior, segundo o Ministério da Educação.
Pode concorrer às vagas quem fez o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2017 e obteve nota acima de zero em redação. Todo o processo de inscrição é feito exclusivamente pela internet, na página do Sisu. Ao ingressar no sistema, o candidato deverá escolher, por ordem de preferência, até duas opções de curso entre as vagas ofertadas. É possível alterar essas opções durante todo o período de inscrição. A última modificação confirmada é a considerada válida.
As vagas serão oferecidas em oito instituições públicas estaduais, uma faculdade pública municipal e 59 instituições públicas federais, com dois centros de educação tecnológica, 27 institutos federais de educação, ciência e tecnologia e 30 universidades. O resultado da chamada regular está previsto para o próximo dia 18. O período de matrícula vai de 22 até 28 de junho e o prazo para participar da lista de espera é de 22 a 27 de junho (ABr).

Trump ‘destruiu’ credibilidade do G7

O ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Mass, acusou o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de “destruir” a credibilidade do G7 com um tuíte. A declaração chega após o magnata ter usado o Twitter para retirar seu apoio ao comunicado conjunto do grupo, por causa de uma polêmica com o Canadá.
“Com um tuíte, uma enorme credibilidade pode ser destruída rapidamente. É ainda mais importante que a Europa fique unida e represente seus interesses com mais agressividade”, escreveu Mass.
Já o presidente da França, Emmanuel Macron, afirmou que a cooperação internacional não pode ser ditada por “surtos de raiva e declarações descartáveis”. “Assumimos compromissos e devemos mantê-los”, disse (ANSA).

Mais Lidas

Strict Standards: Only variables should be assigned by reference in /home/storage/0/5e/4e/jornalempresasenegoc/public_html/modules/mod_sp_facebook/mod_sp_facebook.php on line 84

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP