Brasileira ganha prêmio internacional por pesquisa

Rafaela Ferreira, professora da UFMG, ganhou prêmio da Unesco, que reconhece o trabalho de mulheres cientistas que mais se destacaram em 2017.

A pesquisadora mineira Rafaela Ferreira, professora adjunta do Departamento de Bioquímica e Imunologia da UFMG, ganhou, em Paris, um prêmio da Unesco, que reconhece o trabalho de mulheres cientistas que mais se destacaram no mundo em 2017

Única representante da América Latina entre as 15 vencedoras do International Rising Talents, Rafaela recebeu uma premiação de 15 mil euros para dar continuidade a uma pesquisa que busca desenvolver medicamentos para o tratamento do vírus da Zika e da doença de Chagas.
A cientista ganhou, no ano passado, a versão brasileira dessa premiação, o Para Mulheres na Ciência. Com esse reconhecimento, ela espera obter mais apoio e visibilidade para o desenvolvimento da pesquisa. “De um ponto de vista mais prático, o problema que a gente tem é o alto investimento necessário para desenvolver um medicamento, e que vai ficando cada vez caro, conforme o avanço do seu estágio do desenvolvimento”, explica. Conhecidas como doenças negligenciadas, o Chagas e a zika historicamente não atraem o interesse da indústria farmacêutica.
“O Chagas, por exemplo, foi descrito há mais de 100 anos [pelo cientista brasileiro Carlos Chagas] e até hoje a indústria simplesmente não investe muito nisso porque é uma doença que afeta países mais pobres. É muito importante ter um esforço de instituições públicas para que a gente possa avançar no desenvolvimento desses fármacos”, observa a pesquisadora.
Mesmo com o controle da ocorrência de novos casos em território nacional, a magnitude da doença de Chagas no Brasil permanece relevante. A infecção atinge de 1% a 2,4% da população, o equivalente a 1,9 a 4,6 milhões de pessoas. A taxa de mortalidade (entre 2014 e 2015) foi de 2,19 a cada 100 mil habitantes. Já a zika foi registrada pela primeira vez no Brasil em 2015. No ano seguinte, houve um surto da doença com mais de 214 mil casos registrados, o que deu uma taxa de 104,8 registros a cada 100 mil habitantes (ABr).

ONU: 124 milhões de pessoas necessitam ajuda alimentícia urgente

As piores crises de alimentos de 2017 se localizaram no Nordeste da Nigéria, na Somália, no Iêmen e no Sudão do Sul, onde havia 32 milhões de pessoas que necessitavam assistência urgente.

Cerca de 124 milhões de pessoas em 51 países enfrentaram graves crises de alimentos em 2017, número que representa um claro aumento sobretudo pelos conflitos cada vez mais intensos e prolongados, advertiu a Organização das Nações Unidas (ONU) ontem (22).
O relatório mundial de crises de alimentos, elaborado por diversas agências das Nações Unidas e outros parceiros, destaca que a quantidade de pessoas com fome aguda no mundo aumentou em 11 milhões (11% anual) se comparados os mesmos 45 países analisados neste ano e no anterior.
Em 2016, foram contabilizadas 108 milhões de pessoas que sofriam com grave insegurança alimentícia em 48 países, frente às 80 milhões calculadas em 2015. “Duas a cada três pessoas com fome procedem de países que vivem crises prolongadas”, explicou em conferência o diretor-geral da ONU para a Alimentação e a Agricultura (FAO), o brasileiro José Graziano da Silva.
As piores crises de alimentos de 2017 se localizaram no Nordeste da Nigéria, na Somália, no Iêmen e no Sudão do Sul, onde havia 32 milhões de pessoas que necessitavam assistência urgente, 16% a mais que um ano antes (ABr/EFE).

Anunciantes britânicos ameaçam ‘abandonar’ Facebook

Um grupo de anunciantes britânicos está ameaçando abandonar o Facebook após o escândalo envolvendo o vazamento de dados de mais de 50 milhões de usuários usados pela empresa Cambridge Analytica para influenciar as eleições dos Estados Unidos, a qual elegeu o presidente Donald Trump. A informação foi revelada ontem (22), depois de uma reunião da ISBA, órgão que representa as principais agências de publicidade do Reino Unido, de acordo com a rede BBC. “Não acho que eles estejam blefando. Eles vão exercer uma pressão real”, afirmou Davis Kershaw, diretor da M&C Saatchi. Kershaw, chefe de uma das agências de publicidade mais reconhecidas do mundo, disse que acha “que os clientes chegaram a um nível, com razão, onde o suficiente é suficiente”.
Além disso, ele ressaltou que os anunciantes que estão pressionando a companhia de Mark Zuckerberg ajudaria a promover mudanças no negócio. Mais de 3 mil marcas que compõe a ISBA estaria exigindo respostas ao Facebook sobre a violação dos dados. Na quarta-feira (21), Zuckerberg falou pela primeira vez sobre o caso e pediu desculpas pelo escândalo (ANSA).

PF opera contra comércio ilegal de créditos tributários

A Polícia Federal (PF) deflagrou ontem (22), em parceria com a Receita Federal, uma operação para combater fraudes relacionadas ao comércio de créditos tributários irregulares. Foram cumpridos quatro mandados de prisão temporária, contra uma servidora da Receita Federal e sócios das empresas de consultoria que intermediavam o repasse dos créditos, e 14 mandados de busca e apreensão nas cidades de São Paulo, Bragança Paulista e Florianópolis.
Segundo as investigações, a fraude era feita por empresas que prestavam consultoria, oferecendo créditos tributários retirados de terceiros e repassando esses valores para clientes que contratavam os serviços. A fraude contava também com a participação de uma analista tributária da Receita e de um falso auditor fiscal. A Operação Manigância observou que foram aproveitados R$ 64 milhões em créditos irregulares. O nome da operação faz referência à técnica ilusionista que faz um objeto desaparecer de um local e aparecer em outro (ABr).

Bolt participará de treino do Borussia Dortmund

Usain Bolt testa seu futebol no Borussia Dortmund.

O Borussia Dortmund anunciou ontem (22) que o ex-velocista jamaicano Usain Bolt, de 31 anos, realiza hoje (23) um teste na equipe principal do clube alemão. O treino do multicampeão olímpico de atletismo com os atletas do Borussia será aberto ao público, e a promessa é que muitos torcedores do clube alemão compareçam na sessão de treinamento.
O ex-velocista jamaicano já afirmou em diversas ocasiões ser fã de futebol e mostrou dominar alguns fundamentos do esporte. Aposentado das pistas, Bolt parece estar focado em investir na carreira de jogador. Além disso, já revelou anteriormente que um dos seus sonhos é atuar pelo Manchester United, da Inglaterra, seu clube de coração.
No final de fevereiro, Bolt chegou até a assinar contrato com o Mamelodi Sundowns, da África do Sul. O jamaicano ainda anunciou que no dia 10 de junho irá participar de uma partida beneficente no estádio Old Trafford, em Manchester. Ele irá atuar no time da Unicef e enfrentará a equipe comandada pelo cantor Robbie Williams (ANSA).

ONS: apagão não significa fragilidade no sistema

O diretor geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Luiz Eduardo Barata, disse ontem (22) que o apagão no Norte e Nordeste do país não significa fragilidade no sistema elétrico brasileiro.O incidente deixou 70 milhões de pessoas sem energia elétrica e se deu após uma falha na Subestação Xingu, no Pará, que distribui parte da energia produzida na Usina de Belo Monte.
“Apesar do distúrbio de ontem, temos absoluta convicção das condições de suprimento de energia no país”, disse. “Quero deixar clara a nossa convicção de que o distúrbio de ontem não pode e não deve significar qualquer tipo de fragilidade no sistema”. Na visão do ONS, o sistema é “robusto” e dispõe de energia suficiente. Barata explicou que houve uma expansão na geração e transmissão de energia, enquanto o consumo ficou estável com a crise econômica dos últimos anos.
As causas do apagão devem ser conhecidas em até 15 dias, segundo Barata, que se reunirá com todas as empresas afetadas pelo apagão na próxima segunda-feira para a preparação do relatório de análise de perturbação. “A nossa expectativa é que em 10, no máximo 15 dias, possamos divulgar exatamente o que aconteceu. As causas e as consequências e quais são as medidas que vamos tomar”, afirmou.

EUA: tempestade de inverno causa transtornos

Apesar de estar no início da primavera, uma forte nevasca atingiu a costa leste dos Estados Unidos na última quarta-feira (21), causando muitos transtornos. Washington DC, capital do país, foi a área mais atingida. Diversos problemas para os moradores das partes norte e oeste da região foram registrados.
Já em Nova York, a forte tempestade de neve "pintou" de branco vários parques, ruas, carros e o Empire State Building, um dos principais pontos da cidade. A nevasca fez com que diversas escolas da região cancelassem suas aulas, além de afetar o transporte público de muitas regiões. Os aeroportos norte-americanos também foram atingidos pela onda de mau tempo. No total, foram cancelados mais de 3,6 mil voos em todo o país.
A tempestade de inverno chamada "Toby" é a quarta em três semanas a atingir a costa leste dos Estados Unidos. Nas nevascas anteriores, ao menos nove pessoas morreram devido ao frio e deixaram mais de dois milhões de residências e empresas sem energia elétrica (ANSA).