ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Indicador de Confiança do Consumidor abre 2018 com crescimento

A consolidação da volta da confiança é condição necessária para a retomada do consumo.

A passos lentos, o humor do brasileiro com a economia do país e com a sua própria condição financeira vem apresentando melhoras, embora ainda permaneça em um patamar baixo

Segundo dados apurados pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), o Indicador de Confiança do Consumidor (ICC) cresceu de 41,9 pontos em janeiro de 2017 para 43,6 pontos em janeiro de 2018.
De acordo com a sondagem, 78% dos brasileiros avaliam o atual momento econômico do país como ruim contra apenas 3% que consideram a situação ótima ou boa. Para 19%, a situação é regular. Quando o assunto é a avaliação da própria vida financeira, o percentual dos que consideram o momento atual como ruim cai para 40%, enquanto 14% avaliam a vida financeira de forma positiva. Outros 45% classificam o momento como regular.
Para o presidente da CNDL, José Cesar da Costa, a consolidação da volta da confiança é uma condição necessária para a retomada do consumo das famílias
e dos investimentos entre os empresários. “Mas isso dependerá do aumento de vagas de emprego e ganhos reais de renda, depois de um longo período de queda”, explica. Maior parte dos consumidores ainda vê cenário econômico como ruim. Desemprego e preços altos são principais justificativas
O levantamento apurou que entre os que fazem uma avaliação negativa a respeito da economia brasileira, a maior parte cita o desemprego elevado como principal razão desse desalento (59%). Também aparecem com destaque os altos preços (55%) e as elevadas taxas de juros (43%), fatores que acabam inibindo o consumo. Embora o quadro atual seja negativo para parte considerável dos consumidores, os brasileiros nutrem esperanças de que a sua situação financeira melhore em um horizonte de seis meses, assim como a do país como um todo (SPC/CNDL).

Câncer: mais de 300 mil crianças são diagnosticadas todos os anos

Atualmente, o local onde a criança reside muitas vezes determina sua habilidade de sobreviver ao câncer infantil.

No Dia Internacional de Luta Contra o Câncer na Infância, lembrado ontem (15), a Childhood Cancer International (CCI), alerta para a necessidade de ações globais conjuntas para enfrentar o que chama de desafio crescente imposto pela doença. Dados da Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer indicam que cerca de 215 mil casos são diagnosticados todos os anos em menores de 15 anos, além de 85 mil casos entre adolescentes de 15 a 19 anos.
“Apesar de o número de crianças com câncer ser bem menor quando comparado à incidência global da doença em adultos, o número de vidas salvas é significativamente maior: as taxas de sobrevivência em países de alta renda chegam a uma média de 84% e estão melhorando de forma consistente mesmo em áreas com menos recursos no mundo onde há apoio local e internacional”, destacou a CCI, por meio de nota.
A campanha alerta ainda para a disparidade no acesso ao tratamento do câncer infantil em países de baixa e média renda, onde vivem 80% das crianças e adolescentes com câncer. De acordo com o comunicado, crianças e adolescentes na África, na Ásia, na América Latina e em partes do Leste e Sul europeu não têm acesso apropriado nem mesmo a medicamentos essenciais e cuidados especializados. “Atualmente, o local onde a criança reside muitas vezes determina sua habilidade de sobreviver ao câncer infantil”, concluiu a entidade, composta por 188 organizações membro de um total de 96 países (ABr).

Ronaldinho Gaúcho e Luís Figo serão capitães do Jogo da Solidariedade

Com o objetivo de promover os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs), com foco específico na redução das desigualdades, as Nações Unidas e a Liga dos Campeões da Europa (Uefa) realizam no dia 21 de abril um “Jogo da Solidariedade” com a participação de diversas estrelas do futebol mundial.
O jogo será no Estádio de Genebra, na Suíça, e terá com o brasileiro Ronaldinho Gaúcho e o português Luís Figo como capitães das duas equipes que disputarão a partida, cujos ingressos já estão à venda pela internet. Toda a receita da disputa será revertida para a Fundação para Crianças da Uefa. Entre os jogadores que já confirmaram participação na partida estão Cafu, do Brasil e Nuno Gomes, de Portugal.
No anúncio da iniciativa, em Genebra, o capitão Luís Figo falou, em inglês, sobre a honra de participar do evento. Ele acredita que o amistoso será uma ótima oportunidade para aumentar a conscientização do público e angariar fundos para projetos humanitários e de desenvolvimento (ONU News).

Peru adota medidas turísticas para proteger Machu Picchu

Com o intuito de proteger a cidade histórica de Machu Picchu, o governo do Peru anunciou algumas medidas para combater a grande quantidade de turistas que visitam o local. A partir de julho, os visitantes não poderão mais ficar na cidade o dia inteiro. Agora, terão que escolher entre dois horários de visitas, das 06h00 às 12h00, ou do 12h00 às 17h30. Caso o turista queira passar o dia em Machu Picchu, deverá comprar um ingresso que custará US$ 70 cada.
De acordo com as novas regras, os turistas devem ser acompanhados por um guia certificado, e os grupos não podem ser formados por mais de 16 pessoas. Todos deverão seguir os três circuitos da visita planejada, sem poder deixar o caminho. Além disso, os visitantes não poderão entrar com guarda-chuvas ou bolsas maiores que 33x20 centímetros, carrinhos ou varas, tripés ou sapatos com saltos.
“Machu Picchu é uma grande atração, mas estamos preocupados com a sua sustentabilidade. A área está danificada porque há muitas pessoas ao mesmo tempo”, disse Sandra Doig, vice-diretora da “PromPeru”, comissão para a promoção do turismo no Peru. O número de turistas que visitaram Machu Picchu aumentou ao longo dos anos. Entre janeiro e julho de 2017, cerca de 610 mil pessoas estiveram na cidade histórica (ANSA).

‘Parque do Pênis’ vira atração turística em Jogos de Inverno

Penis Park em Samcheok, na Coreia do Sul.

O Parque Olímpico de Pyeongchang, na Coreia do Sul, não é o único ponto da cidade que está recebendo diversos turistas. A apenas 60 quilômetros, fica o “Penis Park”, um parque onde o grande astro é o órgão sexual masculino. O espaço conta com cerca de 50 esculturas de pênis gigantes, esculpidas em diferentes materiais.
Segundo um dos guias turísticos locais, o parque nasceu devido a uma lenda de uma jovem mulher que foi deixada pelo namorado em uma rocha perto do mar e morreu afogada em uma tempestade. Com a morte dela, todos os peixes do mar sumiram. No entanto, a maldição foi quebrada após um homem ter relações sexuais no mar e, repentinamente, os peixes voltarem.
“Os moradores entenderam que a jovem havia morrido antes de conhecer os prazeres carnais e que desejava ver o sexo masculino. Os moradores decidiram, então, construir esculturas de pênis enormes para satisfazê-la”, explicou o guia.
Os habitantes da cidade de Samcheok, onde está localizada uma vila de pescadores, dizem que a lenda tem mais de 500 anos. O parque, que foi inclusive financiado pelo governo sul-coreano, recebeu em 2017 mais de 270 mil visitantes.
Em comemoração à lenda, é realizado um festival na cidade durante o qual os visitantes podem aprender a esculpir um pênis. As esculturas também são visitadas por casais que querem ter bebês, já que o lugar é um culto à fertilidade(ANSA).

Pela fé, jovens atravessam Cordilheira dos Andes

O Cristo Redentor dos Andes, na fronteira entre Argentina e Chile.

Cerca de 120 jovens completaram nesta semana uma travessia a pé pela Cordilheira de Andes de 17 dias de viagem. O grupo era formado por jovens de países como Argentina, Chile, Brasil, Paraguai, México, Espanha, Alemanha e Portugal e membros do movimento católico de Schoenstatt.
A travessia, que tinha começado no dia 20 de janeiro e é conhecida como Cruzada de Maria, incluiu 400 km de caminhada para atravessar os Andes, desde os santuários de Mendonza, na Argentina, até Bellavista, no Chile. Os jovens começavam a caminhada todos os dias às 6 h da manhã e andavam durante seis horas, percorrendo de 26 e 34 quilômetros.
Eles passavam a noite em quartos do exército, acampamentos ou até mesmo ao ar livre. A travessia foi criada em 1999 e ocorre a cada quatro anos. Na edição de 2018, o Brasil contou com seis participantes (ANSA).

 

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171