Lei torna preferenciais todos os assentos do transporte público no Distrito Federal

Lei torna preferencial todos os assentos de ônibus e do metrô para idosos, grávidas, mulheres com criança de colo e pessoas com deficiências ou mobilidade reduzida.


Desde ontem (8), passou a valer no Distrito Federal a lei que torna preferencial todos os assentos de ônibus e do metrô para idosos, grávidas, mulheres com criança de colo e pessoas com deficiências ou mobilidade reduzida

Até então, apenas algumas cadeiras eram destinadas ao público prioritário. A lei determina que o passageiro comum deverá oferecer o assento para a pessoa beneficiada pela medida, caso esta esteja sem lugar para sentar.
O funcionário público e usuário de ônibus Vinícius Andrade, 38 anos, diz que concorda com a lei, mas critica o fato de o governo não oferecer transporte de qualidade para toda a população. “A população envelhece cada vez mais rápido e o governo não oferece transporte de qualidade. A superlotação é um sério problema. Mas entendo que a medida é válida. Tem que conscientizar a população. Eu sempre cedo meu lugar para pessoas que precisam mais do que eu, mesmo antes de a lei entrar em vigor”, disse.
“Tomara que mude e que a população se conscientize”, disse Paula Cristina Corrêa, 38 anos. Moradora do Recanto das Emas, Paula demora 1h30 todos os dias para ir ao trabalho. “Tive paralisia infantil o que comprometeu a formação dos meus membros. Muitas vezes, venho em pé no ônibus porque algumas pessoas não cedem o lugar, até mesmo quando mostro minha carteira de PNE [Portadora de Necessidade Especial]”, relatou.
Embora a lei determine que haja informativos em estações, paradas e transportes alertando a população para a nova regra, não haverá fiscalização ostensiva. “Muito mais do que o caráter punitivo, a gente entende que a medida tem caráter educativo e pedagógico”, disse o diretor do DFTrans, Léo Carlos Cruz. O Metrô-DF passará a informar os usuários por meio do sistema de som das estações e dos trens. Já foram confeccionados adesivos para serem afixados nos assentos dentro dos trens e nas estações. O DF é a primeira unidade da federação a adotar essa medida (ABr).

73% dos brasileiros vão às compras no Natal, movimentando R$ 51,2 bilhões na economia

O brasileiro deve desembolsar, em média, R$ 461,91, cifra muito próximo a observada em 2016, que era de R$ 465,59.

Os sinais mais recentes de uma lenta e gradual recuperação econômica já se refletem nas perspectivas para a data mais importante em faturamento e volume de vendas no varejo: o Natal. Uma pesquisa realizada em todas as capitais pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) aponta que 110,8 milhões de consumidores brasileiros devem presentear alguém no Natal de 2017.
Se as expectativas forem confirmadas, o Natal deste ano será um pouco melhor que o do ano passado, quando a projeção havia sido de 107,6 milhões de consumidores nas lojas. Em termos percentuais, 73% dos brasileiros pretendem comprar presentes para terceiros, número que se mantém elevado em todas as faixas etárias e classes sociais. Apenas 8% disseram que não vão presentear, ao passo que 18% ainda não se decidiram.
Considerando somente a aquisição de presentes natalinos, a movimentação de dinheiro na economia deverá ser de R$ 51,2 bilhões no comércio, cifra que representa um leve crescimento nominal na comparação com 2016, ano em que a projeção girou em torno de R$ 50 bilhões. Na avaliação do presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, a injeção desse volume de recursos na economia mostra porque o Natal é o período mais aguardado do ano para consumidores e comerciantes e dá indícios de que a disposição dos brasileiros para consumir está retornando.
“De um lado, milhões de consumidores investem tempo e recursos financeiros na compra de presentes e na preparação das celebrações; do outro, muitos empresários se preparam para contratar mão de obra e aumentar a produção, na esperança de que as vendas compensem o resultado tímido ao longo do ano”, afirma Pellizzaro Junior (SPC/CNDL).

Messi admite Brasil favorito na Copa

Após o sufoco para levar a Argentina à Copa do Mundo de 2018, o craque Lionel Messi admitiu que o Brasil é um dos favoritos para vencer o torneio na Rússia, assim como Alemanha, Espanha e França. “São os que estão deixando melhor imagem”, afirmou o meia-atacante do Barcelona em entrevista ao canal TYC Sports.
Messi não colocou sua própria seleção na lista de principais candidatas ao título e prometeu ir andando de sua casa em Rosario, na Argentina, ao Santuário Maria do Rosário de San Nicolás - uma distância de 40 km - caso a albiceleste conquiste a Copa. “Vamos a San Nicolás. Se é preciso ir, iremos”, declarou o craque, ao ser questionado pelo apresentador se aceitaria fazer a promessa.
O atacante Sergio Agüero, que estava a seu lado na entrevista, também se animou. “Vamos caminhar”, garantiu. A Argentina se classificou para a Copa do Mundo apenas na última rodada das Eliminatórias, após uma vitória por 3 a 1 sobre o Equador na altitude de Quito, com três gols de Messi. Apesar disso, a bicampeã mundial será cabeça de chave na Rússia (ANSA).

Desmatamento do Pantanal custa mais de R$ 19 milhões ao ano

Divulgação

O desmatamento do Pantanal tem um preço: mais de R$24 mil por hectare ao ano. Considerando que 18% da planície já foi desmatada - por conta da expansão de commodities, principalmente para produção extensiva de gado - o custo total é de R$19 milhões ao ano. “Estamos reduzindo a quantidade das populações animais e vegetais podendo haver um sério risco em extinções de espécies, com a perda da biodiversidade e ainda afetando processos que garantem a disponibilidade de água para as populações”.
A afirmação foi feita por Júlio César Sampaio, coordenador do Programa Cerrado Pantanal do WWF-Brasil, durante evento organizado pela ONG para comemorar o Dia do Pantanal (12/11). “Nossa intenção foi levar um pouco das principais características do bioma a um público que ainda desconhece suas riquezas”, disse. Especialistas em conservação ambiental falaram em São Paulo sobre turismo, conservação da fauna e da flora, economia, cultura pantaneira.
O público pôde ouvir canções típicas do Pantanal da voz da cuiabana Ana Rafaela e ainda saborear comidinhas típicas elaboradas pela chef Ariani Malouf. Mônica Sousa, diretora executiva da Maurício de Sousa Produções, esteve presente para lançar o gibi inédito “Chico Bento vai ao Pantanal” com o propósito de levar ao leitor um interação mais divertida porem recheada de informações sobre o Pantanal.

Dezembro Vermelho, de prevenção à aids

A lei que institui a campanha nacional de prevenção ao HIV/aids e outras infecções sexualmente transmissíveis, denominada Dezembro Vermelho, está publicada no Diário Oficial da União de ontem (8). De acordo com a lei, sancionada pelo presidente Temer, a campanha terá foco na prevenção, assistência, proteção e promoção dos direitos humanos das pessoas que vivem com HIV/aids e será constituída de um conjunto de atividades e mobilizações relacionadas ao enfrentamento da doença.
As atividades e mobilizações da campanha serão desenvolvidas de acordo com os princípios do SUS, de modo integrado em toda a administração pública, com entidades da sociedade civil organizada e organismos internacionais. Entre outras ações, estão previstas a iluminação de prédios públicos com luzes de cor vermelha, promoção de palestras e atividades educativas, realização de eventos que tratem do tema e veiculação de campanhas na mídia (ABr).

Locais de prova do Encceja

Os candidatos que vão fazer o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) já podem consultar o local de prova na página do participante. O exame será aplicado no próximo dia 19. Neste ano, 1,5 milhão de pessoas se inscreveram para fazer o Encceja, que é direcionado aos jovens e adultos que não concluíram os estudos em idade própria. Dessas, 301 mil farão provas para o ensino fundamental e 1,2 milhão para o ensino médio. O exame será aplicado em 564 municípios em todos os estados.
Os participantes precisam ter, no mínimo, 15 anos completos na data de realização do exame, para quem busca a certificação do ensino fundamental. Quem busca a certificação do ensino médio tem que ter, no mínimo, 18 anos completos na data de realização do exame.
Os alunos do ensino fundamental vão fazer provas de ciências naturais, história e geografia pela manhã e de língua portuguesa, língua estrangeira, artes, matemática, educação física e redação à tarde. Candidatos do ensino médio vão fazer provas de ciências da natureza e ciências humanas pela manhã e de linguagens e códigos, redação e matemática à tarde (ABr).