Metade dos brasileiros está com empréstimo ou financiamento atrasado

O cartão de crédito foi a modalidade mais utilizada, mencionada por 35% dos consumidores.


Levantamento aponta que 50% dos consumidores brasileiros atrasaram as parcelas de empréstimos ou financiamentos no mês de agosto

Desse total, 34% tiveram atrasos ao longo do contrato e 16% estavam com parcelas pendentes no mês. Os dados foram divulgados na sexta-feira (6) pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas. Entre os entrevistados, 42% recorreram a pelo menos uma forma de crédito em agosto, ante 58% que não fez compras a prazo ou empréstimo.
Segundo a pesquisa, 14% contraíram algum empréstimo e têm parcelas a pagar; 18% têm pendentes parcelas de financiamentos. Nas lojas, considerando apenas quem tentou fazer compra parcelada, 63% tiveram o crédito negado, sendo o motivo principal a inadimplência (24%), seguida por renda insuficiente (11%). A tomada de empréstimos e financiamentos é vista como difícil ou muito difícil por 44% dos consumidores. Para 18%, não é nem fácil nem difícil e, para 15%, fácil ou muito fácil.
O cartão de crédito foi a modalidade mais utilizada, mencionada por 35% dos consumidores. Aparecem em seguida o cartão de loja ou crediário, citado por 13%, o limite do cheque especial (6%), os empréstimos (4%) e os financiamentos (3%). Entre os usuários do cartão de crédito, 39% notaram aumento do valor da fatura, 26% notaram redução e 31% mantiveram o valor de meses anteriores. O valor médio das faturas em agosto foi R$ 630,59. Os produtos e serviços mais adquiridos foram: 59% alimentos em supermercado, 53% itens de farmácia e remédios, 32% roupas e calçados, 32% combustíveis e 28% bares e restaurantes.
Projetando o orçamento para outubro, a maior parte dos consumidores (59%) pretende cortar gastos, 32% pretendem manter o nível de despesas e 5% querem aumentar os gastos. Entre os que vão diminuir o consumo, 23% mencionaram os altos preços, 17% o desemprego e 8% a redução da renda. Na lista dos produtos que os consumidores pretendem comprar em outubro estão remédios (23%), roupas, calçados e acessórios (20%), recargas para telefone celular (17%), perfumes e cosméticos (11%), materiais de construção (7%), eletrodomésticos (7%), salão de beleza (6%), artigos de cama, mesa e banho (6%) (ABr).

Nobel para a Campanha Internacional para a Abolição de Armas Nucleares

Ativistas da ICAN protestam contra uma base norte-americana em Alice Spring, Austrália.

A Campanha Internacional para a Abolição das Armas Nucleares (ICAN, sigla em inglês) conquistou o prêmio Nobel da Paz, anunciou o Comitê Nobel Norueguês, alertando sobre as “consequências humanitárias catastróficas” desses arsenais e pelos seus esforços para fazer um tratado que os proíbe. Esta união de associações que estende por 100 países foi uma “força motriz” e um “ator líder da sociedade civil” do movimento contra as armas nucleares e juntou esforços para “estigmatizar, proibir e eliminar” este tipo de armamento, diz a argumentação do prêmio.
O Comitê enfatizou o “sofrimento humano inaceitável” como um “argumento importante” para a proibição de armas e enfatizou que outras armas menos destrutivas, como as minas antipessoais, bombas de fragmentação e armas químicas e biológicas já foram proibidas por diferentes tratados. O Nobel destacou que no último dia 7 de julho, 122 países assinaram um tratado internacional contra a proliferação nuclear, mas lamentou que nenhum dos “países que têm armas nucleares, nem seus aliados” ratificaram, ainda que Estados Unidos, Rússia, Reino Unido, França e China tenham dado um primeiro passo neste sentido.
Este prêmio, acrescentou a decisão, é “também um apelo” a estes países para que iniciem “negociações sérias” para a eliminação das 15 mil “armas nucleares existentes em todo mundo”. A entrega da premiação acontecerá no dia 10 de dezembro, aniversário da morte do fundador dos prêmios, Alfred Nobel, em uma dupla cerimônia na Câmara Municipal de Oslo, onde será entregue o da Paz, e no Konserthus, de Estocolmo, para o resto dos prêmios (AgênciaEFE).

Presidente do BC debaterá política econômica no Senado

A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado promove na terça-feira (10) audiência pública com o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, para discutir as diretrizes e perspectivas da política monetária. A realização desta audiência pública é prevista no artigo 99 do Regimento Interno do Senado Federal. De acordo com o dispositivo, caberá à CAE promover audiências públicas regulares com o presidente do Banco Central para discutir a implementação da política monetária.
As audiências públicas, de acordo com o dispositivo, serão realizadas na primeira quinzena de fevereiro, abril, julho e outubro, podendo haver alteração de datas decorrente de entendimento entre o colegiado e a instituição. A última vez que Ilan Goldfajn esteve no Senado foi em abril. A CAE é presidida pelo senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) e tem como vice-presidente o senador Garilbaldi Alves Filho (PMDB-RN)(Ag.Senado).

Governo brasileiro já tem plano para extraditar Battisti

Ex-ativista Cesare Battisti.

O governo brasileiro já teria um plano montado para devolver à Itália o escritor Cesare Battisti, condenado à prisão perpétua pela Justiça italiana por quatro homicídios cometidos na década de 1970. De acordo com uma reportagem publicada sexta-feira (6) pelo jornal “O Globo”, a ideia do governo é embarcar Battisti em um avião da Polícia Federal direto de Corumbá, no Mato Grosso do Sul, e enviá-lo para a Itália.
O governo do presidente Michel Temer espera superar qualquer entrave legal e, enfim, devolver Battisti para a Itália, o que pode ocorrer nos próximos dias.
Entre as etapas judiciais a serem superadas, está a falta de uma declaração formal do governo da Itália se comprometendo a fazer a detração pena, ou seja, garantir que Battisti cumpra um regime de prisão como o previsto nas leis brasileiras.
Essa exigência faz parte de todos os tratados de extradição. A defesa de Battisti entrou na sexta-feira (6) com um novo recurso no STF para solicitar que seja analisado com “urgência” o pedido de habeas corpus realizado no último dia 27 de setembro para evitar a extradição do italiano. Segundo o advogado de Battisti, existe o risco “iminente” dele ser extraditado ao seu país de origem (ANSA).

Tragédia de Janaúba deixou sete mortos e 43 feridos

A tragédia na cidade mineira de Janaúba - quando o segurança de uma creche ateou fogo em crianças – deixou sete mortos e 43 feridos. Os pacientes mais graves são 13 e foram todos encaminhados para o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte, referência em queimaduras no estado. Outras vítimas foram transferidads para Montes Claros e 13 permanecem no município.
As informações foram divulgadas em entrevista coletiva que reuniu autoridades na prefeitura da cidade. O governador Fernando Pimentel esteve em Janaúba para acompanhar os trabalhos de assistência aos feridos e aos familiares das vítimas. A creche Gente Inocente, do Centro Municipal de Educação Infantil, no bairro Rio Novo, é pública e recebe crianças de zero a seis anos.
Além do vigia e da professora, morreram Ana Clara Ferreira Silva, 4 anos; Luiz Davi Carlos Rodrigues, 4 anos; Juan Pablo Cruz dos Santos, 4 anos; Juan Miguel Soares Silva, 4 anos; Renan Nicolas Santos, 4 anos. O médico responsável pela equipe médica que atendeu as vítimas, Helvécio Albuquerque, disse que graças à “atuação conjunta de polícias, Corpo de Bombeiros, profissionais da saúde e,de voluntários, além da sociedade civil, foi possível fazer todos os atendimentos e encaminhamentos necessários” (ABr).

Queda na inflação é ‘reflexo’ da política do governo

O presidente Michel Temer registrou na sexta-feira (6), na rede social Twitter, que a queda da inflação é “reflexo da política econômica” adotada pelo governo. A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou o mês de setembro com variação de 0,16%, abaixo dos 0,19% de agosto. O IPCA, inflação oficial do país, foi divulgado pelo IBGE. Nos primeiros nove meses do ano, o índice acumula variação de 1,78%, bem abaixo dos 5,51% registrados em igual período de 2016.
“Inflação acumulada no ano é a mais baixa em 19 anos. Reflexo da política econômica adotada quando assumi o governo”, registrou o presidente no Twitter. Esta é a menor taxa acumulada até setembro desde 1998, quando registrou-se 1,42%. O índice apresentou alta acumulada nos últimos 12 meses de 2,54%, resultado superior aos 2,46% registrados nos 12 meses anteriores. No entanto, está abaixo da meta fixada pelo Banco Central, de 4,5% .