Participação de brasileiros no Programa Mais Médicos aumentou 44%

Quase 1.400 novos intercambistas brasileiros entram em exercício na próxima segunda-feira (9), ampliando a participação nacional no programa.


Quase 1.400 novos intercambistas brasileiros entram em exercício na próxima segunda-feira (9), ampliando a participação nacional no programa

O número de médicos brasileiros participantes do Programa Mais Médicos aumentou 44% em menos de um ano. O dado foi divulgado ontem (3), pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, durante a recepção de 1.375 profissionais brasileiros formados no exterior que aderiram ao último edital. Com esse reforço, somando também aqueles com diplomas do país, já são 8.316 brasileiros no programa, o que representa 45,6% do total.
A prioridade do Ministério da Saúde é ampliar a participação nacional, tornando a iniciativa mais independente e garantindo atendimento médico à população. “Este momento é importante para o Brasil e para os brasileiros. Estamos avançando e tenho certeza que vamos oferecer mais qualidade na saúde e na atenção básica com a participação desses novos profissionais no programa Mais Médicos”, ressaltou o ministro.
Esses novos profissionais iniciam as atividades em Unidades Básicas de Saúde em cerca de 800 municípios de 25 estados, além de 8 Distritos Sanitários Especiais Indígenas. Juntos, eles devem cobrir região com 4,8 milhões de pessoas. Ao todo, foram 1.985 inscritos, mais de um candidato por vaga. Entre as regiões, o Sudeste foi o que recebeu o maior número de profissionais, foram 565 médicos para reposição. O Sul e o Nordeste vêm logo em seguida, com 329 e 296 intercambistas, respectivamente.
“Com esses novos profissionais, vamos garantir o cuidado personalizado e humanizado perto de casa, por um médico e uma equipe que se vincula ao paciente e sua família resolvendo problemas de saúde e evitando que as pessoas precisem de atendimento nas emergências, hospitais e consultas com especialistas”, destacou o secretário de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde, Rogério Abdalla. Do total de médicos participantes, 47,1% são profissionais da cooperação com a OPAS, 45,6% brasileiros formados no Brasil ou no exterior e 4,16% são intercambistas estrangeiros (Agência Saúde).

Trump expulsa 15 diplomatas cubanos por ‘ataques acústicos’

Segundo o governo Trump, a situação só será normalizada após o fim dos ataques sonoros.

O governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ordenou ontem (3) a expulsão de 15 diplomatas cubanos, em retaliação contra os supostos “ataques acústicos” que atingiram pelo menos 22 norte-americanos na embaixada do país em Havana. A decisão foi tomada menos de uma semana depois de Washington ter determinado uma redução de 60% em seu pessoal alocado na representação diplomática dos EUA na capital de Cuba. Os diplomatas expulsos têm um prazo de sete dias para deixar o território norte-americano.
Segundo o governo Trump, a situação só será normalizada após o fim dos ataques sonoros, sobre os quais os Estados Unidos cobram esclarecimentos de Havana. Essas misteriosas ações acústicas, nunca bem explicadas por Washington, já teriam ferido pelo menos 22 norte-americanos, quase todos diplomatas e funcionários do Departamento de Estado. As lesões reportadas vão desde enxaquecas e náuseas a “perda definitiva de audição”, segundo os EUA. Os 15 cubanos expulsos representam cerca de dois terços da equipe alocada na embaixada em Washington, de forma a fazer com que os dois países tenham um número similar de funcionários em suas respectivas sedes diplomáticas.
As embaixadas foram reabertas em 2015, como resultado da reaproximação iniciada por Barack Obama e Raúl Castro no fim do ano anterior - as duas nações ficaram mais de meio século com relações diplomáticas congeladas. No entanto, esse processo foi interrompido pela ascensão de Trump, que vem adotando uma postura mais dura em relação ao regime castrista (ANSA).

Anistia Internacional denuncia ‘caça’ a gays no Egito

A ONG Anistia Internacional (AI) informou que seis homens egípcios presos por “promover desvios sexuais” e “devassidão” nas redes sociais serão submetidos a exame anal antes do julgamento. O anúncio faz parte da denúncia de uma ampla repressão contra a homossexualidade iniciada nos últimos dias no país, quando um grupo de pessoas levantaram uma bandeira com as cores do arco-íris em um show.
O momento foi considerado uma rara demonstração de apoio aos direitos de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT), já que o Egito é tido como um país conservador. O episódio ocorreu durante a apresentação da banda libanesa de rock alternativo Mashrou’ Leila, cujo vocalista é gay assumido. Segundo a Anistia Internacional, ao menos 11 pessoas foram detidas e um homem condenado a seis anos de prisão. A organização afirma que as prisões foram resultados de uma campanha realizada pela imprensa local que criticou a atitude dos homossexuais.
Além disso, a denúncia ressalta que a Autoridade de Medicina Forense submeteria os homens a exame anal para determinar se tiveram relações sexuais, o que viola a proibição de tortura e outros maus tratos segundo a lei internacional. O país não proíbe, de fato, a homossexualidade. No entanto, o Egito é uma sociedade conservadora, onde a discriminação é abundante. Frequentemente, homens gays são presos e acusados de devassidão, imoralidade e blasfêmia (ANSA).

PF deflagra operação contra fraudes no setor madeireiro

Divulgação

A Polícia Federal (PF) deflagrou ontem (3), em conjunto com o Ibama, a Operação Floresta Virtual, que investiga fraudes dos sistemas Flora e Documento de Origem Florestal (DOF), utilizados no monitoramento da venda e do transporte de produtos florestais. Segundo cálculo inicial, o valor dos danos ambientais causados pela prática da rede criminosa, que atuava nos estados do Pará e de Mato Grosso, chega a R$ 1 bilhão.
De acordo com a corporação, após montar madeireiras de fachada, com eventual uso de “laranjas”, engenheiros florestais e empresários manipulavam os dois sistemas para vender produtos extraídos de áreas protegidas, como áreas de preservação permanente, unidades de conservação e terras indígenas. A estratégia do grupo de burlar os sistemas consistia em gerar créditos dos produtos e transferi-los a empresas localizadas em regiões de maior potencial madeireiro, a fim de maquiar sua ilegalidade.
A operação cumpre mandados de busca e apreensão nos municípios mato-grossenses de Cuiabá, Itaúba, Nova Monte Verde, Santa Carmem e Sinop. Os investigados responderão por diversos crimes contra a flora, por furto e receptação de madeira, lavagem de capitais e falsidade ideológica.

Trabalho exemplar de inteligência evito roubo bilionário

O governador Geraldo Alckmin participou na manhã de ontem (3), de coletiva de imprensa que detalhou ação policial ocorrida na noite da última segunda-feira, (2) , quando a Polícia Civil de São Paulo impediu o maior roubo a bancos da história e prendeu 16 criminosos envolvidos na ação. O crime poderia resultar em um roubo de R$ 1 bilhão e um túnel de 600 metros já havia sido escavado, com destino ao cofre da base de distribuição do Banco do Brasil, localizado na zona sul.
O governador Geraldo Alckmin elogiou o trabalho realizado pela polícia. “Foi um trabalho exemplar de inteligência, tecnologia, antecipando a ação criminosa. Dezesseis presos, fruto de três meses de trabalho, de análise cuidadosa, bem feita e em sigilo. E a prisão dessa quadrilha, com indícios de envolvimento em outros grandes crimes no Brasil. É um quadrilha altamente especializada”, detalhou o governador.
O delegado Fábio Pinheiro Lopes, da Delegacia de Roubo a Bancos do Deic, explicou que a investigação teve início há cerca de três meses. “Começou um burburinho de uma ação bilionária na cidade. Passamos a determinação para procurar o que iria acontecer e levantamos quadrilha há três meses. Começamos a monitorar e há um mês identificamos o QG da quadrilha, na zona norte. E em 15 dias conseguimos identificar onde seria o túnel”, disse o delegado.
Depois, a Polícia Civil esperou um momento em que os líderes estariam reunidos para efetuar a prisão, que ocorreu sem qualquer disparo de arma de fogo e sem feridos. O delegado Lopes detalhou que o túnel já estava pronto e impressionou o trabalho de engenharia envolvido na ação. Havia serralheria e equipamentos de última geração no local, até mesmo trilhos e dez carrinhos que seriam usados na retirada do dinheiro, não fosse a ação da Polícia Civil (sp.gov.br).