INSS começa a convocar aposentados por invalidez para perícia médica

Pente fino do INSS deve revisar mais de 2 milhões de benefícios.

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e o Ministério do Desenvolvimento Social começaram a convocar aposentados por invalidez para a realização de perícias médicas

A intenção é fazer um pente-fino nos benefícios concedidos. A economia prevista para o final do procedimento é de R$ 10 bilhões. Os aposentados são informados sobre a convocação por meio de cartas enviadas pelos Correios. No primeiro lote, foram enviadas 22.057 cartas para 25 estados.
São convocados aqueles com menos de 60 anos que estão com o benefício sem revisão há mais de dois anos. Ao todo, o governo quer convocar 1 milhão de segurados até dezembro de 2018. A previsão é de que as primeiras perícias médicas comecem em setembro, considerando os prazos de entrega das correspondências e de contato dos beneficiários para a marcação do agendamento. Aqueles que receberem a carta devem entrar em contato com o INSS pelo número 135 e agendar a perícia. Quem não fizer o agendamento terá o benefício suspenso.
Além dos aposentados por invalidez, aqueles que recebem auxílio-doença também estão sendo convocados. Até o dia 4 de agosto, foram realizadas 210.649 perícias entre aqueles que recebiam auxílio-doença. Foram cancelados 168.396 benefícios. A ausência de convocados levou ao cancelamento de outros 20.304 benefícios.
Além disso, 33.798 benefícios foram convertidos em aposentadoria por invalidez, 1.892 em auxílio-acidente, 1.105 em aposentadoria por invalidez com acréscimo de 25% no valor do benefício e 5.458 pessoas foram encaminhadas para reabilitação profissional. Ao todo, 530.191 benefícios de auxílio-doença serão revisados. A economia anual estimada com auxílio-doença até agora é de R$ 2,7 bilhões (ABr).

Governo lança Plano Nacional de Voluntariado

Em cerimônia no Palácio do Planalto, o governo lança o Plano Nacional de Voluntariado.

Para incentivar o engajamento dos cidadãos em atividades voluntárias foi lançado ontem (28), em cerimônia no Palácio do Planalto, o Programa Nacional de Voluntariado - Viva Voluntário. A iniciativa vai unir esforços do governo, de organizações da sociedade civil e de empresas, e será coordenado pela Casa Civil. Como incentivo, o decreto que cria o programa prevê o uso de horas nesse tipo de atividade como critério de desempate em concursos públicos ou em processos internos de promoção da administração pública, autárquica e federal.
Há também a previsão de parcerias com a iniciativa privada para que aqueles que somarem determinado número de horas em atividades voluntárias tenham descontos em compras de produtos e em eventos culturais. A iniciativa foi lançada na data em que se comemora o Dia Nacional do Voluntariado, com a presença do presidente Michel Temer, da primeira-dama, Marcela Temer, de ministros e de representantes de organizações da sociedade civil.
O presidente Temer disse que o trabalho voluntário representa um retorno ao fundamento da solidariedade, que é essencial para fazer o país avançar. Temer ressaltou que o programa está alinhado com uma das marcas de seu governo que é o diálogo. “Esse plano nacional é uma iniciativa que vem expandir uma das marcas do nosso governo, que é a abertura ao diálogo. Quanto mais dialogar, tanto melhor para o Brasil. Não se acredita aqui em trabalho solitário, mas em trabalho de equipe”, disse.
Temer disse que a “profissão de fé” empreendida pelo governo com o diálogo tem trazido resultados positivos em todas as áreas e a implementação da agenda do voluntariado não será exceção. A primeira-dama, Marcela Temer, disse que o caminho a percorrer para a transformação social é longo, mas com a atuação de sociedade civil e do governo é possível promover uma mudança profunda na sociedade.
O programa prevê também a criação da Plataforma Digital do Voluntariado para fazer a ligação entre o cidadão que quer encontrar atividades voluntárias e as instituições que precisam. No evento foi anunciada uma premiação anual para reconhecer empresas e cidadãos que desenvolvem atividades voluntárias de relevância social. O Viva Voluntário e o Prêmio Nacional do Voluntariado terão um conselho gestor com a participação de integrantes do governo e da sociedade civil (ABr).

Cartão de crédito: 51% desconhecem as novas regras

Fundação Procon-SP realizou pesquisa comportamental sobre cartão de crédito com a finalidade de verificar o que está ocorrendo com os consumidores após a entrada das novas regras estabelecidas pelo Banco Central, em vigor desde 3 de abril. A equipe de pesquisa constatou que dos entrevistados que possuem cartão de crédito, 51% desconhecem as novas regras do crédito rotativo. Os dados demonstram também que entre os que declaram conhecer as novas regras (49%), somente 34% dizem ter sido informados pela administradora do cartão.
O Procon-SP destaca que é papel destas empresas promover ampla divulgação dessas regras, permitindo que o consumidor possa exercer de forma consciente o seu papel nessa relação de consumo. Dos consumidores que têm cartão de crédito, 46% responderam que somente às vezes, ou nunca, conseguem compreender todas as informações presentes na fatura. A compreensão das informações é diretamente proporcional ao nível de escolaridade, quanto maior a escolaridade, melhor a compreensão. A pesquisa, realizada com 307 consumidores que buscaram os serviços da Fundação, aconteceu de 19 a 28 de junho por meio de questionários estruturados (Procon-SP).

Universíade: Brasil conquista medalha de ouro no futebol feminino

Seleção brasileira de futebol feminino conquista a medalha de ouro na Universíade. Na foto, jogo contra a Colômbia na estreia da competição.

Em um jogo duro contra o Japão, a seleção brasileira de futebol feminino conquistou ontem (28) a medalha de ouro na Universíade, com um gol aos sete minutos do segundo tempo da prorrogação. O jogo começou às 20h de Taipei (9h da manhã no horário de Brasília). A medalha foi o segundo ouro do Brasil e o décimo segundo pódio desde o início da competição. O gol veio da meio campista Diany, que cabeceou um escanteio batido pela zagueira Chaiane.
A jogadora que marcou o gol se emocionou ao lembrar que estava na Universíade de 2015, quando o Brasil foi eliminado nas quartas de final e sonhou com o momento em que conseguiria uma medalha na competição.
“Eu já estava ficando cansada, e eu falei para o técnico para me dar mais três minutos, porque Deus daria força aos cansados”, disse Diany, que contou lembrar da família e dos amigos: “Eu pensei em tudo o que a gente já passou no Brasil, porque no futebol feminino a gente luta para estar aqui. A gente estuda, trabalha e faz o que ama”.
O técnico da equipe brasileira, Maurício Moraes Salgado, destacou a qualidade da equipe japonesa e a força de vontade das brasileiras. “O jogo foi exatamente o que a gente sabia que ia ser, um jogo duro. O Japão é uma equipe muito intensa”, disse. “A gente sabia que seria uma guerra no bom sentido. Foi principalmente um jogo de vitória psicológica”, destacou (ABr).

Catalunha quer a separação da Espanha

Os partidos separatistas e independentistas da Catalunha, que possuem a maioria absoluta no Parlamento de Barcelona, apresentaram ontem (28) o projeto de ruptura da região com a Espanha. O texto prevê a criação de uma “República da Catalunha” caso o “sim” vença no referendo marcado para 1 de outubro. Mas o governo espanhol se opõe à consulta popular e vetou a votação.
O chefe de Governo da Espanha, Mariano Rajoy, definiu o referendo como “ilegal” e garantiu que impedirá a consulta “com todos os meios” que tiver. Ainda não se sabe também quando o Parlamento catalão votará o projeto de lei, chamado de “Lei de Transitoriedade Jurídica para Fundação da República”.
Ela regulará toda a parte jurídica do período transitório de independência, inclusive a criação de uma Constituição, caso os moradores da Catalunha aprovem a separação do território no referendo. Mesmo assim, o Parlamento de Madri deverá apresentar um recurso imediato contra o projeto e contra o referendo de outubro diante da Corte Constitucional Espanhola (ANSA).

Papa vai visitar Myanmar e Bangladesh

O Vaticano anunciou ontem (28) uma viagem do papa Francisco para Myanmar e Bangladesh em novembro. O líder católico visitará as cidades de Yangon, Nay Pyi Taw e Daca.
“Aceitando o convite dos chefes de Estado e dos bispos, Sua Santidade papa Francisco cumprirá uma viagem apostólica a Myanmar de 27 a 30 de novembro de 2017, visitando as cidades de Rangum e Nay Pyi Taw, e estará em Bangladesh de 30 de novembro a 2 de dezembro, visitando a cidade de Daca”, disse o diretor de imprensa da Santa Sé, Greg Burke. Será a primeira visita de um Papa a Myanmar.
Em Blangladesh, Francisco será o terceiro líder católico a pisar no país, atrás de Paulo VI, em 1970, e João Paulo II, em 1986. O anúncio da viagem vem apenas um dia após o Papa fazer um apelo e condenar a violência em Myanmar contra pessoas da etnia rohingya, as quais tentam fugir para Bangladesh devido a uma escalada de violência. Somente na semana passada, 89 pessoas morreram (ANSA).