Projetos culturais terão apoio de R$ 12 milhões do BNDES de agosto a dezembro

Todos os eventos devem realizar ações inclusivas voltadas para o público infantojuvenil de comunidades carentes.

Vinte e um projetos de todas as regiões do país, com início entre agosto e dezembro deste ano, vão receber até R$ 12 milhões de patrocínio do BNDES, incentivados pela Lei Rouanet

Do total, 43% dos projetos são referentes à área da música, 38% ao audiovisual e 19% à literatura. Uma das novidades é a exigência de que todos os eventos realizem ações inclusivas voltadas para o público infantojuvenil de comunidades carentes.
O setor de cultura continua sendo prioridade na instituição, que apoia festivais e mostras de cinema que tenham foco na produção audiovisual brasileira, eventos de música instrumental e erudita e festas e feiras literárias que fomentem o acesso às bibliotecas públicas brasileiras. Dos 21 projetos selecionados, alguns dos quais com realização em mais de um estado, três ocorrem no mês de agosto, quatro em setembro e quatro em outubro, sete em novembro e três em dezembro. As regiões Nordeste e Sudeste receberão o maior número de eventos: 10, cada, enquanto o Norte e o Centro-Oeste terão três projetos cada e a Região Sul, dois projetos.
Os projetos selecionados para agosto são o 45º Festival de Cinema de Gramado, o 8º Circuito Música Brasilis Instituto Musica Brasilis (RJ/DF/PE), e o 27º Festival Ibero-Americano de Cinema (Cine Ceará 2017). Para setembro, estão programados os eventos Lê pra mim? (SP/MA/AL), o 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (DF), o 15º Festival Internacional de Cinema Infantil -Fici 2017 (BA/SE/RN) e Mimo Festival 2017 (RJ/PE). Para outubro, a programação inclui a 41ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo (SP), o 7º Festival Música na Estrada (AM/PA/RR), a 7ª Festa Literária Internacional de Cachoeira - Flica 2017 (BA) e o Festival do Rio 2017 (RJ).
Em novembro, ocorrerão a 63ª Feira do Livro de Porto Alegre (RS), o 55° Festival Villa-Lobos (RJ), o 5º Festival Interacional de Música Clássica de João Pessoa (P B) , o Circuito Penedo de Cinema (AL), a 4ª Mostra de Cinema de Gostoso (RN), a Periferia Brasileira de Letras (RJ/DF/BA) e o 5° Festival de Música Erudita do Espírito Santo. Fechando o ano, estão previstos, em dezembro, o 3º Festival Internacional de Música Antiga de Diamantina (MG), Festival Afroreggae de Música Clássica (RJ) e 22º Festival de Música Instrumental da Bahia.

Brasil precisa aprender a valorizar a qualificação trazida pelos refugiados

O professor nigeriano Olawale Shakuru leciona inglês na ONG Abraço Cultural.

O pesquisador Luiz Felipe Magalhães, do Observatório das Metrópoles da PUC-SP e do Observatório das Migrações da Unicamp, avalia que país precisa considerar e valorizar a história anterior do refugiado que busca trabalho no país. “Sua qualificação, sua formação, sua cultura, tudo aquilo de bagagem que ele traz de lá para cá não é reconhecido. Ele é visto apenas no momento em que chega e, ao chegar, são destinados a ele os segmentos mais subalternizados do mercado de trabalho”, apontou.
Para alterar essa realidade, Magalhães acredita que são fundamentais campanhas de esclarecimento sobre a condição de refúgio. “A sociedade brasileira aprendeu a associar refugiados a fugitivos, às vezes, até como criminoso.”
Magalhães aponta que, ao considerar as dificuldades que refugiados encontram para a inserção no mercado de trabalho, é preciso observar as redes de relações que se estabelecem para cada fluxo de migração. No caso de refugiados sírios, por exemplo, é possível contar com o suporte de imigrantes que já se estabeleceram no país há mais tempo para conquistar uma vaga condizente com a formação.
O pesquisador acrescenta, no entanto, que essas dificuldades também decorrem de limites impostos aos estrangeiros pela lei brasileira. “No geral, há muita dificuldade de inserção dentro da qualificação profissional por conta de um resultado histórico das leis, tanto de refúgio, quando de migração, que dificultam muito a validação dos diplomas e certificado estrangeiro aqui no Brasil, não obstante o avanço que significa a Lei de Refúgio em relação à de migração”, avaliou (ABr).

BOLSA DE NEIL ARMSTRONG É VENDIDA POR US$1,8 MI

A bolsa usada pelo astronauta Neil Armstrong na primeira missão à Lua foi leiloada por US$ 1,8 milhão na noite de quinta-feira (20), informou a casa Sotheby’s de Nova York. O comprador fez o lance por telefone e pediu anonimato. O item tem a inscrição “Lunar Sample Return” (“Retorno de Amostra Lunar”), mede 30 centímetros por 20cm e foi usada na missão Apollo 11 em 1969 - a primeira da história a atingir o astro. Ele ainda contém poeira lunar.
Seu paradeiro, no entanto, ficou desconhecido por décadas. Ela desapareceu do Space Center e foi reencontrada em há alguns anos em uma garagem de um gerente de museu do Kansas. O gerente, identificado como Max Ary foi condenado pelo roubo da peça. Após três leilões do US Marshals Service sem compradores, a advogada Nancy Lee Carlson comprou a bolsa por US$ 995 em 2015. Ao enviar para a análise da Nasa, para saber se a peça era real, a agência não quis devolver a bolsa e tentou impedir o leilão na Justiça, mas sem sucesso (ANSA).

Injeção mensal contra HIV pode substituir tratamento diário

Uma injeção mensal de antirretroviral, em vez de um comprimido por dia, pode ser suficiente para os portadores do vírus da imunodeficiência humana (HIV) manterem a infecção sob controle. É o que indica um estudo divulgado hoje (24) na nona edição da Conferência de Investigação sobre o HIV, organizada pela Sociedade Internacional contra a Aids.
O trabalho, apresentado em Paris pelo cientista da Universidade da Carolina do Norte (EUA) Joseph Eron, sugere que os portadores em estado de supressão viral respondem bem às injeções, sejam as administradas a cada quatro semanas ou as tomadas a cada oito. Atualmente, os portadores do HIV devem tomar um comprimido por dia para que o vírus seja indetectável e não seja transmitido, ainda que não seja possível eliminá-lo completamente.
“Para alguns soropositivos, um tratamento injetável de longa duração pode ser mais cômodo e menos estigmatizante do que o atual, o que poderia aumentar a taxa de continuidade”, defendem os autores do teste, que já foi experimentado em centenas de pessoas. De acordo com o vice-presidente da conferência, Jean-François Delfraissy, a devida continuidade do tratamento é fundamental, já que quando interrompida pode provocar aumento da resistência do vírus aos medicamentos, o que é extremamente preocupante.
Segundo dados divulgados na última semana pelo Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (Unaids), 19,5 milhões das 36,7 milhões de pessoas que têm o vírus do HIV no mundo têm acesso ao tratamento (Agência EFE).

Papa faz apelo à moderação e ao diálogo entre palestinos e israelense

As tensões e violências em Jerusalém preocupam o papa Francisco.

O Papa Francisco fez um apelo para incentivar a moderação e o diálogo entre palestinos e israelenses em Jerusalém. O apelo líder da Igreja Católica ocorreu pouco mais de uma semana após o atentado na Esplanada das Mesquitas, ocorrido no dia 14, que deixou cinco mortos. Desde o ocorrido, uma onda de violência estourou na região.
“Acompanho com preocupação as graves tensões e violências desses últimos dias em Jerusalém. Sinto a necessidade de expressar um apelo à moderação e ao diálogo. Peço que se unam a mim nas orações para que o Senhor inspire todos para o propósito da reconciliação e da paz”, disse o papa no Vaticano, durante a tradicional celebração do Ângelus. A escalada de violência teve início após a morte de dois dois policiais israelenses na Cidade Velha de Jerusalém. Os agentes foram mortos a tiros por três árabe-israelenses abatidos logo em seguida. O governo de Israel afirmou que as armas utilizadas haviam sido escondidas na Esplanada e fechou o acesso ao local por dois dias.
Desde então, as autoridades de Israel aumentaram as medidas de vigilância e irritaram os palestinos que consideram a Esplanada um dos lugares santos de Jerusalém. Foram colocados detectores de metais na entrada e somente homens com mais de 50 anos tiveram o acesso permitido à Esplanada das Mesquitas para as tradicionais orações de sexta-feira. Nos últimos dois dias, quatro palestinos morreram em enfrentamentos com as forças de segurança em Jerusalém Leste e na Cisjordânia, enquanto três israelenses foram assassinados por um palestino durante um jantar (Agência EFE).

‘Pai’ dos supercarros, Ferrari F40 completa 30 anos

O carro foi um marco nos anos 1980.

Considerado por muitos o “pai” dos supercarros, o modelo F40 da Ferrari completou 30 anos na última sexta-feira (21). Sua produção efetiva começou em julho de 1988 e foi até 1992. Enzo Ferrari, fundador da marca, morreu no mês seguinte do início da fabricação, mas ele comentou durante o desenvolvimento do automóvel que “se Deus fosse uma máquina, certamente seria uma F40”. O carro foi um marco nos anos 1980, atingindo números surpreendentes para a época. A F40 era capaz de alcançar os 324 km/h, acelerar de 0 a 100 km/h em pouco mais de quatro segundos e percorrer um quilômetro em 21 segundos. A produção do veículo começou por ser limitada a 300 unidades, mas a demanda foi tanta que a Ferrari viu-se obrigada a aumentar a produção para pouco mais de 1300 carros (ANSA).