Acidente de trânsito é a principal causa da morte de jovens, diz OMS

Ciclista em meio ao trânsito de São Paulo.

A cada ano morrem 1,2 milhão de adolescentes dentre 10 e 19 anos por causas evitáveis, e mais de dois terços das mortes acontecem nos países em desenvolvimento, especialmente no continente africano e no sudeste asiático, segundo um relatório publicado ontem (16) pela Organização Mundial da Saúde (OMS)

Os acidentes de trânsito (115.302), infecções respiratórias (72.655), suicídios (67.149), doenças diarreicas (63.575) e afogamentos (57.125) foram as principais causas de morte entre os adolescentes em 2015, de acordo com a OMS.
Pelo menos 3 mil menores morreram por dia, ao longo do período analisado no relatório Acelerador da Ação Global a favor da Saúde dos Adolescentes: Guia para apoiar a implementação em cada país”. Os dados divulgados pela OMS apresentam diferenças consideráveis entre os adolescentes por sexo e faixa etária. Os acidentes de trânsito são a causa mais comum de morte entre adolescentes e também no caso dos homens, enquanto que o principal motivo de mortalidade feminina são as infecções respiratórias pulmonares.
Na maioria de ocasiões, os menores mortos nas estradas são usuários vulneráveis: pedestres, ciclistas ou motociclistas. Quase 88.590 em relação às vítimas do sexo feminino da mesma idade (26.712) morreram por ferimentos ocasionados por conta de acidentes na via pública. Já muitas das infecções respiratórias, que causaram a morte de 36.637 mulheres e 36.018 homens adolescentes, são provocadas pela inalação de ar contaminado em suas próprias casas, onde ainda cozinham com combustíveis sujos.
O suicídio e autoflagelo constituem a segunda causa de mortes entre as garotas de todo o mundo (32.194) e a quinta entre os rapazes (34.650). Na Europa é a primeira entre os menores, diz o estudo, que não fornece número por regiões. Além disso, os garotos adolescentes têm mais probabilidades de perder a vida em brigas e confrontos violentos (42.277) e afogamento (40.847), enquanto que as garotas falecem mais por causa de doenças diarreicas (32.194).
O estudo prova que - para as mulheres com idade entre 15 e 19 anos - a primeira causa de morte são as complicações no parto ou aborto, um problema que acaba com a vida de 28.886 das adolescentes a cada ano. As mortes de adolescentes, em sua maioria, poderiam ser prevenidas com a melhoria dos sistemas de saúde e na educação pública, além de campanhas de conscientização (Agência EFE).

Bancos liberaram R$ 22 bi para financiar compra de veículos

Presidente da Anef, Gilson Carvalho.

Os bancos de montadoras e as instituições independentes liberaram R$ 22 bilhões para financiar a compra de veículos no primeiro trimestre deste ano. Esse montante é 18,4% superior ao registrado no mesmo período de 2016. De acordo com os dados divulgados no boletim da ANEF (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras), o CDC (Crédito Direto ao Consumidor) foi responsável por 50% dos negócios fechados no primeiro trimestre deste ano, seguido pelo consórcio com 5% e pelo leasing por 1%. As compras à vista atingiram a marca de 44%.
Na avaliação do presidente da entidade, Gilson Carvalho, o consumidor ainda mantém sua cautela, mas a redução da taxa Selic o deixa mais confiante na hora de investir na compra de um bem com maior valor agregado, como um carro novo. “A confiança está voltando aos poucos. Aliado a isso, precisamos que as pessoas recuperem sua renda e voltem a ter crédito. Esses são os três pilares que impactam o setor”, completa.
No segmento dos veículos pesados, o Finame respondeu por 62% dos negócios. Na sequência vieram os financiamentos (16%), compras à vista (13%), consórcio (6%) e leasing (3%). “Com a entrada do novo Finame TJLP 2017, que inclui a nova regra que beneficia as empresas com faturamento até R$ 300 milhões, aliada à redução da taxa Selic, o mercado de caminhões e ônibus ganhou novo fôlego. Os primeiros resultados já são visíveis e esperamos uma aceleração para o próximo trimestre”, afirma o vice-presidente setorial de veículos comerciais da Anef, Bernd Barth (Anef).

Presidente da CNM reitera apoio à reforma da Previdência

O presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski, disse ontem (16) que, apesar das “diferenças ideológicas e partidárias”, a entidade apoia a reforma previdenciária. Em discurso na abertura da 20ª Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, Ziulkoski criticou a criação de leis que, segundo ele, aumentam as atribuições dos municípios sem disponibilizar recursos para sua execução.
“O Congresso há décadas cria atribuições para os municípios, como as da destinação do lixo”, disse ele, ao informar que são necessários R$ 600 bilhões em recursos apenas para dar destinação ao lixo e para modernizar os serviços de água e esgoto nos municípios brasileiros. “Essa questão de creches, então, é um horror por conta do custeio. São [necessários] R$ 700 por criança. De onde retiramos isso? Como vamos enfrentar essa realidade”, acrescentou (ABr).

Testes com satélite brasileiro devem durar 45 dias

O equipamento já está na órbita geoestacionária.

Os testes para a verificação do funcionamento do satélite brasileiro para comunicação e defesa começaram no último sábado (13), quando o equipamento chegou à órbita geoestacionária. O processo de verificação dos sistemas do satélite devem levar cerca de 45 dias. De acordo com a Telebras, serão feitas verificações do funcionamento de todos os sistemas, medidas de carga útil e a constatação de que o satélite está totalmente apto para entrar em operação comercial.
Os dados emitidos e recebidos pelo satélite serão acompanhados pelo Comando de Operações Aeroespaciais (Comae), em Brasília, e pela Estação de Rádio da Marinha, no Rio de Janeiro, que serão responsáveis por controlar o satélite após o processo de calibragem, previsto para acabar em junho. A previsão é que no dia 1º de julho a Telebras comece a fazer os primeiros testes para medir a potência do satélite para a transmissão de dados em todas as regiões do país.
Parte da capacidade do satélite será alugada para empresas privadas para a oferta de banda larga, especialmente em regiões remotas, e a Telebras vai ficar com a capacidade necessária para oferecer serviços de saúde, educação e serviços ao cidadão. O satélite será utilizado para comunicações estratégicas do governo e para ampliar a oferta de banda larga no país. O projeto é uma parceria entre os ministérios da Defesa e da Ciência e Tecnologia, e envolve R$ 2,7 bilhões (ABr).

Síria nega acusação de execucão em massa em Damasco

Presidene da Síria, Bashar al-Assad.

O governo de Bashar al-Assad negou “categoricamente” ontem (16) as declarações dos Estados Unidos, que acusaram o regime sírio de enforcar e queimar milhares de corpos de prisioneiros. “Estas acusações são infundadas, são apenas o produto da imaginação desta administração e de seus agentes”, declarou o ministério da Síria das Relações Exteriores, segundo informou a agência de notícias estatal Sana.
De acordo com o Ministério, “as sucessivas administrações norte-americanas fabricaram repetidamente mentiras e acusações para justificar suas políticas agressivas e intervencionistas em outros países soberanos”.
Na última segunda-feira (15), o Departamento de Estado norte-americano publicou imagens de satélite que, segundo eles, indicam que a Síria construiu um crematório na prisão de Saydnaya. Segundo a acusação do governo do presidente, Donald Trump, as autoridades do governo de Assad enforcam cerca de 50 prisioneiros por dia e depois queimam os corpos para esconder as evidências. “No início de 2013, o regime sírio modificou um edíficio no interior do complexo de Saydnaya para permitir a construção de um crematório”, declarou Stuart Jones, subsecretário interino do Departamento de Estado para o Oriente Médio. Para ele, o governo de Assad “caiu em um novo nível de desaprovação com apoio da Rússia e do Irã”, acrescentou (ANSA/COM ANSA).

 
 
 
 
 
Mais Lidas