Brasil perdeu mais de 430 mil empregos na construção entre 2015 e 2016

A crise econômica que atingiu o país nos últimos anos levou a indústria da construção a perder 432 mil empregos formais entre 2015 e 2016, uma retração de 19% que se deu em todos os segmentos, principalmente na infraestrutura, onde o recuo foi de 15%                                                                         

 Brasil 1 temproario

As empresas ativas da indústria da construção com mais de uma pessoa ocupada totalizaram 127 mil, ocupando cerca de dois milhões de pessoas em 2016.

Nielmar de Oliveira/Agência Brasil

Os dados são do IBGE, que divulgou ontem (7), no Rio de Janeiro, a Pesquisa Anual da Indústria da Construção 2016 (Paic). O estudo indica que, naquele ano, a atividade da construção somou R$ 318,7 bilhões em incorporações, obras e serviços da construção.

O valor das obras e serviços da construção atingiu R$ 299,1 bilhões, sendo que 31,5% provenientes de obras contratadas por entidades públicas (R$ 94,1 bilhões) e o restante por pessoas físicas e/ou entidades privadas. As empresas ativas da indústria da construção com mais de uma pessoa ocupada totalizaram 127 mil, ocupando cerca de dois milhões de pessoas em 2016. O gasto com salários, retiradas e outras remunerações atingiu R$ 58,5 bilhões e o salário médio mensal pago na atividade foi de R$ 2.235,2.

Para o gerente da pesquisa, José Carlos Guabyraba, em 2016, “vários setores reduziram muito as suas atividades e o que mais sofreu foi o de infraestrutura com menor aporte e redução drástica de investimentos, principalmente do estado, que parou ou diminuiu os investimentos principalmente nas usinas, rodovias e ferrovias, o que vinha sendo mantido pelos governos anteriores a 2016”.

“Foi um fenômeno que atingiu todos os níveis de empresas com cinco ou mais empregados ou com menos de cinco, com a média de redução entre elas registrando uma recuo de 15%”. Ainda assim, em 2016, a atividade de obras de infraestrutura foi a que anotou a maior média de pessoal ocupado por empresa (45) e o maior salário médio (3,3 salários mínimos mensais), ambos acima da média do total da indústria da construção.

Brasil 2 temproarioO IBGE destaca que, entre os produtos e/ou serviços oferecidos pelas empresas com 30 ou mais pessoas ocupadas, as obras residenciais foram as que mais ganharam participação no ranking, passando da quinta posição (15,1%) em 2007 para a primeira (26,7%), em 2016. A construção de rodovias, ferrovias, obras urbanas e obras de arte especiais, que representava a primeira colocação em 2007 (21,4%), caiu para a segunda posição 18,4% em 2016. Importante fonte de dados setoriais para compreender o segmento empresarial da atividade da construção no país, a Paic é realizada pelo IBGE desde 1990. As informações são indispensáveis para a análise e o planejamento econômico de empresas do setor privado e dos diferentes níveis de governo.

Obras de infraestrutura - Praticamente no auge da crise econômica do país, refletida na queda do PIB, foi o setor de infraestrutura, altamente dependente de investimentos públicos, o que mais sofreu com a falta de recursos e a suspensão de investimentos importantes para o setor. Os dados da pesquisa indicam que, entre 2007 e 2016, houve uma queda da participação das obras de infraestrutura, que passaram de 45,6% em 2007 para 29,5% no valor adicionado desse setor, enquanto crescia a participação da construção de edifícios (de 39,7% para 45,9%); e dos serviços especializados (de 19% para 24,6%).

“Pode-se observar, por exemplo, que mesmo em relação às usinas do Norte do país [vitais para o abastecimento de energia] a construção das unidades caiu porque houve redução de investimentos, então, repito, a infraestrutura foi a que mais sentiu o baque”, disse o gerente do levantamento. “Na realidade não houve o fim das obras no Norte do país, conclui-se só uma: Belo Monte. E as outras [tiveram] seus investimentos diminuídos. Então, houve uma desaceleração das obras em decorrência da crise econômica, que é mundial, mas que afetou mais o Brasil, que tem a sua economia muito atrelada ao exterior”, explicou.

Gastos com pessoal - Outra constatação da pesquisa é a que indica que o principal item de custos e despesas da atividade de construção em 2007, assim como já era em 2016, foi o referente aos gastos de pessoal, que passaram de 29,1% para 32,4% dos custos do setor, entre um período e outro, uma vez que o consumo de materiais de construção teve queda de 26% para 22,6%. Mesmo sendo o segmento que, em termos reais, foi o principal item de custos e despesas do setor de construção, a massa salarial paga ao pessoal empregado registrou queda de 21% entre 2007 e 2016.

“E isso se deu em razão do desemprego, que impactou na redução da massa salarial paga ao total das pessoas empregadas”, disse Guabyraba. O consumo de materiais de construção, que chegou a 26% no início do período, caiu para 22,6% em 2016. Por sua vez, as obras e/ou serviços contratados a terceiros também figuraram entre os principais custos e despesas da atividade de construção, apesar da diminuição na parcela do total, passando de 10,5% em 2007 para 9,5%, em 2016.

Entre os produtos e/ou serviços oferecidos pelas empresas com 30 ou mais pessoas ocupadas, as obras residenciais foram as que mais ganharam participação no ranking, passando da quinta posição (15,1%) em 2007 para a primeira (26,7%), em 2016. A construção de rodovias, ferrovias, obras urbanas e obras de arte especiais, que representavam a primeira colocação em 2007 (21,4%), caiu para a segunda posição (18,4%) em 2016.

Estrutura da indústria por região - Quando analisada regionalmente, os números mostram que o Sudeste, apesar de ter perdido participação para as demais regiões, permaneceu como o principal representante, tanto em 2007 como em 2016, em relação ao número de pessoas ocupadas e ao valor das incorporações, obras e/ou serviços da construção, dentre as grandes regiões do Brasil. O Sudeste participou com 52,4% no total de pessoal ocupado em 2007, diminuindo para 48% em 2016. Em relação ao valor das incorporações, obras e/ou serviços da construção, a mesma região detinha 56,2% no início do período analisado, passando para 51,1% no final.

Foi a Região Sul, no entanto, que apresentou o maior crescimento da representatividade entre 2007 e 2016, no número do pessoal ocupado, ganhando 3,3 pontos percentuais. Quanto ao valor das incorporações, obras e serviços da construção a região cresceu 3,1 pontos percentuais.

Já a Região Nordeste teve aumento de participação de 2007 para 2016, tanto no pessoal ocupado como no valor das incorporações, obras e/ ou serviços da construção, ao passar de 19,5% para 21,4% e de 15,7% para 19,2%, respectivamente. As Regiões Centro-Oeste e Norte permaneceram com a quarta e quinta representação em ambas as variáveis analisadas, tanto em 2007 quanto em 2017.

Mais artigos...

  1. Desmatamento e ocupação desordenada ameaçam conservação do Cerrado
  2. Poluição sonora prejudica a saúde e preocupa especialistas
  3. Senado deve aprovar incentivo para combater cartéis
  4. Cade propõe medidas para reduzir preços dos combustíveis
  5. O Brasil ocupa o oitavo lugar no ranking de número de tabagistas no mundo
  6. Entenda a composição do preço da gasolina e do diesel no Brasil
  7. Guimarães Rosa é recriado em prosas, pinturas e bordados
  8. Verdades e mentiras sobre o Cadastro Positivo
  9. Estudo da USP mostra como o álcool em dose moderada protege o coração
  10. Brasil pretende atrair mão de obra estrangeira qualificada para o país
  11. Bossa nova completa 60 anos: conheça a história do gênero musical
  12. Saí da Igreja do Rosário, andei por São Paulo e tropecei na história
  13. País busca soluções para aumento de judicialização na saúde
  14. Divisão de tarefas domésticas ainda é desigual no Brasil
  15. Cuidar da saúde é principal motivação dos que se planejam para aposentadoria
  16. Economia brasileira ainda não sentiu efeitos da Copa 2018
  17. Senado e Câmara aprovaram Lei Áurea em apenas 5 dias
  18. Dimension Data e Cisco expandem tecnologia anticaça na África
  19. Proteção de dados ganha importância na política e economia no Brasil
  20. Mais de 80 mil brasileiros migraram para Portugal em busca de segurança
  21. A cinco meses das eleições, Câmara e Senado trabalham em ritmo lento
  22. Jornais noticiaram Esquadrão da Morte de acordo com clima político
  23. Famílias sonham com clínica-escola gratuita para autistas
  24. Senado avança na definição de código que defende contribuintes
  25. Livro explica o poder e a consolidação dos Estados Unidos
  26. Pediatras lançam campanha para elucidar mitos sobre saúde infantil
  27. Mais de 40% dos brasileiros até 14 anos vivem em situação de pobreza
  28. Um milhão de indígenas brasileiros buscam alternativas para sobreviver
  29. Cuba elege 1º presidente após 60 anos de governo dos irmãos Castro
  30. Oito em cada dez brasileiros não se preparam para aposentadoria
  31. Vida de Adoniran Barbosa é tema de documentário
  32. Proximidade entre animais domésticos e silvestres traz riscos de doenças a humanos
  33. IBGE: ricos receberam 36 vezes acima do que ganharam os pobres em 2017
  34. Pesquisa revela que 58% dos brasileiros não se dedicam às próprias finanças
  35. Os mano e as mina na mira dos homi
  36. Maior virtuose do bandolim é lembrado no seu centenário
  37. Ferramenta auxilia na preparação tática de goleiros
  38. "Eu tenho um sonho!" - morte de Martin Luther King completou 50 anos e ex-assessor relembra lutas
  39. Multiculturalismo no futebol deve se expandir em seleções europeias
  40. Dia da Constituição comemorou avanços na cidadania desde a independência do Brasil
  41. Três anos depois de aprovada, Lei do Feminicídio tem avanços e desafios
  42. BC: Selic deve voltar a ter redução em maio e cortes se encerram em junho
  43. Em busca de um novo modelo de gestão para o uso da água
  44. Lei poderá dar segurança ao Farmácia Popular
  45. Acesso dos pobres à água só é possível com controle social, dizem especialistas
  46. Por que as mulheres “desapareceram” dos cursos de computação?
  47. Interiorização de venezuelanos para São Paulo e Manaus começa em abril
  48. Relatório da Unesco sobre água propõe soluções baseadas na natureza
  49. Veja quem luta contra quem no conflito na Síria
  50. Surto de febre amarela desafia vigilância de epidemias
  51. São Paulo, uma metrópole para poucos
  52. Mesmo com decisão do TST, governo não descarta privatização dos Correios
  53. Documento único estará disponível em julho
  54. Mulheres são donas de 31% de empresas nos Estados Unidos
  55. IBGE: mulheres ganham menos que homens mesmo sendo maioria com ensino superior
  56. Cadastro Positivo: Entenda o que é e quais são os reais benefícios ao consumidor
  57. CNI recomenda desburocratização, educação e pesquisa para indústria crescer
  58. Seu próximo negócio poderá ser de outro planeta
  59. Soluções sertanejas ajudam a vencer a seca no semiárido nordestino
  60. Pesquisador destaca papel da irrigação na sustentabilidade ambiental
  61. Laser infravermelho ajuda a combater gordura no fígado
  62. Leis não alteraram perfil dos caminhoneiros no Brasil, mostra estudo
  63. Técnicas de redução de ansiedade ajudam a acertar pênaltis
  64. Cremes dentais não resolvem sozinhos erosão dental e hipersensibilidade dos dentes
  65. Pesquisa diz que, de 69 milhões de casas, só 2,8% não têm TV no Brasil
  66. Hábitos alimentares deram nova identidade a japoneses na Amazônia
  67. Vitória antitabagista
  68. Desmatamento vai aquecer clima do planeta mais que o estimado
  69. Medida Provisória que altera reforma trabalhista ainda não começou a tramitar
  70. De Picasso a Chagall – Conheça o Carnaval retratado na arte
  71. Portela lembra na avenida os imigrantes judeus que se instalaram no Recife
  72. Beija-Flor fecha grupo especial com desfile sobre monstros e seus criadores
  73. União da Ilha desfila os sabores da culinária brasileira
  74. Na Marquês de Sapucaí, Imperatriz conta enredo dos 200 anos do Museu Nacional
  75. Haitianos são maioria entre os imigrantes no mercado formal brasileiro
  76. 60% das lesões no futebol atingem as coxas e joelhos
  77. Mídia representa pessoas em situação de rua de forma negativa
  78. Rap e jazz facilitam formação cultural e engajamento na escola
  79. Nova lei dá esperança a quem aguarda adoção
  80. Conheça 10 receitas 'italianas' que só existem no Brasil
  81. Brasileiros beneficiados pelo Daca vivem incerteza nos Estados Unidos
  82. Aumento de bilionários em 2017 poderia acabar com a extrema pobreza por 7 vezes
  83. Confira dez perguntas e curiosidades sobre a febre amarela
  84. Cai percepção de piora da economia entre comerciantes
  85. O escritor portenho Jorge Luis Borges continua dando o que falar
  86. Hepatite A: saiba como se pega o vírus, quais são os sintomas e tratamentos
  87. Queda da inflação beneficiou mais a classe de renda baixa, diz Ipea
  88. Psicanálise também tem lugar para pessoas em vulnerabilidade social
  89. Pesquisa identifica populações mais vulneráveis a transtornos mentais graves
  90. Promoções impulsionam comércio e vendas no varejo cresceram 0,7% em novembro
  91. Etanol brasileiro pode substituir 13,7% do petróleo consumido no mundo
  92. Eleições e Copa do Mundo devem afetar pauta de votações no Congresso
  93. Livro em tupi moderno busca fortalecer o idioma na Amazônia
  94. Retrospectiva/2017: Fim da recessão, queda de juros e da inflação marcaram a economia
  95. Retrospectiva/2017: O ano dos ataques cibernéticos
  96. Retrospectiva/2017: O ano em que o Brasil mostrou que se importa com a Amazônia
  97. Lado brasileiro de Itaipu também poderá ser reserva de biosfera da Unesco
  98. Simplificar para melhorar (e muito): a urgente Reforma Tributária
  99. Fake news e controle na internet são desafios para as eleições de 2018
  100. Condições de vida são mais baixas em áreas longe dos centros