Contato: (11) 3043-4171

Oito em cada dez idosos têm percepção positiva da terceira idade

O aumento da população idosa, que deve triplicar nas próximas quatro décadas no país, impõe uma série de desafios para a sociedade. Para entender como os idosos enxergam essa fase da vida, a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) realizaram uma pesquisa, em todas as capitais, com a população acima dos 60 anos

terceira-idade aaatemproario

Foto: Divulgação

 

O levantamento revela que em cada dez entrevistados, oito (82%) encaram a terceira idade de forma positiva e, atribuem, em média, nota oito para o grau de felicidade com o atual momento. Os sentimentos positivos que os entrevistados mais vivenciam nesse estágio de vida são tranquilidade (36%), felicidade (30%), disposição para realizar atividades do dia a dia (22%), independência (20%) e produtividade para manter-se ativos (20%). Há ainda 18% de idosos que se consideram saudáveis e 12% que possuem planos para o futuro.

A pesquisa demonstra que, ao contrário de décadas atrás, pertencer à terceira idade hoje em dia não significa, necessariamente, sentir-se velho. De modo geral, 75% dos idosos atribuem à essa etapa da vida características positivas como ter mais sabedoria (40%), orgulho das próprias realizações (37%) e sensação de dever cumprido (35%). Embora 42% dos entrevistados não tenham respondido o quanto esperam viver, a expectativa entre os que responderam é de 90 anos, em média.

Mesmo que a terceira idade seja vista de maneira positiva para a maioria dos idosos, 56% dos entrevistados enxergam algum atributo negativo atrelado à essa fase da vida, sobretudo pela perda da saúde (29%), não encontrar oportunidades no mercado de trabalho (15%), sentir-se desrespeitado (14%) e depender de outras pessoas (14%). “Hoje, a população acima de 60 anos está mais ativa, gosta de manter um bom convívio social e de estar bem informada, além de ter uma preocupação maior com a aparência e até fazer planos para o futuro, porque ainda espera viver muito mais”, avalia a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.
Para maioria, retardar efeitos do envelhecimento não é prioridade
Até que ponto o envelhecimento chega a ser uma preocupação? A pesquisa indica que 34% têm se sentido mais vaidosos — percentual que sobre para 40% na população entre 60 a 69 anos — e boa parte procura se cuidar com frequência para viver mais, seja por meio medicamentos para melhorar a saúde (71%) ou por tratamentos e atividades físicas (37%). O avanço do tempo é visto com naturalidade por muitos, sem que haja uma obsessão por aparentar uma idade que não condiz com a realidade. Prova disso é que 58% não se sentem incomodados ao perceber os efeitos do envelhecimento.

e0ddd2b260f211f0d89ae270a53e5c42 temproario

Foto: Divulgação

 

Além disso, 81% mostraram-se pouco dispostos a gastar tudo o que têm em troca de uma aparência mais jovem e 80% disseram não fazer qualquer tipo de tratamento para retardar os efeitos do envelhecimento. Ainda de acordo com o estudo, 61% afirmam sentir-se jovens para aproveitar a vida, enquanto 38% reconhecem já ter sofrido algum tipo de discriminação por não serem mais tão novos.

Também há uma nítida preocupação com a autoestima e experiências que preencham o tempo de maneira gratificante. Indagados sobre o que fazem para se sentir bem, 44% dos idosos buscam se alimentar de forma saudável, 37% tingem o cabelo, 36% procuram visitar regularmente o médico e 31% controlam o peso. Em contrapartida, 17% garantem não fazer nada a esse respeito. E ao contrário do que se imagina, a terceira idade não impede de pensar em fazer planos para o futuro.

Dentre os desejos citados pelos entrevistados para os próximos dois anos, destacam-se a possiblidade de aproveitar a vida com familiares e amigos (32%), viajar pelo Brasil (21%), pagar dívidas pendentes (14%), comprar ou reformar a casa (13%) e viajar pelo mundo (11%). Sobre os medos em relação ao que pode acontecer, 33% mencionam a chance de ter uma saúde física deficiente, 32% temem ficar doentes a ponto de depender de outras pessoas e 31% citam a perda da lucidez.
68% dos idosos acessam a internet; seis em cada dez têm smartphone
Aprender novas habilidades, estimular a capacidade cognitiva e cultivar a convivência social são essenciais para manter-se ativo na terceira idade. E a tecnologia vem contribuindo quanto às formas de se relacionar com as pessoas e com o mundo. Dados da pesquisa mostram que 68% dos idosos acessam a internet, dos quais 47% costumam ficar conectados todos os dias, com uma média de acesso de seis dias por semana, e 63% possuem smartphone.

Dentre o público da terceira idade que utiliza a internet, 77% acessam por smartphone, 40% pelo computador, 30% por meio do notebook e 14% pelo tablet. Segundo os entrevistados, os principais motivos para navegar na internet são manter o contato com conhecidos (68%), ficar informado sobre os principais assuntos que acontecem no mundo (47%), buscar informações sobre produtos e serviços (44%), fazer transações bancárias (28%), não ficar ultrapassado (21%) e fazer compras (21%).

51437440 l temproario

Foto: Divulgação

 

Quando se avalia os itens mais adquiridos pelos idosos que usam a internet, destaque para eletroeletrônicos (60%), eletrodomésticos (56%), viagens (43%), livros (33%), móveis (30%), roupas (30%) e remédios (28%). Apesar do hábito de fazer compras virtuais, oito em cada dez (80%) que utilizam a internet preocupam-se com fraudes, como o roubo de informações de cartões e documentos (80%). Além disso, 80% temem pela segurança e privacidade das informações pessoais durante a compra online via dispositivos móveis (CNDL/SPC Brasil).

52% encontram dificuldades em achar produtos para a terceira idade

Dados da pesquisa também revelam o expressivo potencial de consumo ainda inexplorado pelo mercado em relação a esta parcela de brasileiros. Mais da metade dos entrevistados (52%) considera difícil encontrar algum produto específico para a terceira idade, principalmente alimentos próprios para a faixa etária (17%), locais para sair que tenham público da terceira idade, como bares, restaurantes e casas noturnas (16%), aparelhos celulares com letras e teclados maiores (15%) e roupas (12%). Outros 37% concordam que há poucos produtos voltados para o público da terceira idade.

Já 45% mencionam não comprar alguns produtos ou serviços que sentem vontade por encontrar dificuldade em contratar crédito que facilite essa aquisição. Em relação aos locais que mais costumam fazer compras, 48% citaram ir com frequência às farmácias e drogarias, 36% em lojas de rua ou de bairro e 36% em lojas de departamento. Quanto aos aspectos a serem melhorados nos estabelecimentos, os entrevistados destacaram bom atendimento (48%), rótulos de produtos fáceis de ler (33%), bancos para descanso (32%), boa iluminação (27%) e embalagens mais fáceis de abrir (26%).

Para a economista do SPC Brasil, o mercado ainda tem muito a oferecer ao público da terceira idade. “Os idosos podem ser consumidores ativos e exigentes, como qualquer pessoa. Querem investir em qualidade de vida, sabem de suas necessidades e prioridades, mas nem sempre encontram produtos e serviços que atendam a estas expectativas. As empresas têm uma oportunidade de ouro, sobretudo nas próximas décadas, em termos financeiros, já que a população idosa ainda irá crescer muito”, observa (CNDL/SPC Brasil).

Mais artigos...

  1. Senado analisa aposentadoria especial para condutores de ambulância
  2. Metade das cidades do país ainda não dá voz aos idosos
  3. Prédio do Museu Nacional já preocupava Senado do Império
  4. Referência da história contemporânea, Constituição completa 30 anos
  5. Desemprego pauta candidatos e será desafio ao próximo presidente
  6. Em 15 anos, Estatuto do Idoso deu visibilidade ao envelhecimento
  7. 30 anos da Constituição: Principal símbolo do processo de redemocratização nacional
  8. Rebanho de bovinos e produção de leite caem, diz pesquisa do IBGE
  9. Cresce preocupação com desperdício de alimentos em todo o mundo
  10. Empresários brasileiros apostam em alimentos e bebidas saudáveis
  11. Secretário admite que pode fechar o ano sem elucidar caso Marielle
  12. Futuro presidente terá de enfrentar financiamento do SUS
  13. Apesar de aumento, menos de 40% das cidades têm política de saneamento
  14. Metade das mulheres férteis em SP usaram pílula do dia seguinte
  15. Animais criados livres no Pampa fornecem carne mais saudável
  16. Primeiro transhomem a ser operado no Brasil, João Nery prepara livro
  17. Avança o Indicador de inadimplência do consumidor; país tem 62,9 milhões de negativados
  18. Filtro colorido aumenta velocidade de leitura de crianças com dislexia
  19. Manual ensina a cuidar da saúde bucal de crianças com autismo
  20. Iniciativas do Judiciário combatem e reparam violência contra a mulher
  21. Epidemia de gripe espanhola no Brasil mata presidente, faz escolas aprovarem todos os alunos e leva à criação da caipirinha
  22. Reforma tornou ensino profissional obrigatório em 1971
  23. Museu do Ipiranga questiona os sentidos da independência
  24. Governo vai liberar recursos emergenciais para o Museu Nacional no Rio
  25. Alunos deixam ensino fundamental com desempenho pior do que entraram
  26. Câmara discute propostas polêmicas sobre orgânicos e agrotóxicos
  27. Especialistas apontam epidemia de cesarianas no Brasil
  28. Foco de instabilidade, impacto migratório é desafio em Pacaraima
  29. Há 55 anos, Senado ajudou a derrubar parlamentarismo
  30. Especialistas debatem soluções tecnológicas para ajudar o agronegócio
  31. Denúncias de feminicídio e tentativas de assassinato chegam a 10 mil
  32. Merenda escolar é vigiada no país por 80 mil “detetives”
  33. Dos 27,4 mil registros de candidaturas, 8,4 mil são de mulheres
  34. Jogadores contam histórias do preconceito enfrentado na Europa_2
  35. Subutilização da força de trabalho atinge 27,6 milhões no Brasil
  36. Ofensiva contra o lixo: país se engaja em debate sobre a coleta seletiva
  37. Seis em cada dez crianças no Brasil vivem na pobreza, diz Unicef
  38. Manifestações afros são incorporadas à cultura sem valorização dos negros
  39. Ruy Barbosa desafiou elite e fez 1a campanha eleitoral moderna
  40. Sarampo: especialista alerta sobre a importância da vacinação
  41. Casos de suicídio motivam debate sobre saúde mental nas universidades
  42. Mortes de presos aumentam 10 vezes em quase vinte anos no Rio
  43. Petróleo, combustíveis e Refis reforçam receitas da União este ano
  44. Mulheres que fizeram aborto relatam momentos de medo e desespero
  45. Supremo Tribunal Federal debate hoje a descriminalização do aborto
  46. 44% dos empresários do varejo e de serviços estão otimistas com economia para o segundo semestre
  47. Ecossistemas tropicais abrigam mais de três quartos das espécies de plantas e animais
  48. Metade dos docentes no país não recomenda a própria profissão
  49. Projeto cria regras para proteger dados pessoais
  50. Censo mostra aumento da área destinada à agricultura no país
  51. População brasileira deve chegar a 233,2 milhões em 2047, diz IBGE
  52. Construtoras acreditam em multa maior por distrato; Procons condenam
  53. Museu Paulista e Sesc Ipiranga apresentam “Papéis Efêmeros”
  54. Radiografia do ativismo indica revitalização do papel político das cidades
  55. Canecão foi referência para música brasileira e revelou grandes nomes
  56. Saúde alerta que as baixas coberturas vacinais acendem a luz vermelha
  57. Em minoria, mulheres buscam liderar negócios de inovação e tecnologia
  58. Lei de proteção de dados vai mudar cotidiano de cidadãos e empresas
  59. Estudo destaca papel central da música nos ritos de incorporação da Umbanda
  60. Cientistas vão treinar robôs para identificação automática de plantas
  61. Combate a Lampião quase entrou na Constituição de 1934
  62. Estudo aponta 30 profissões que estão surgindo com a indústria 4.0
  63. Na era Trump, imigrantes buscam espaço na política dos Estados Unidos
  64. Acompanhar tramitação de lei ainda é desafio
  65. O maravilhoso universo das plantas e a força dos nutrientes
  66. Junho deixou sementes de participação popular
  67. Número de brasileiros em áreas de risco passa de 8 milhões, diz IBGE
  68. Vida verde: benefícios do vegetarianismo e veganismo à saúde atraem cada vez mais brasileiros
  69. Uso de energia solar no campo cresce com usinas flutuantes
  70. Vinho é a bebida alcoólica preferida dos brasileiros na melhor idade, aponta pesquisa
  71. Músicos amadores criam grupos para reviver antigos sambas esquecidos
  72. Projetos buscam evitar tragédias como o desabamento de edifício em São Paulo
  73. Quilombo a 50 km de Brasília luta para manter território e identidade
  74. Lei Seca soma dados positivos após 10 anos, mas levanta questões
  75. Junho aumenta riscos de acidente com fogos e balões
  76. Dom Pedro I criou Supremo Tribunal com poderes esvaziados
  77. "Sem solução, quem matou terá carta branca", diz pai de Marielle
  78. Livro sobre intelectuais negros põe em xeque ideia de democracia racial no país
  79. Carro elétrico ainda espera incentivos para crescer no Brasil
  80. Cora Coralina é inspiração para artesãs e doceiras na Cidade de Goiás
  81. Ascensão e queda de José Bonifácio, o 'Patriarca da Independência'
  82. Brasil perdeu mais de 430 mil empregos na construção entre 2015 e 2016
  83. Desmatamento e ocupação desordenada ameaçam conservação do Cerrado
  84. Poluição sonora prejudica a saúde e preocupa especialistas
  85. Senado deve aprovar incentivo para combater cartéis
  86. Cade propõe medidas para reduzir preços dos combustíveis
  87. O Brasil ocupa o oitavo lugar no ranking de número de tabagistas no mundo
  88. Entenda a composição do preço da gasolina e do diesel no Brasil
  89. Guimarães Rosa é recriado em prosas, pinturas e bordados
  90. Verdades e mentiras sobre o Cadastro Positivo
  91. Estudo da USP mostra como o álcool em dose moderada protege o coração
  92. Brasil pretende atrair mão de obra estrangeira qualificada para o país
  93. Bossa nova completa 60 anos: conheça a história do gênero musical
  94. Saí da Igreja do Rosário, andei por São Paulo e tropecei na história
  95. País busca soluções para aumento de judicialização na saúde
  96. Divisão de tarefas domésticas ainda é desigual no Brasil
  97. Cuidar da saúde é principal motivação dos que se planejam para aposentadoria
  98. Economia brasileira ainda não sentiu efeitos da Copa 2018
  99. Senado e Câmara aprovaram Lei Áurea em apenas 5 dias
  100. Dimension Data e Cisco expandem tecnologia anticaça na África

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171