Conheça as regras para adotar uma criança no Brasil

Aguardando no corredor frio, sentado num banco de cimento, Jefferson Seidler, de 42 anos, sentia as mãos suadas de ansiedade. Eram seus filhos, esperados por tanto tempo, que estavam chegando. A voz embargou ao avisar a esposa, Silvana Kronemberger, de 41 anos: “Acho que são eles vindo ali”. Semanas atrás, uma ligação dela quase o fez cair da cadeira. “Jefferson, está sentado? Então senta. São três! Isso mesmo: trigêmeos. E aí, vamos?”, indagava ela com um sentimento misto de alegria e tensão. Foram quatro anos de gestação e uma proposta bem maior do que o registrado no Cadastro Nacional de Adoção (queriam uma criança, com menos de três anos).

Arquivo pessoal

Os trigêmeos Caio, Camila e Carla foram adotados com dois anos e meio pelo casal Jeferson Seidler e Silvana Kronemberger

Adriana Franzin/ABr

O menino veio chorando e simplesmente se jogou nos braços da futura mãe. Ele tinha febre. Uma das meninas se sentou no outro extremo do banco e encarou os dois com expressão de raiva. A terceira, sorridente, se sentou no chão e começou a brincar distraída com algo caído. Os três tinham dois anos e meio na época. “Saímos desse primeiro encontro como se tivéssemos sido atropelados. Conversamos e bolamos algumas estratégias. Pedimos uma sala reservada, sem pessoas passando todo tempo. Não levaríamos brinquedo ou doces, pois as crianças deveriam desejar estar conosco e não com o que poderíamos oferecer. Na segunda visita, meu filho de longe nos avistou, me reconheceu, sorriu e correu pra junto de nós como quem diz ´Vocês? Não acredito que voltaram!'” lembra Silvana.

A mãe, que até hoje guarda os sapatinhos que as meninas usavam naquele encontro (o menino foi descalço), ainda lembra da angústia que sentiu no período que começou com aquele dia e só terminou um mês depois, quando Caio, Camila e Carla, hoje com 6 anos, finalmente foram para casa da família.

Neste 25 de maio, Dia Nacional da Adoção, 7.493 crianças no Brasil estão aguardando por este momento. No entanto, 4.826 inscritas no Cadastro Nacional de Adoção estão totalmente disponíveis para integrar um novo lar. As demais ainda têm vínculos com as famílias de origem, situação que possibilita recursos que podem inviabilizar o processo.

Esse número, porém, é um pouco mais de 10% das crianças que vivem hoje em abrigos. Segundo levantamento do CNJ, são cerca de 46 mil crianças e adolescentes morando longe de seus parentes biológicos e ainda distante de lares definitivos porque estão em um limbo judicial, à espera da conclusão do processo de destituição familiar.

Campanha "Esperando por você" quer estimular adoção tardia. Na foto, os irmãos Rian e Ícaro, de 11 e 10 anos. Do outro lado da lista, 39.633 pretendentes à adoção esperam. A maioria, cerca de 80%, não declara preferência por raça, 63% são indiferentes quanto ao sexo da criança, 32% aceitam adotar irmãos ou crianças com algum tipo de problema de saúde. Segundo a professora de direito civil da Universidade de Brasília Suzana Borges Viegas, o perfil traçado pelos requerentes não é a principal causa da morosidade dos processos.

“O que de fato contribui para a demora é toda a burocracia da tramitação judicial. As varas de infância não podem abrir mão de nenhum procedimento exigido por lei, inclusive para evitar problemas como de rejeição. E algumas fases são extensas. A fase de regularização da situação da criança, por exemplo, dura cerca de um ano. O rompimento de vínculo com a família de origem deve ser feito com muita cautela porque a intenção do Estado é, primeiramente, tentar fazer com que a criança fique com a família de origem”, explica.

Uma das medidas para reduzir esse tempo seria, na opinião da especialista, aumentar o número de funcionários nas Varas da Infância. Ela também defende a aprovação de um projeto de lei, apresentado em fevereiro pelo Ministério da Justiça e da Segurança Pública, que determina prazos para a tramitação do processo. O projeto prevê ainda a concessão de guarda provisória mais rápida. “Essa novidade garante que as famílias já fiquem com as crianças antes da conclusão do processo”, explica Viegas.

A espera, segundo a mãe dos trigêmeos, Silvana Kronemberger, vale a pena. “Meus filhos são a maior representatividade do amor de Deus por mim. Ele me deu a honra de amá-los e educá-los para serem pessoas plenas, homem e mulheres pra fazerem deste mundo um lugar melhor, serem prova de que é possível e que vale a pena investir na família”, define emocionada.

A psicóloga Lúcia Soares com o casal adotivo de gêmeos Alan e Alana, de 15 anos.Como adotar uma criança no Brasil
Para se candidatar à adoção é necessário ter mais de 18 anos e ter 16 anos a mais que a criança a ser adotada. O processo tem várias etapas que variam de acordo com o estado e com as Varas de Infância (É possível consultar os endereços aqui). Os documentos solicitados também são distintos. De acordo com a unidade da Federação.
Segundo o Cadastro Nacional de Adoção, o procedimento geral segue o seguinte rito:

1) Procure a Vara de Infância e Juventude do seu município e se informe sobre os documentos. Para entrar no Cadastro Nacional de Adoção são solicitados: identidade; CPF; certidão de casamento ou nascimento; comprovante de residência; comprovante de rendimentos ou declaração equivalente; atestado ou declaração médica de sanidade física e mental; certidões cível e criminal.

2) Com documentos em mãos, faça uma petição, que pode ser preparada por um defensor público ou advogado particular no cartório da Vara de Infância.

3) É obrigatório fazer o curso de preparação psicossocial e jurídica para adoção. A duração do curso também varia nos estados. No Distrito Federal, são dois meses de aulas semanais.

4) O passo seguinte é a avaliação psicossocial com entrevistas e visita domiciliar feitas pela equipe técnica interprofissional. Na entrevista, é determinado o perfil da criança que deseja adotar, de acordo com vários critérios. O resultado será encaminhado ao Ministério Público e ao juiz da Vara de Infância.

5) O laudo da equipe técnica da Vara de Infância e o parecer emitido pelo Ministério Público vão servir de base para a sentença do juiz. Se o pedido for acolhido, o nome do interessado será inserido nos cadastros, válidos por dois anos em território nacional. Se não, é importante buscar os motivos. Estilo de vida incompatível com criação de uma criança ou razões equivocadas (para aplacar a solidão; para superar a perda de um ente querido; superar crise conjugal) podem inviabilizar uma adoção. É possível se adequar e começar o processo novamente.

6) A Vara de Infância avisa sobre uma criança com o perfil compatível. O histórico de vida da criança é apresentado ao adotante; se houver interesse, ambos são apresentados. A criança também será entrevistada após o encontro e dirá se quer continuar com o processo. Durante esse estágio de convivência, monitorado pela Justiça e pela equipe técnica, é permitido visitar o abrigo onde ela mora e dar pequenos passeios.

7) Em seguida, é preciso ajuizar a ação de adoção. Ao entrar com o processo, é entregue a guarda provisória, que terá validade até a conclusão do processo. Neste momento, a criança passa a morar com a família. A equipe técnica continua fazendo visitas periódicas e apresentará uma avaliação conclusiva.

8) O juiz vai proferir a sentença de adoção e determinar a lavratura do novo registro de nascimento, já com o sobrenome da nova família. Neste momento, a criança passa a ter todos os direitos de um filho biológico.

Adoção internacional
Para adotar crianças ou adolescentes de outro país, as regras são diferentes. O país de origem da criança deve ter ratificado a Convenção de Haia. A lista com os documentos necessários e os procedimentos também são diferentes. As informações estão disponíveis na página do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios.

O Ministério Público do Rio Grande do Sul elaborou um documento para esclarecer as principais dúvidas sobre esse processo. O arquivo está disponível para ser baixado em <http://www.mprs.mp.br/areas/infancia/arquivos/adocaopassoapassso.pdf>;.

Mais artigos...

  1. Ciclovias em expansão influenciam mercado imobiliário de São Paulo
  2. Em dias de intolerância, pesquisadores destacam valor das mensagens de Gentileza
  3. O fim do carro próprio?
  4. Congresso avalia projetos para atender configurações familiares modernas
  5. BGE: 123 milhões de jovens com 15 anos ou mais não praticam esporte no Brasil
  6. Metabolismo lento: como identificar e reverter o problema que pode prejudicar a perda de peso
  7. Temer nega ampliação da faixa de isenção do Imposto de Renda
  8. Sinal verde para o emagrecimento: combine chá e café para turbinar a queima de gordura
  9. Tese revela luta das brasileiras por direitos civis e trabalhistas
  10. Estudo investiga como vida conjugal influencia carreira feminina
  11. Maio Amarelo quer reduzir acidentes e vítimas de trânsito
  12. Reposição de vitaminas na terceira idade: o que é fundamental para manter o vigor e garantir mais saúde?
  13. Dorival Caymmi, a pedra que ronca no meio do mar
  14. Em São Paulo, 97,8% dos idosos não conseguem atravessar a rua no tempo dos semáforos
  15. Direito do preso de trabalhar é realidade só para minoria
  16. 10 alimentos para aliviar os sintomas do estresse e da ansiedade
  17. Veja o que muda com a reforma trabalhista aprovada na Câmara
  18. Mulheres podem ter direito a escolher o alistamento militar
  19. Cardápio energizante: Como vencer o cansaço e a fraqueza causados pela má alimentação
  20. Um em cada dez estudantes no Brasil é vítima frequente de bullying
  21. Livros infantis ganham espaço no mercado brasileiro
  22. Pesquisas resgatam história genética de remanescentes de quilombos
  23. Gorduras do bem: Conheça os diferentes tipos de Ômega e saiba porque eles são itens obrigatórios no cardápio
  24. Direto da Amazônia, livro revela como a castanha-do-pará ganhou o mundo
  25. Modo de vida camponês ainda resiste entre pequenos agricultores
  26. São Paulo de Todos os Tempos e o sentido de respeito à cidade
  27. Reforma trabalhista recebe 844 emendas; relatório deve ser apresentado na quarta-feira
  28. Proposta proíbe concurso público exclusivo para cadastro de reserva
  29. Há 40 anos, ditadura impunha Pacote de Abril e adiava abertura política
  30. Como a dívida pública afeta cada brasileiro
  31. Lanchinhos no trabalho: Quais substituições podem ajudar a evitar os deslizes da dieta
  32. Abelhas sem ferrão têm guardas especializadas para defender suas colmeias
  33. Discurso das novas dietas reforça padrões de beleza inalcançáveis
  34. Efeitos da seca acentuam de maneira permanente perda florestal na Amazônia
  35. Jogadores contam histórias do preconceito enfrentado na Europa
  36. Saúde e boa forma: aposte na dieta para eliminar a barriga e controlar a síndrome metabólica
  37. Brasil carece de legislação para reúso de água
  38. ONU: crise econômica emperra desenvolvimento humano no Brasil
  39. Livro revela o pouco conhecido Holocausto da Transnístria
  40. Lava Jato completa três anos de investigações com 260 acusados criminalmente
  41. Livro mostra as verdadeiras origens de Corinthians, Palmeiras e São Paulo
  42. Doença renal crônica leva mais de 120 mil brasileiros para hemodiálise
  43. Orçamento taxava dono de escravo e previa salário para Pedro II
  44. Desafiando o Império, há 200 anos Pernambuco criava primeira República do Brasil
  45. Reforma promete ensino médio mais atraente
  46. Maioria das mulheres no Brasil e no mundo prefere trabalhar a ficar em casa
  47. As mulheres e o direito ao esporte
  48. Onde se escondem as poucas onças-pintadas que sobraram
  49. Como apostar nas fibras para reduzir o inchaço e melhorar a saúde
  50. Construção de cisternas leva desenvolvimento à região do semiárido
  51. Bacalhau do Batata levou trabalhadores e foliões para as ruas de Olinda
  52. Novas regras para deportação geram apreensão entre imigrantes nos EUA
  53. Entra em vigor acordo global que pode gerar US$ 1 trilhão de comércio por ano
  54. Quando o carnaval questiona limites de sua própria liberdade
  55. Dieta e malhação: conheça os maiores erros antes e depois do treino e saiba como evitá-los
  56. Consumo de combustíveis no Brasil caiu 4,5% em 2016
  57. Brasil, um desperdiçador em dois mundos
  58. Polícia militarizada favorece manifestações como as do Espírito Santo, diz professor
  59. A explosão da economia compartilhada
  60. Não há nível de desmatamento seguro para o clima na Amazônia
  61. Nordeste entra no sexto ano do que pode ser a pior seca de sua história
  62. Crise do sistema de aposentadorias já preocupava dom Pedro II
  63. Estudo mapeia condições das favelas em São Paulo
  64. Guia alerta sobre consumo precoce de bebidas alcoólicas entre jovens
  65. O grande salto das mulheres em 2015
  66. Confira as eleições que podem mudar o mundo em 2017
  67. Mãe conta drama de enterrar filho degolado em Alcaçuz
  68. Nem leão, nem gazela
  69. A desigualdade posta à mesa
  70. Febre amarela: conheça os sintomas e saiba quando tomar a vacina
  71. Água incita disputa por terras no Nordeste 
  72. Obama termina mandato com boa aprovação e erros, mostram pesquisas
  73. Às vésperas da posse, brasileiros nos EUA estão apreensivos
  74. Oito homens mais ricos detêm mesmo patrimônio que a metade mais pobre do mundo
  75. Iphan completa 80 anos com grande patrimônio e poucos recursos
  76. Contribuições da Fiocruz à sociedade serão foco da nova presidente
  77. Passados 10 anos, ninguém foi condenado por acidente no Metrô
  78. Confira dicas para economizar e itens proibidos na lista de material escolar
  79. Brasil quer intensificar relações com os Estados Unidos e ampliar comércio
  80. Equoterapia estimula crianças com autismo
  81. Programa de cuidado com saúde mental auxilia idosos com depressão
  82. Temer terá de superar desafios políticos para conter crise, dizem especialistas
  83. O clube dos cidadãos de cor
  84. Aos 18 anos, reserva concilia geração de renda e conservação da Amazônia
  85. Ano Novo: Cardápio Novo: invista na reeducação alimentar e dê adeus ao eterno regime
  86. STF analisará em 2017 delações da Odebrecht e validade do aborto
  87. Veja fatos marcantes no cinema, na música e no teatro em 2016
  88. Baixo crescimento marcará economia em 2017, preveem especialistas
  89. Ondas gravitacionais e flor nascida no espaço; relembre fatos da ciência em 2016
  90. Reforma do ensino médio e ocupações em escolas marcaram 2016
  91. Eleição de Trump, Brexit, e outros fatos marcantes no mundo em 2016
  92. Acordo de paz, morte de Fidel e suspensão marcam América Latina em 2016
  93. Usina de Itaipu quebra próprio recorde de geração de energia elétrica
  94. Concentração de poder de mercado pode prejudicar o agronegócio paulista
  95. Suplementação de cálcio e vitamina D melhora expectativa e qualidade de vida dos idosos
  96. Ampliação adequada do Parque dos Veadeiros pode garantir proteção a 50 espécies
  97. Pesquisa detecta mudanças nos hábitos de consumo dos brasileiros como consequência da crise no país
  98. Lágrima verde
  99. Mudanças climáticas atingem do Peru a Porto Alegre
  100. Longevidade ampliada