Meirelles: perda com mudanças na reforma será maior do que o previsto

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, admitiu ontem (18), que a perda com as mudanças que estão sendo feitas pelo Congresso no texto original da reforma da Previdência deve ser maior do que a prevista inicialmente pelo governo.

Ele disse esperar que as alterações reduzam entre 20% e 30% a economia esperada com a reforma previdenciária. No início de abril, o ministro tinha previsto que essa redução seria menor, de 15% a 20%.
“O mercado já precificava uma reforma que seria cerca de 30% do benefício a menos, ou seja, 70% a menos do que o original. No entanto, acreditamos que será mais, bem mais do que 70%, principalmente no período inicial de dez anos, teremos algo que se aproxime mais de 80%”, afirmou. “Como eu disse, esperamos que a proposta signifique algo que seja próximo de 80% da reforma original, o que significa algo, dependendo do prazo, que varia entre 70% e 80% da reforma original”, acrescentou.
Meirelles afirmou que o texto final da reforma ainda não está fechado e que algumas negociações ainda estão em andamento para “viabilizar a aprovação” da reforma. Todas as mudanças que estão sendo negociadas pelo relator da matéria na Câmara, deputado Arthur Maia (PPS-BA), já estão “precificadas” pelo mercado. E todas as alterações estão “dentro dos parâmetros” definidos pelo governo para garantir que o equilíbrio fiscal do País seja restabelecido. A previsão é de que o relatório seja votado no colegiado entre os próximos dias 26 e 27 (AE).