Reservatórios estão em posição ‘muito melhor’ para enfrentar crise

O diretor econômico-financeiro e de relações com investidores da Sabesp, Rui Affonso, afirmou que os reservatórios de água que atendem a região metropolitana de São Paulo estão hoje numa posição “muito melhor” que no ano passado.

“O equilíbrio entre a oferta e a demanda de água, o aumento na segurança hídrica, as maiores chuvas durante a estação seca e o início do período de chuvas são todos fatores positivos e convergentes”, disse Affonso, durante teleconferência com analistas e investidores.
O executivo destacou que durante os meses secos (entre abril e setembro) de 2015, os reservatórios apresentaram, em média, uma afluência 12% maior em relação ao mesmo período de 2014, enquanto a retirada de água foi 20% menor. “O resultado desses dois fatores é que ainda retiramos mais água do que o que está entrando, mas reduzimos esse déficit, que em 2014 era de 23,3 metros cúbicos por segundo (m3/s) e agora é de 4,8 m3/s”.
“Esse comportamento foi possível em função das medidas adotadas pela Sabesp para adequar a oferta e a demanda e pelo volume de chuvas 33% superior neste ano, em relação ao verificado no ano passado”, disse. Em relação à outubro de 2015, o executivo afirmou que a afluência cresceu 105% ante o mesmo mês de 2014, enquanto a retirada de água recuou 11%. “A melhora segue em linha com o observado até o fim de setembro” (AE).