PRB: ‘mais espaço’ em eventual governo Alckmin

O PRB homologou ontem (1), o apoio ao pré-candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin.

O presidente nacional do PSB, Marcos Pereira, ligado à Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd), enalteceu “a voz serena” de Alckmin contra “o extremismo”, mas fez um “alerta”. Pereira lembrou o apoio do partido à ex-presidente Dilma Rousseff nas eleições de 2014 para pedir mais “espaço à mesa” de um eventual governo do tucano
“Em 2014, nós decidimos apoiar a reeleição da ex-presidente Dilma. Eu alertei para as condições da manutenção do nosso apoio. Eu cobrava um espaço à mesa como aliado para decidirmos juntos a política de governo e de Estado”, disse. “O que fez a então presidente? Ignorou as forças políticas e produtivas do País. Tudo que eu disse há quatro anos, vou repetir”, disse Pereira no momento em que se dirigiu diretamente para Alckmin. “O PRB quer e pode contribuir com o seu governo.”
A cobrança pública não ficou sem resposta. Alckmin demonstrou ter entendido o recado e procurou elogiar Marcos Pereira, líder da legenda. O tucano deixou claro que lembrará que o PRB foi “o primeiro” partido do Centrão a defender a aliança com o PSDB. “O primeiro (partido) do Centro Democrático que disse que Alckmin era o caminho foi o Marcos Pereira. Sou muito grato. Ele perseverou. Quando alguns queiram desanimar, ele ficava firme”, disse o tucano.
Sobre a escolha de um vice para sua campanha presidencia, Alckmin disse que a escolha “está entre sete nomes”, mas que a decisão final “ainda está longe”. A opção por um nome em definitivo deve ser feita até domingo (5), quando termina o prazo final para a confirmação das candidaturas. No sábado, 4, será realizada a convenção nacional do PSDB, em Brasília. Questionado se os sete nomes são os mesmos que estão sendo ventilados pela imprensa nos últimos dias, Alckmin respondeu que “pode haver surpresa” (AE).

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP