Seguir com agenda de reformas

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, defendeu, ontem (11), a continuidade da agenda de reformas, durante o lançamento da consulta pública da Estratégia Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.

O documento mostra que, sem a aprovação de mudanças estruturais, sobretudo na Previdência, o crescimento do País ficará abaixo do potencial até 2031 e a dívida bruta do governo brasileiro ficará ainda maior.
“Precisamos manter o processo de ajuste nas contas públicas, iniciado neste governo com o teto de gastos. Precisamos consolidar a retomada do crescimento sustentado. Para isso, o Brasil precisa seguir com a agenda de reformas estruturantes”, disse Padilha. O governo pretende aprovar ainda este ano a Lei de Governança para todos os entes e poderes legislativos (AE).