Paralisação compromete evolução do PIB

Alencar Burti, presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) comenta o resultado do PIB brasileiro, conforme divulgação feita pelo IBGE.

“Apesar do crescimento, fica claro que a recuperação perdeu força no primeiro trimestre. Mas o preocupante mesmo é que o segundo trimestre vai ser impactado pela paralisação dos caminhoneiros, o que pode manter a atividade econômica em níveis baixos e comprometer a evolução da taxa do PIB em 2018”, diz.
O presidente da ACSP chama a atenção para o aumento de 4% da indústria de transformação na variação interanual, puxado pela produção de móveis, eletrodomésticos, veículos e bens de capital. “O setor de serviços, por sua vez, cresceu 1,5%, sendo que o comércio (atacado e varejo) subiu 4,5%, valor este que coincide com a alta no movimento do comércio paulistano no mesmo período”, destaca Burti (AI/ACSP).