ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Ociosidade na indústria é a menor desde julho de 2015

O nível de utilização da capacidade instalada da indústria de transformação subiu para 78,1% em janeiro, na série livre de influências sazonais.

Com isso, a ociosidade do setor caiu para 21,9%, a menor desde julho de 2015, informam os Indicadores Industriais, divulgados ontem (5), pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). “A pesquisa mostra a continuidade da recuperação da atividade industrial. O aumento do consumo está aos poucos estimulando a atividade industrial”, diz o economista da CNI Marcelo Azevedo.
O faturamento da indústria ficou estável, com leve queda de 0,1% em janeiro em relação a dezembro na série dessazonalizada. Mesmo assim, o faturamento de janeiro ficou 7,7% acima do registrado no mesmo mês do ano passado. As horas trabalhadas na produção aumentaram 0,4% em janeiro frente a dezembro, na série livre de influências sazonais. Foi o terceiro mês consecutivo de alta do indicador. Na comparação com janeiro de 2017, as horas trabalhadas na produção cresceram 1,1%.
A pesquisa informa ainda que, depois de dois meses consecutivos de queda, a massa real de salários e o rendimento médio real dos trabalhadores aumentaram em janeiro. A massa real de salários subiu 0,5% e o rendimento médio real dos trabalhadores cresceu 0,2% na comparação com dezembro, na série de dados dessazonalizados. No mesmo período, o emprego caiu 0,5%. “É o recuo mais intenso desde setembro de 2016”, observa a CNI. “A queda chama à atenção, mas o emprego vinha crescendo, e, com a recuperação da atividade, a expectativa é que o resultado de janeiro se reverta nos próximos meses”, afirma Azevedo (SJ/CNI).

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171