Supremo é político, mas não partidário

Em debate sobre transparência do Judiciário na capital paulista na sexta-feira (23), o ministro do STF Dias Toffoli declarou que a corte é um órgão político, mas não partidário.

“Toda corte constitucional é um órgão com função técnico-política”, afirmou, ao responder perguntas na Escola de Direito de São Paulo, da FGV.
O ministro lembrou que já foi advogado do PT e de movimentos sociais de esquerda. “Já julguei contra o partido e contra movimentos sociais, porque o juiz não pode ter desejo. Se você quer ter desejo, vai para outro lugar”. Para ele, o Supremo é um poder constituinte permanente que está revendo pactos da sociedade o tempo todo. “Isso é política ou não é?”, declarou.
Em sua fala, o ministro criticou o excesso de judicialização no País e afirmou que é preciso rever o sistema de repercussão geral, modelo de julgamentos levados ao STF que repercute em ações semelhantes (AE).