Doria mantém aumento e não teme protestos

O prefeito de São Paulo, João Doria, afirmou ontem (4), que vai manter o aumento no valor da tarifa do transporte público na cidade, que passam de R$ 3,80 para R$ 4,00 no próximo domingo (7).

O Movimento Passe Livre (MPL) já tem protesto marcado para o dia 11, mas Doria descartou possibilidade de adesão como ocorreu em 2013. Em entrevista à Rádio Eldorado, o prefeito reafirmou que a última alteração na tarifa havia ocorrido em janeiro de 2016 e disse acreditar que a população vai entender o aumento, minimizando a possibilidade de grandes protestos.
“Não vejo perspectivas de profunda adesão (a protestos), sobretudo na população mais sensível e que compreende que esses 20 centavos, além de facilitarem o troco, representam 30% abaixo da inflação acumulada em dois anos”. Se a correção fosse aplicada, o preço da passagem subiria para R$ 4,14. O subsídio dos ônibus pela Prefeitura é de R$ 2,1 bilhões. Em 2017, o valor unitário das passagens ficou congelado em R$ 3,80. Segundo Doria, a economia do País passa por outra situação, com aumento da taxa de empregos, inflação sob controle e expectativa de crescimento em 2018.
“Não é nada a celebrar, mas a situação de declínio, de descontrole da economia que havia até o encerramento do mandato da ex-presidente Dilma Rousseff (agosto de 2016) já não se vê mais”, afirmou. “Tem uma circunstância psicológica melhor no País”. O prefeito disse ainda que nenhuma alteração em relação à gratuidade está prevista (AE).